Estética, vasos e varizes: deu match!

No novo mundo que surgiu a partir da pandemia, em que muita gente passou a ficar sentada ou em pé por uma quantidade ainda mais desumana de horas seguidas, diminuiu consideravelmente a mobilidade e substituiu massa magra por gordura, houve uma piora significativa da saúde vascular. Apesar de só o médico especialista poder tratar complicações como varizes e vasinhos, o profissional de estética também tem muito a colaborar, conforme você descobre a seguir.

Shâmia Salem (@shamiasalem)

A pandemia, com a necessidade de isolamento social, piorou a saúde vascular de muita gente. “Além de diminuir a prática de exercício físico, reduzimos consideravelmente a nossa mobilidade, o que aumenta demais o risco cardiovascular. Para ter ideia, 90% da circulação das pernas é feita pelo músculo da panturrilha, e ela permaneceu parada e sentada sem contração, levando a retenção de líquido e piora de quadros circulatórios, como varizes e trombose. Nesse tempo que permanecemos isolados também mudamos nossa composição corporal: grande parte da população ganhou peso, e a parcela que conseguiu não engordar perdeu massa muscular e a substituiu por gordura. O problema é que a perda de poucas fibras musculares já impacta de maneira negativa na qualidade do bombeamento do sangue, piorando a função circulatória”, esclarece a cirurgião vascular Aline Lamaita, de São Paulo, que é membro da diretoria da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV), membro do American College of Phlebology, fez curso de Lifestyle Medicine pela Universidade de Harvard e hoje dedica a maior parte do seu tempo à flebologia, que é o estudo das veias.

Segundo ela, apesar de só o médico vascular poder tratar varizes e vasinhos, o profissional de estética tem muito a colaborar. “Tratamentos estéticos focados em hidratação, melhora da qualidade da pele e eliminação de líquidos retidos são benéficos para diminuir as queixas do paciente, como sensação de peso e inchaço no fim do dia, e também a taxa de complicações que as intervenções médicas podem envolver, como as indesejadas manchas. A pele bem hidratada reduz significativamente esse risco como também faz com que a cicatrização aconteça mais rápido. Tanto que não é incomum que o médico prescreva cremes específicos para hiper-hidratação da pele no pré-operatório, e nesse momento o esteticista pode ser um grande aliado no preparo da pele. Após a liberação do vascular também, já que a drenagem linfática também é excelente para otimizar a cicatrização. E, a associação de equipamentos de ultrassom para tratar os hematomas no caso de cirurgias maiores também é uma excelente estratégia”, lista a doutora Aline Lamaita, que esclarece que de forma geral há restrições em relação às massagens. “Inclusive, elas serão super benéficas se bem aplicadas. Mas, como a trombose é uma das raras complicações do pós-operatório, o ideal é ter a liberação do vascular também antes de iniciar as massagens”, avisa.

Estética é mais que coadjuvante

A dermaticista Patrícia Elias acredita que os tratamentos estéticos podem estabilizar o quadro de varizes de pequenos calibres ou até mesmo evitar o desencadeamento de varizes das pessoas que tem a pré-disposição genética, impedindo que o quadro evolua para algo mais grave. Podem também ser aliados na recuperação de pacientes que passaram por cirurgia vascular, desde que autorizado pelo médico. “É o caso de massagens e drenagem linfática realizadas com excelência, que são permitidas inclusive durante o tratamento com o vascular, mas, como eu disse, somente depois de recebermos por escrito a liberação do médico da paciente. E se ainda for um quadro leve, dá para reverter fortalecendo os vasos. Outras técnicas benéficas incluem a luz pulsada, a radiofrequência 37°C, a ozonioterapia, o LED, o laser de baixa potência e a ILIBterapia, uma irradiação contínua do laser terapêutico vermelho ou infravermelho na região da artéria radial que, entre outros benefícios, otimizando a circulação sanguínea e linfática”, lista Patrícia Elias.

A enfermeira-esteta Mariane de Chiara, fundadora da Clínica Chiquetá, em São Caetano do Sul (SP), reforça a importância de consultar um cirurgião vascular se houve a formação de vasos ou de varizes. “Não havendo problemas circulatórios profundos, podemos associar duas condutas: a drenagem linfática e a ozonoterapia. Enquanto a drenagem atua na redução do edema, facilitando o retorno venoso, a ozonoterapia aumenta o tônus venoso e melhora a circulação de maneira sistêmica”, explica ela.

Cautela é essencial É preciso tomar muito cuidado para não realizar nenhuma técnica que, em vez de ajudar, possa prejudicar a vascularização do paciente. “Na prática, é preciso redobrar a atenção com massagens com pressão no local, para não danificar as varizes e agravar o quadro. O mesmo vale para técnicas que aumentam a temperatura local, caso da radiofrequência, que pode comprometer a circulação”, exemplifica a dermaticista Patrícia Elias, que alerta: “Se a pessoa tiver varizes e edema a ponto de sentir dor ao nosso toque, o correto é indicar que ela procure um vascular, porque pode se tratar de algum problema ainda mais grave que necessite de acompanhamento médico”. Concorda com ela a enfermeira esteta da Chiquetá, Mariane de Chiara: “Um profissional com bom conhecimento técnico conhece seus limites de atuação e têm a saúde de seu paciente como foco principal preocupação”.

Orientações especiais da dermaticista Patrícia Elias

O profissional da estética está qualificado para instruir seus pacientes sobre ter uma melhor qualidade de vida. Por isso sempre reforço a importância de prestar atenção no consumo de sal, porque pode elevar a pressão arterial, favorecer o acúmulo de líquidos no organismo e agravar o quadro vascular;

√ Também indico adicionar óleo essencial de lavanda no creme de uso diário e elevar as pernas por alguns minutos, para aliviar a dor e a sensação de peso típicas em casos de varizes;

Instruo ainda a pessoa a evitar roupas muito apertadas e exagerar nas bebidas alcoólicas, que são agravantes do quadro;

√ Nos pacientes que sentem muitas dores nas pernas, gosto de usar produtos com arnica, que é um ativo que alivia bastante esse incômodo;

Outros produtos que melhoram a circulação são as cápsulas de castanha-da-índia, que é um fitoterápico 100% natural; A hidratação é fundamental porque uma pele desidratada se torna muito sensibilizada. No entanto, para quem tem varizes o indicado é investir em hidratantes que ajudam na drenagem do líquido parado, melhorando o sistema linfático e circulatório, caso dos que são elaborados com ginkgo biloba, cafeína, centella asiática e ativos com pimentas.

Somos uma empresa com coração e alma humanos. E a humanidade nos traz inquietude para buscarmos sempre o novo, discernimento para abraçarmos as causas certas, coragem para seguirmos adiante mesmo em face de tempos difíceis, orgulho para mostrarmos a grandiosidade do segmento brasileiro.

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.