É base ou é protetor?

Essa brincadeira ficou famosa em uma campanha publicitária de tempos atrás, mas é fato que os protetores solares com cor (e efeito de base) são praticamente uma unanimidade – inclusive depois de procedimentos estéticos para uma perfeita finalização

Karina Hollo (@karinahollo)

Protetores solares com cor são uma febre. Não é à toa: eles protegem da luz visível, são indispensáveis para quem tem melasma, podem vir nas versões creme, loção, pó ou bastão, disfarçam imperfeições e uniformizam o tom da pele, ajudam na prevenção do envelhecimento precoce, são práticos porque funcionam como make… e são perfeitos para a finalização do look depois de tratamentos estéticos. “Os efeitos nocivos da radiação solar são sobretudo o envelhecimento precoce, manchas na pele, aumento da flacidez e até mesmo surgimento de câncer de pele. Algumas doenças ocorrem devido a reações cutâneas imediatas à superexposição à radiação UVB e em menor grau a UVA, como as queimaduras solares. Por todos esses motivos a proteção solar é fundamental na rotina diária”, diz o dermatologista Franklin Veríssimo, do Ceará, Especialista e pós-graduado em Laser, Cosmiatria e Procedimentos pela Universidade Estadual do Ceará-CE. A seguir, fazemos um raio X desse produto-sensação, além de destacar os principais lançamentos. Confira.

O que é?

O protetor solar com cor oferece a mesma proteção que o filtro solar tradicional, mas contém em sua composição o pigmento de cor, que proporciona uma barreira física. “Além de combater os raios UVA e UVB, o produto uniformiza a pele, evita o surgimento de manchas e ainda previne o envelhecimento precoce”, alerta o dermatologista Amilton Macedo, de São Paulo. Protetores solares com cor possuem pigmentos em sua formulação que proporcionam uma barreira física. “Então, além da proteção química, que o protetor já tem, o fato de se adicionar pigmento torna ele um protetor com uma barreira física associada”, explica Dra. Joyce Rodrigues, farmacêutica bioquímica e CEO da Mezzo Dermocosméticos.

Com cor X sem cor

Todos os protetores solares, sejam eles químicos ou físicos atuam formando reação química ou barreira na pele, impedindo com que a radiação UVB e UVA atinjam as camadas superficiais e profundas da epiderme e derme ao serem absorvidas ou refletidas, fazendo com que elas danifiquem o DNA das células. “O ideal é que o protetor tenha FPS de pelo menos 50 e alta defesa contra os raios UVA e UVB. A cor também é fundamental para proteger contra os danos da luz visível, que está presente nas luzes artificiais, computadores e celulares. É o óxido de ferro, que dá cor aos filtros e às maquiagens, que é o responsável por fazer esse escudo protetor”, fala Franklin. O protetor solarauxilia na prevenção do envelhecimento precoce por proteger a pele dos efeitos cumulativos dos raios UV, preservando o colágeno e prevenindo o câncer da pele. Mas as versões com cor vão além: por trazerem filtros físicos, garantem alta proteção também contra a luz visível – aquela que nossos olhos conseguem enxergar, como a luz das lâmpadas artificiais e telas de computadores, por exemplo. A luz visível é capaz de causar alterações no DNA, manchas e danos à pele. Outro ponto positivo? Oferecem cobertura leve, discreta e uniforme para o dia a dia, disfarçando imperfeições (como rugas finas, manchas e pequenas imperfeições) e uniformizando o tom da pele. Bônus: alguns promovem efeito mate e toque seco, podendo ser usado por todos os tipos de pele, inclusive as oleosas. Finalmente, é fotoprotetor e maquiagem em um só produto. “Quanto maior a concentração de pigmento e maior a cobertura do produto, maior a proteção física que ele vai proporcionar”, fala Joyce.

Devido à sua barreira extra de proteção, protetores solares com cor protegem mais que os sem pigmento. “O filtro com cor age como uma barreira física, como um chapéu ou uma viseira, por conta dos seus pigmentos que ajudam a garantir essa proteção extra. Ele pode ser mais eficiente que o protetor solar sem cor, uma vez que protege também da luz visível, que é emitida por computadores, celulares e lâmpadas, e que muitas vezes é esquecida na hora da proteção. Essas luzes causam um dano menor que os raios solares, porém possuem efeito cumulativo e a médio e longo prazo causam manchas e outros problemas na pele”,  diz Amilton.

Para quem são indicados?

“O filtro solar com cor prioriza a saúde da pele, protegendo-a dos raios solares e da luz visível com cobertura de imperfeições. Há diversas tonalidades nos produtos existentes hoje. Cabe ao paciente escolher o filtro que melhor se adapta à sua pele e às suas necessidades, inclusive de cor mais próxima a seu tom de pele”, diz Franklin. Em tempo: 80% do envelhecimento da pele é causado pelos raios UV e, por isso, a proteção diária é indispensável em qualquer estação do ano e até mesmo dentro de casa. Os protetores com cor são indicados para todos os tipos de pele. “Atualmente, o mercado oferece o protetor com cor para todos os tipos de pele, seja ela mista, seca ou oleosa e em diversos tons. Além disso, eles são ideais para quem tem melasma, por oferecer uma barreira de proteção reforçada à pele, devido aos pigmentos presentes no protetor solar com cor”, diz Amilton.

Quais os benefícios deste tipo de produto?

A radiação UVA penetra profundamente na pele favorecendo a quebra de colágeno, acelerando o envelhecimento precoce e causando rugas, alergias, manchas solares e câncer de pele. Essa radiação parte de raios solares e também de fontes artificiais, como luz fluorescente e luzes emitidas pelas telas do computador ou por televisões, por isso é essencial a utilização diária de protetor solar mesmo em ambientes fechados, principalmente versões com cor que oferecem uma barreira extra de proteção por meio dos pigmentos, além de uniformizarem a pele com acabamento natural. Quando se trata de pele fotoenvelhecida, tonalidades irregulares e rugas são os sinais que mais preocupam a mulher brasileira e começam a aparecer a partir dos 30 anos, se tornando a principal razão para buscarem um dermatologista. Com relação à pigmentação, é a questão da barreira física. “Porém existem diversos protetores no mercado com inúmeros benefícios agregados à formulação, tais como ação anti-poluição, proteção luz azul, fechamento de poros, entre outros, mas nada tem a ver com a questão de ter ou não pigmento”, explica Joyce. Os protetores com cor são ideias para quem deseja praticidade com um produto com efeito dois em um, o que permite economizar um tempo no ritual de beleza. “O protetor solar com cor oferece uma cobertura uniforme e lisinha até mesmo durante um dia de praia ou piscina”, observa Amilton.

Por que virou o queridinho de todos? Principalmente pela praticidade de ter “dois produtos” em um só. “Protetor solar + base permite uma pele uniforme, tanto para o dia a dia, quanto nas férias”, diz Amilton. “Atualmente, queremos mais praticidade, na correria do dia a dia, faz muita diferença para a maquiagem: é só aplicá-lo e a pele já está preparada”, fala Joyce.

Somos uma empresa com coração e alma humanos. E a humanidade nos traz inquietude para buscarmos sempre o novo, discernimento para abraçarmos as causas certas, coragem para seguirmos adiante mesmo em face de tempos difíceis, orgulho para mostrarmos a grandiosidade do segmento brasileiro.

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.