Trio antigordura

Diante de tantas excelentes opções disponíveis no mercado, NEGÓCIO ESTÉTICA selecionou três dos ativos mais usados na redução de medidas, no remodelamento corporal e no combate à celulite por permitirem ao profissional ter resultados melhores, mais rápidos e duradouros. Veja como explorar o uso da cafeína, do chá verde e da drosera ramentacea nos seus protocolos em cabine, e também na indicação para uso em homecare. Lembrando que um dos efeitos da pandemia foi justamente o ganho de peso e consequente acúmulo de gordura, ou seja, um momento mais do que oportuno de se manter bem-informado (a) sobre o assunto

Shâmia Salem (@shamiasalem)

Para começarmos bem, uma verdade incontestável: eliminar gordura localizada, remodelar o corpo, diminuir as medidas e combater a celulite depende de ações em várias frentes. Isso significa que pouco adianta aplicar a melhor novidade da indústria cosmética ou a última tecnologia de ponta se a paciente não colaborar, mudando alguns maus hábitos de vida. “Isso envolve evitar o ganho de peso, ter uma alimentação equilibrada, se exercitar regularmente, tomar bastante água, comer fibras, evitar o cigarro, não exagerar na bebida alcoólica e controlar o estresse”, resume a esteticista Tatiane Ferreira Mamede, coordenadora de estética na clínica Dr. Amilton Macedo, em São Paulo. Vale lembrar que ainda tem a questão hormonal, que, por vezes, precisa ser investigada com o médico. Afinal, os hormônios influenciam tanto no ganho de peso quanto no acúmulo de gordura e aparecimento e piora da celulite. “Por tudo isso é que, já durante a anamnese e durante as sessões, costumo reforçar essas informações e relembrar a cliente do papel dela para juntas, termos ainda mais sucesso no tratamento realizado”, completa a esteticista.

Fazendo ajustes na rotina e no estilo de vida e contando com um protocolo desenhado de maneira individual e personalizada para cada caso é possível, sim, ter melhoras significativas. E os três ativos a seguir podem fazer seu plano de beleza brilhar ainda mais e surpreender mais a sua cliente. Confira.

CAFEÍNA
quebra da gordura e melhora da circulação local

Usada na cosmética há mais tempo do que a vitamina C, outro clássico da estética, a cafeína é tão eficaz que acabou virando sinônimo de tratamento contra gordura localizada e celulite. “Há, inclusive, comprovação científica da eficácia da substância na perda de peso”, destaca o farmacêutico Jamar Tejada, de São Paulo, especialista em ciências homeopáticas e nutrição ortomolecular.

Encontrado no fruto do café e nas folhas de chás como o mate, o preto e o verde, o ativo pertence ao grupo das xantinas, que têm como principal característica a atividade lipolítica e, mais especificamente, a capacidade de evitar que a enzima fosfodiesterase interfira na ação do hormônio lipase sensível de promover a lipólise. “Sem essa interferência, você tem a quebra dos triglicerídeos que estão dentro das células de gordura, o que faz com que elas diminuam de tamanho e, consequentemente, parem de pressionar os tecidos, as fibras de colágeno e elastina e os capilares sanguíneos. Com as fibras restabelecidas e a microcirculação voltando a fluir normalmente, a pele se nivela outra vez e perde a aparência ondulada típica da celulite”, esclarece o farmacêutico e cosmetólogo Maurício Pupo, de Campinas (SP). “Como a cafeína também aumenta a circulação local, gosto de fazer o ultrassom usando um gel de contato elaborado com o ativo, para favorecer a ação dos outros cremes que serão aplicados no protocolo de tratamento. Também tenho excelentes resultados de melhora do contorno corporal ao realizar massagens mais vigorosas, como a modeladora, e drenagem linfática usando produtos com cafeína. E, para intensificar o resultado sem sobrecarregar a paciente, recomendo que, em casa, ela use spray com cafeína de duas a três vezes por semana e sempre antes de ir para a academia”, diz a esteticista Tatiane Ferreira Mamede, coordenadora de estética na clínica Dr. Amilton Macedo, em São Paulo.

  • Ponto de atenção  Se quiser mandar manipular um produto com cafeína, cuidado para não exagerar na dosagem. O risco é dele cristalizar a formulação e comprometer a cosmética, dando a sensação de que a receita contém areia. A Anvisa, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, recomenda não ultrapassar os 8% de cafeína. Respeitando essa orientação e de olho em potencializar o produto, as empresas costumam associar ativos e tecnologias, juntando, por exemplo, cafeína com silício orgânico, chá verde, peptídeo redutor ou drosera ramentacea, extraída de uma planta carnívora. “Vale ressaltar que um dos efeitos colaterais mais importantes da cafeína é o aumento da pressão arterial, justamente por sua atuação no aumento da circulação local. Isso exige atenção redobrada com pacientes, especialmente aqueles que usam medicação para controlar a pressão arterial”, alerta o farmacêutico Jamar Tejada.


“O mesmo efeito lipolítico da cafeína no corpo é alcançado no rosto e também na região dos olhos. Com isso, o que se tem é um resultado de harmonização facial e de redução das bolsinhas de gordura. Como o ativo ainda é um potente antioxidante, ele é capaz de proteger o DNA das células, principalmente contra a radiação solar.”

Maurício Pupo, farmacêutico

CHÁ VERDE
foco também na melhora da saúde da pele

Extraído das folhas da camélia sinensis, o chá verde possui inúmeras ações no combate à celulite e à gordura localizada, além de deixar a pele mais firme, hidratada e luminosa. Pudera, já que ele é rico em catequinas, antioxidantes, cafeína, ômega 3 e antioxidantes como flavonoides e polifenóis. “Quando você usa um produto com ação anti-inflamatória e anti-radicais livres, automaticamente está trabalhando o anti-envelhecimento, a antioxidação e a eliminação da gordura. Falando especificamente da celulite, que provoca uma distrofia no gene da gordura, tanto que seu nome científico é lipodistrofia ginóide, quanto mais inflamação houver, mais avançado será o aspecto casca de laranja. Mas, ao usar um anti-inflamatório tão potente quanto o chá verde, ocorre uma diminuição do envelhecimento acelerado e do processo de depósito de água, que causam a flacidez e o edema. Como consequência, a pele fica com aspecto mais saudável, uniforme e hidratado”, diz o farmacêutico Jamar Tejada.

Segundo o especialista, outras vantagens do chá verde são o baixíssimo risco de provocar alergia e os efeitos termogênico, por causar aquecimento local, e de oxidação da gordura – tudo resultado da ação dos polifenóis e da cafeína. “Isso ajuda a entender, inclusive, porque tantas marcas de beleza produzem fórmulas que combinam chá verde com cafeína, e isso para usar tanto em aplicações locais, por meio de cremes, loções, sprays e séruns; como também em cápsulas de uso oral, para potencializar essas propriedades no organismo, internamente, no homecare”, completa a esteticista Tatiane Ferreira Mamede, que conta ter bons resultados com o chá verde usando-os em cosméticos aplicados em protocolos de massagens intercaladas ou não com equipamentos tecnológicos.

  • Ponto de atenção “Cuidado ao recomendar que seu cliente tome cápsulas de chá verde para intensificar os resultados do protocolo de tratamento feito em cabine. Muitos desses suplementos não trazem o ativo isolado, mas um pó obtido da moagem de folhas misturadas com galhos. O efeito, claro, fica a desejar. E, para evitar riscos de intoxicação, aconselho que você peça para o paciente verificar com um médico se ele realmente pode ingerir essas cápsulas ou mesmo o chá, que deve ser tomado com moderação, principalmente se a pessoa tiver algum problema gástrico ou problemas para dormir”, reforça o farmacêutico Jamar Tejada.

“A alta quantidade de antioxidantes do chá verde colabora para aumentar o metabolismo, o que favorece o ataque à celulite e gordura localizada.”

Jamar Tejada, farmacêutico

DROSERA RAMENTACEA
intervém na porção de gordura armazenada no adipócito

Derivada de uma planta carnívora que se destaca por possuir fitocomplexos com efeito de lipólise, reduzindo o tamanho dos adipócitos, e adipogênese, diminuindo o acúmulo de gordura nessas células, o ativo é mais conhecido por seu nome comercial: adipo-trap. “Ele é tido como um emagrecedor, remodelador e anticelulite e chamou a atenção dos cientistas por liberar enzimas capazes de degradar a camada resistente do manto lipolítico dos insetos capturados pela planta. Daí a ideia de que a drosera também poderia degradar a gordura no corpo humano. Atualmente, o ativo é um dos mais vendidos em farmácias de manipulação para tratar gordura localizada e até mesmo bolsinhas de gordura sob os olhos”, conta o farmacêutico Jamar Tejada, que sugere que no homecare a drosera ramentacea seja aplicada até duas vezes por dia. “E, sugiro que antes de espalhar o produto, seja feita uma massagem local, para ativar a circulação e potencializar a ação do ativo”, completa ele. Concorda com ele a esteticista Tatiane Ferreira Mamede: “Esse ataque mais intenso é interessante principalmente nos casos em que a celulite, de tão inflamada, provoca dor e desconforto”.

Segundo a farmacêutica Karina Soeiro, que é mestre em ciências farmacêuticas pela USP e consultora em dermocosméticos, osprodutos para serem utilizados em cabine podem ser tanto comprados de algumas marcas que trabalham com esses insumos quanto manipulado. “O importante é que se tenha conhecimento de que esse é um insumo que trata alguns dos aspectos da celulite, mas não todos. O mais indicado é a gente procurar uma formulação ou uma composição de um cosmético que contenha uma junção de insumos, que trará uma ação cinética e um efeito mais potente. Então, o adipo-trap é um ótimo insumo, mas se a gente puder fazer uma composição ou buscar um cosmético que tenha uma composição com a cafeína e outros agentes lipolíticos, que tratem os outros aspectos da celulite, com certeza a gente vai ter um resultado superior, trabalhando toda a parte de alteração venosa, da alteração tecidual e da inflamação de uma maneira mais potencializada”, diz a doutora Karina Soeiro.

  • Ponto de atenção “Os estudos com o ativo foram feitos com a concentração variando entre 3% e 5% e combinando-o com cafeína a 1%, o que significa que não é indicado usar o ativo a menos de 3% seja em veículos do tipo creme, emulsão, loção ou gel”, ressalta o farmacêutico Jamar Tejada. Em tempo: vale saber que as pesquisas mostram que após 2 semanas houve uma redução de 1,4 cm da circunferência da coxa tratada com drosera e que ela aumentou para 1,6 cm após 4 semanas de uso do ativo.

“As enzimas liberadas pela drosera ramentacea contêm ácidos fenólicos, flavonóides e naftoquinonas, que têm atividade anti-inflamatória.”

Jamar Tejada, farmacêutico

Somos uma empresa com coração e alma humanos. E a humanidade nos traz inquietude para buscarmos sempre o novo, discernimento para abraçarmos as causas certas, coragem para seguirmos adiante mesmo em face de tempos difíceis, orgulho para mostrarmos a grandiosidade do segmento brasileiro.

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *