Tendências de beleza que farão diferença, agora, em 2021

O consumidor muda, o mercado muda junto. Para atender uma demanda mais exigente, novos serviços, tecnologias e posturas surgem e prometem fazer muito sucesso neste ano que acaba de começar

Deise Garcia (@deisegarcia)

O tempo passa, o tempo voa e cá estamos nós no primeiro mês deste novo ano, ansiosos (as) com o que virá – especialmente pelos sustos de 2020. O período de pandemia e suas implicações modificaram muito o mundo e as pessoas que nele habitam. Embora nada seja unanimidade, o fato é que com a doença, o isolamento, os lock downs, as perdas, todo mundo reviu metas, prioridades e causas e, ao menos a grande maioria, voltou os olhos para outros horizontes e alterou a escala de importância de muitas coisas. Na área estética não foi diferente – o consumidor passou a ser mais consciente do mundo e de si mesmo e, com isso, as demandas mudaram também. Veja a seguir, o que promete ser realmente tendência e sucesso de busca nestes próximos meses.

  1. BEM-ESTAR ANTES DO QUE RESULTADOS  

Mais do que nunca, o consumidor está de olho em serviços (beleza, estéticos e afins) que priorizem o bem-estar e não apenas um resultado bonito. “A busca por bem-estar consciente é uma crescente no mercado mundial e sem dúvidas veio para ficar. Cada vez mais as pessoas tomam consciência da importância de cuidar da beleza aliando não apenas tecnologia, mas resgatando produtos naturais que, com ajuda da ciência, conseguem entregar resultados muito maiores que no passado. A combinação desses ativos, atuando em sinergia, consegue surpreender a todos que se permitem viver essa experiência em que o natural ganha espaço e certamente fará parte do dia a dia de muitos”, explica Éverton Lopes, esteticista, professor e Presidente da Academia Brasileira de Estética e Beleza. E a aromaterapia e os óleos essenciais se encaixam perfeitamente nos tratamentos e serviços de beleza e saúde oferecidos. “Quando falamos em cosméticos naturais, é impossível deixar de lado o quanto os óleos essenciais e vegetais contribuem para esse avanço, pois, afinal de contas, eles estão presentes na indústria cosmética desde os primórdios da cosmetologia. Cada vez mais usados para compor fragrâncias naturais e exercer papel terapêutico por meio da estimulação olfativa, eles ganham espaço na preferência do consumidor por entregar benefícios não só para o corpo, mas também para a mente. Quem já teve a oportunidade de dormir em um ambiente aromatizado por uma essência de lavanda? Além de possibilitar uma excelente noite de sono, a lavanda ajuda a controlar ansiedade, tratar insônia, depressão, dor de cabeça, entre outros problemas. Agora imagine esses mesmos efeitos aliados a um creme hidratante através do qual você garante uma recuperação da pele! Uma terapia completa ao alcance de todos”, complementa o expert. Um produto criado a partir destes princípios de bem-estar oferece equilíbrio, uma vez que produtos naturais conseguem realizar aquilo que muitos só encontravam nos ativos sintéticos/químicos – e que, com ajuda da própria ciência tecnológica, podemos obter melhoras nas combinações e sinergias destes ativos em benefícios múltiplos para o ser humano – ganha-se em beleza e qualidade de vida. Natureza proporcionando bem-estar ou o bem-estar redescobrindo a natureza.

  • NOVAS ROTINAS DE BELEZA

Peles de reconhecido esplendor – japonesa, coreana e nórdica – deram início a pesquisas envolvendo quais cuidados cada uma delas recebia para tamanha (e invejada) perfeição. Por conta disso, nasceram as tendências de K-Beauty, J-Beauty e N-Beauty, rotinas com os passos detalhados de beleza que as nativas destes lugares sempre levaram muito a sério e, por tabela, ganharam impactantes resultados. A mais recente é a N-Beauty (Nordic Beauty) e oferece algo muito valioso para a mulher moderna: rapidez, o que sugere que será sucesso. Para quem prefere a simplicidade na hora de cuidar da pele, essa é uma excelente opção, diz a dermatologista Gina Matzenbacher, da Clínica Leger. “O tempo é muito escasso e uma rotina de dez passos, por exemplo, se torna complicada e diminui e adesão ao tratamento. O N-Beauty é uma tendência, e o cuidado está em limpar a pele com um sabonete adequado, usar hidratante e ácido”, afirma. Há quem diga que a pele das nórdicas é linda porque teve que se tornar mais resistente ao frio. No entanto, Gina Matzenbacher garante que é possível ter esse viço mesmo em países tropicais, onde a oleosidade é uma das características do rosto.

  • GREEN CONSUMER

Lembra daquele dito popular “diga-me com quem andas e eu te direi quem és”? Nos dias atuais, ele mudou para “diga-me de quem consomes e eu te direi quem és”. Mais do que nunca, saber a origem do que se compra está na ordem do dia. E esta origem leva em conta se os ativos são naturais, se não foram utilizados animais nos testes, se os ingredientes têm compromisso orgânico e se controlam o extrativismo excessivo, se a empresa recicla suas embalagens, se combate a emissão de gases na atmosfera, se abraça causas sociais, se oferece produtos para todos – inclusive as minorias. Isso significa que os serviços não são mais os mesmos – entregar resultados positivos conta, claro, mas definitivamente não é tudo. Os profissionais da beleza precisam entender que para agradarem – e fidelizarem – sua clientela é preciso ir além e selecionar o que usam em seus protocolos. E mais: contar isso para cada cliente.

  • COSMÉTICOS HIPERPERSONALIZADOS  

Mais do que formular um cosmético específico em uma farmácia de manipulação, a moderna personalização vai além e utiliza exames genéticos para saber do que realmente a pele precisa – e em que quantidade.  Isso explica os motivos pelos quais alguns produtos funcionam maravilhosamente bem em algumas clientes e em outras não – o material genético conta. O geneticista Dr. Marcelo Sady, Pós-Doutor em Genética e diretor geral Multigene, que conta com exames genéticos para tratamento da pele, explica que essa tendência vem sendo chamada de hiperpersonalização dos cuidados com a pele, ou Skin Tech 2.0. “Por meio da saliva, os exames analisam o DNA da pele e apontam especificidades como propensão à acne ou ao fotoenvelhecimento, nível de sensibilidade e reatividade e até mesmo a capacidade de cicatrização do tecido cutâneo. A vantagem é que eles ajudam o dermatologista a indicar o que é melhor para a pele de cada paciente levando em consideração seu gene, o que faz com que seja possível uma abordagem mais precisa para a rotina de cuidados com a pele de cada um, com produtos e tratamentos específicos para oferecer o que o tecido cutâneo mais necessita”, diz a dermatologista Dra. Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). “Por exemplo, o genótipo do gene MMP1 está relacionado a uma degradação do colágeno oito vezes maior que o normal após a exposição solar”, afirma o geneticista Dr. Marcelo Sady. Ou seja, essa característica predispõe o paciente a ter mais rugas e sofrer mais com o fotoenvelhecimento. “Existem substâncias que podem agir para prevenir essas alterações. Usar cremes com antioxidantes como OTZ 10, Superox C e Alistin é uma boa opção. O médico pode também indicar cápsulas orais com Exsynutriment e In.Cell para um tratamento completo dessas alterações, na medida em que as substâncias são responsáveis por uma maior produção de colágeno”, afirma.

  • OTIMIZAÇÃO FACIAL  

Na contramão do abuso da “harmonização facial” que, em alguns casos, muda completamente a expressão do paciente tratado, a otimização facial ou Litlift, busca a melhora do visual sem, no entanto, correr o risco de se perder a naturalidade. “O tratamento mais adequado para essa otimização geral da face funciona por meio da combinação estratégica de preenchedores e neuromoduladores, todos injetáveis, e feitos em uma sessão de no máximo 30 minutos”, afirma o cirurgião plástico Dr. Mário Farinazzo, membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Essa tendência surgiu nos Estados Unidos e existe até a hashtag #NoFilterJustFiller. O Litlift oferece resultado mais natural e serve tanto para rejuvenescimento quanto para melhoria geral da aparência. O resultado do tratamento pode ser visto em apenas uma semana, segundo o médico, e uma das vantagens é que o tratamento não tem downtime, ou seja, o paciente não precisa se afastar das atividades diárias. “Esse é o tipo de tratamento que pode ser feito uma semana antes de um casamento ou um evento importante, pois o paciente não se afasta das suas atividades e nem sofre com inchaço, vermelhidão ou descamação da pele”, afirma o Dr. Mário.

  • COMBATE À DOR E RESULTADOS MAIS RÁPIDOS

Os procedimentos, cirúrgicos ou menos invasivos, mais buscados serão aqueles com menor tempo de recuperação, que diminuam o inchaço e que causem menos dor. O clássico ultrassom micro e macrofocado, por exemplo, já evoluiu: agora, o Ultraction 3D permite ajustar exatamente a profundidade onde o aparelho vai agir e o tamanho do dano térmico. Com isso, o tratamento é menos dolorido e reduz flacidez de maneira poderosa. “Do ponto de vista clínico, o tratamento é menos dolorido e muito mais homogêneo. Ele estimula mais colágeno e traz resultados na hora. O paciente pode imediatamente voltar às atividades de rotina”, afirma o dermatologista Dr. Abdo Salomão Jr.

  • MICROAGULHAMENTO ROBÓTICO

Semelhante à versão convencional, o microagulhamento robótico consiste na inserção mecânica de pequenas agulhas na pele que provocam uma lesão controlada e, ao atingirem certa profundidade, emitem radiofrequência, causando retração e aquecimento local para estimular a reorganização das fibras de colágeno. Realizado sob o efeito de anestesia tópica, o procedimento, geralmente, dura de 30 a 60 minutos, sendo que uma ou duas sessões são suficientes para alcançar resultados satisfatórios. Indicado para o tratamento de estrias, cicatrizes de acne, melasma, queda capilar e melhora da firmeza da pele, o microagulhamento robótico não possui downtime, mas a fotoproteção é necessária e a prática de atividade física deve ser suspensa por dois dias. O procedimento é contraindicado para pacientes que utilizam anticoagulantes ou sofrem com dermatites e infecções ativas no local a ser tratado. “A vantagem é o controle mais firme e seguro da profundidade das microagulhas que, no momento certo emitem radiofrequência para rejuvenescer a pele”, relata o Dr. Mário Farinazzo, cirurgião plástico membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Somos uma empresa com coração e alma humanos. E a humanidade nos traz inquietude para buscarmos sempre o novo, discernimento para abraçarmos as causas certas, coragem para seguirmos adiante mesmo em face de tempos difíceis, orgulho para mostrarmos a grandiosidade do segmento brasileiro.

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *