Conheça o “EFEITO BATOM”! Agora é a hora exata de oferecer procedimentos estéticos

Acredite, o “efeito batom” (Lipstick Index) é um indicador econômico mundial criado por Leonard Lauder, em 2001, herdeiro da marca americana de cosméticos Estée Lauder. Ele observou que após grandes guerras e pandemias, a procura por cosméticos fazia com que esse setor econômico se recuperasse mais rapidamente do que os outros. Após a Segunda Guerra Mundial, Winston Churchill já havia atentado para tal fato.

Os governos mundiais entenderam que o uso de cosméticos foi importante para questões psíquicas e sociais após grandes traumas e, com isso, aprenderam muito sobre o poder do ser humano na sociedade e, por consequência, na economia.

Hoje, entendendo tal crescimento no setor da beleza após crise, vamos falar sobre o fortalecimento da Saúde Estética.

Palavras como autocuidado, bem-estar, estilo de vida, autoconhecimento, saúde e estética nunca estiveram tão em alta em meio a uma pandemia e aí está a prova da evolução do “efeito batom”. Nós, profissionais, sabemos da relação saúde/estética, portanto, seguindo este raciocínio, temos uma responsabilidade social em propagar os efeitos da Estética na autoestima, na imunidade e no bem-estar.

Esta é a boa notícia, mas antes de tudo, eu sugiro que você fique de olhos atentos para quem e o que oferecer. Os pacientes/clientes, principalmente os da nova geração, os millennials, que cresceram em uma época de grandes avanços tecnológicos e prosperidade econômica, precisam ser estudados por nós.

Sabe por quê? Porque eles serão os consumidores dos nossos serviços. Eles ditam tendências, padrões de consumo, dizem não aos abusos com os animais e querem uma vida plena, saudável e menos tóxica possível, apesar de serem, muitas vezes, antagônicos pelo excesso de tecnologia, além da falta do convívio com a família e os amigos, que estão sendo deixados de lado, mas este é um assunto para outro dia.

Há uma necessidade inevitável e emergencial para nossa adaptação às tendências dos padrões comportamentais dessa geração, bem como entender suas demandas, que, inclusive, dão seus feedbacks após boas ou más experiências sobre suas compras e em nosso caso, eles podem ajudar a decolar ou a destruir carreiras que levaram anos para serem construídas.

Você já parou para refletir que este pode ser um momento repleto de oportunidades?

Ainda há tempo de deixar de colocar a poeira embaixo do tapete e, sim, fazer a faxina. Olhar para sua clínica de Estética e estruturar todos os processos que, talvez, você não encontrava tempo ou até uma ajuda para saber por onde começar.  As parcerias, até entre setores diferentes, como um (a) esteticista e um administrador (a), por exemplo, estão sendo uma solução interessante. As portas estão entreabertas para o mundo e isso significa que a união fará a força.

Todo negócio é uma troca e em nosso setor não é diferente. Você oferece um serviço e o seu cliente compra. O diferencial está em o que você oferece. Já que neste bate-papo falamos sobre um indicador econômico promissor e sobre como precisamos conhecer melhor nosso cliente, uma sugestão é avaliar novas alianças.

A própria teleconsulta, que veio para ficar mesmo na Estética, avalia e entrega ao seu paciente uma proposta de home care acompanhado por você, mas eis o detalhe – é um negócio à parte como qualquer outro.  E precisa ser muito bem estruturado antes de ser aplicado, com todos os processos e etapas a serem cumpridos, assim como acontece em um curso técnico de um novo equipamento, ou uma linha de cosméticos que você costumava levar como inovação e precisava trabalhar com toda a equipe o passo a passo, do início ao final do processo, antes de oferecê-la ao paciente.

Desmistificando a teleconsulta, você pode se surpreender com o retorno. Nada substituirá o seu procedimento presencial, é fato, mas neste exato momento, o paciente, além de se sentir acolhido, será estimulado por você a manter os tratamentos de home care de forma profissional. Como ele fica conectado o dia todo na internet, observe o perigo de perdê-lo para um (a) influenciador (a) que não seja da nossa área, percebe?

Como seria olhar para tudo isto de forma macro? Depois, ir decodificando, reconhecendo, admitindo a existência de muito trabalho pela frente. E mesmo que você ainda esteja na faculdade, ou tenha anos de experiência, a profissão que nós escolhemos, aquela que tanto amamos, a Estética, de repente é vista de outra forma: você enxergou que precisou passar por uma pandemia para provar, através de indicadores econômicos mundiais, que ela salva vidas. Parabéns! Eu tenho orgulho de ser esteticista, e você? Pense nisso!

Ana Claudia Petkevicius é esteticista, cosmetóloga, formada na Pensilvânia (E.U.A). Empresária do setor há 28 anos, é Coordenadora Científica dos Congressos Internacionais de Estética do Grupo Estética in (São Paulo, Rio, Sul e Nordeste). É apaixonada por servir ao próximo e movida pela criatividade, em especial pelos objetivos que ecoam levando o bem. Instagram: @anaclaudiapetkevicius

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *