A importância das técnicas manuais na Síndrome da Desarmonia Corporal

A Síndrome da Desarmonia Corporal (SDC) é um conjunto de alterações estéticas que causam grande impacto na imagem corporal e facial das mulheres, fortemente influenciada pela mídia e que hoje vem sendo tratada com o termo harmonização corporal. É composta por procedimentos minimamente invasivos de ativos potentes, aparelhos de ponta e técnicas manuais que não caem em desuso, porque fazem parte da nossa história como ferramenta de trabalho. O poder que as mãos exercem dificilmente é contestado, por ter sido primordial para todo o desenrolar da organização socioeconômica do homem.

No mercado da Estética, as técnicas manuais promovem inúmeros resultados, conectando o campo físico ao mental, tratando pequena e grande circulação, penetrando ativos e modificando o interstício. Podemos citar inúmeras indicações e benefícios: melhora rápida em hematomas e edemas através da drenagem linfática, relaxamento das fibras musculares na massoterapia e permeação de ativos com a massagem modeladora. 

Aplicar técnica manual é conhecer anatomia, fisiologia, sistemas do corpo humano, associada ao raciocínio individualizado, para trazer os melhores resultados. O toque representa a cereja do bolo, a fidelização, o xis da questão em todos os tratamentos. Para atingir resultados, realizamos uma criteriosa anamnese que identifica as queixas principais, o biótipo corporal e os procedimentos estéticos mais adequados para cada caso. Deve-se depois respeitar a excelente aplicação, a periodicidade, indicações e contraindicações para garantir sucesso no tratamento, modificação da fisiologia e do metabolismo do paciente. 

Quanto ao insubstituível toque manual podemos afirmar que ele exige do profissional conhecimento técnico, intensidade e velocidade correta em cada manobra. O toque é a técnica que mais envolve sistemas no corpo humano: cutâneo e seus anexos, circulatório (veias, artérias e linfático), endócrino, nervoso e muscular. É preciso seguir raciocínio técnico e clínico sem provocar dor ou hematomas.

As técnicas manuais potencializam as respostas dos demais procedimentos na harmonização corporal, tratando todas as camadas de pele, reduzindo edema e auxiliando na oxigenação de células e dos tecidos. Não se deve aplicar força demais nem de menos, e sim o peso correto na técnica adequada, repetidamente de acordo com o que se espera. Pensar na individualidade e nas necessidades de quem recebe o tratamento é raciocínio obrigatório para a aplicação das técnicas manuais.  A harmonia dos tratamentos consiste neste conjunto: eleger os melhores ativos, os mais modernos aparelhos e ter a habilidade manual para cuidar do próximo como a nós mesmos!

Raquel Capelato é esteticista facial e corporal (SENAC SP-1997), especialista em técnicas manuais, no atendimento às gestantes, puérperas e pós-operatório. Docente, palestrante, instrumentadora cirúrgica e radiestesista genética também é autora do livro técnico Segredos da Massagem Modeladora. Instagram @raquelcapelato

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.