Redes sociais ageless

Em meio a um cenário repleto de desafios, se autodivulgar – ou promover a sua clínica – na internet não é mais uma opção. É uma necessidade que precisa ser colocada em prática já e da melhor maneira possível. Se você é do time ‘das antigas’ e ainda torce o nariz para esse tipo de autopromoção, é hora de parar, refletir, eliminar o preconceito e a vergonha e partir para o mundo digital

Carmen Cagnoni (@carmencagnoni)

Em um mundo com tantos profissionais buscando reconhecimento, fazer uso do marketing digital é a estratégia que mais agrega benefícios à carreira e ao negócio. A maior parte dos profissionais da área da estética já vive no mundo on-line, muitos deles já nasceram em tempos de live, posts, interação virtual. Sendo assim, usar as ferramentas da internet é atividade corriqueira. Em contrapartida, há muitos profissionais maduros e experientes que não foram preparados para transitar com liberdade e naturalidade por esse caminho. Caroline Caracas (@carolinecaracasmarketing), treinadora de empreendedoras que buscam posicionamento e faturamento na internet, conta que algumas de suas alunas, por exemplo, começaram a colocar a cara no Instagram há pouco tempo, mesmo já sendo empresárias e profissionais liberais há décadas. “São mulheres experientes na própria carreira e no próprio negócio, mas que não entendiam ainda como poderiam alavancar as vendas ao agregar o tempero das suas marcas pessoais ao seu negócio por meio da rede social”.

Fato é que quem ainda não se rendeu às inúmeras possibilidades do mundo digital está perdendo tempo… e provavelmente dinheiro! A Maturi (@soumaturi), plataforma digital formada por uma equipe intergeracional que abraça a causa da longevidade, promoveu no final do ano passado, O MaturiDay: Reinvenção 50+ nas Redes Sociais. “Hoje em dia, estar fora das redes sociais é sinônimo de não existir. O tempo todo nós estamos olhando para o celular, para o computador, e se você faz isso, seu público também faz. Essa é a forma de comunicação mais eficaz e popular do século 21”, defende Edney Souza, diretor acadêmico na Digital House Brasil, que palestrou no evento on-line.

DIFICULDADE X OPORTUNIDADE

Por meio das redes sociais é possível estabelecer um vínculo com o seu público de forma direta, oferecendo inspiração e aprendizagem. O objetivo é criar conteúdo relevante e imagens que despertem interesse. Se até agora você ainda não se sente à vontade para atrair atenção, a hora é agora. Lembre-se que são nas crises que as oportunidades de se reinventar surgem. E, neste caso, quando se começa a ir para o mundo on-line, as possibilidades são ilimitadas. “Não existe um profissional neste mundo que não tenha sido afetado em algum aspecto pela pandemia. Mas como toda situação que nos tira da zona de conforto, pode ser encarada como uma oportunidade de se posicionar profissionalmente no digital e colher frutos”, destaca Caroline Caracas.

A vergonha é um dos principais desafios a serem vencidos. “Para quem ainda tem medo do que as pessoas vão pensar ou vergonha de colocar a sua voz no mundo, recomendo que separe o joio do trigo. Não acho que se deve ignorar as críticas, mas repare uma coisa: ela veio de quem está em campo ou sentada no banco só para criticar? Claro que temos de ficar atentas e sempre observar se desse censura podemos tirar oportunidades de melhoria, de ajustar a comunicação ou o posicionamento. Mas, em geral, sabemos e sentimos a intenção das pessoas”, pondera a especialista em marketing digital.

Caroline desenvolveu uma metodologia que se baseia em quatro pilares fundamentais do personal branding: conteúdo, imagem pessoal, lifestyle e networking. “Minha experiência enfatiza que o grande segredo do crescimento e autorrealização de mulheres arrasadoras é o entendimento de que precisavam orquestrar esses quatro elementos na sua presença digital, criando uma marca pessoal reconhecível, com personalidade. Para isso acontecer, elas não apenas estudaram sobre marca pessoal, mas também se colocaram efetivamente em movimento, aplicando na prática aquilo que aprenderam”, justifica.

TRILHANDO SEU CAMINHO

“Sou vintage em atividade e tento ser criativa nesse mundo de inteligência virtual”, começa contando Edy Guimarães (@edybeleza), CEO da EG Estética, atuante na área de estética corporal e facial, cosmetologia e maquiagem há mais de 40 anos. Com cerca de 65 mil seguidores no Instagram, Edy é bastante atuante nas redes sociais. “Uso o IGTV para conteúdos relevantes no setor e para me manter em evidência. Com tudo, não gosto de exibições em demasia. Acho que as redes expõem muito o Ego (com E maiúsculo) das pessoas. Confesso que já cometi alguns erros da vaidade humana no início e hoje sei que não alcanço visibilidade tão rapidamente porque me policio demais. Aliás, o meu lema sempre foi o menos é mais nesse momento de tamanho crescimento das redes sociais”, pondera.

 Edy destaca que gosta muito dessa comunicação com o público que procura prevenção e cuidados estéticos. “Tento explorar o stories, e o reels ajuda bastante (recurso que permite aos usuários gravarem e editarem vídeos de 15 segundos utilizando efeitos especiais de forma prática). Não sou tímida e nem dada a preconceitos, mas vejo essa comunicação ficar bem clichê ultimamente. Eu sonho em fazer dessa ferramenta uma forma de arte e mostrar esse lado com fotos profissionais em preto e branco. Aparecer o menos possível e ter um Instagram como páginas de beleza de um editorial de modo muito requintado. Falar e prever o futuro da nossa área. Hoje, olho essa ferramenta e ainda não é isso que gostaria para a minha marca profissional. Tento acertar, mas para isso eu deveria ter uma equipe especializada direcionada para estudar esse projeto, como um diretor de cinema”, detalha.

Ela lembra o início da carreira, quando foi consultora de beleza para revistas renomadas, como Claudia, Nova, Elle, Marie Claire e Vogue, além de produzir editoriais, desfiles e capas de revistas, porque além de esteticista, também é maquiadora. Ela também teve destaque em vários programas de TV, como Mais Você. “Naquela época, eram as jornalistas que escreviam sobre beleza que me procuravam para eu informar as novidades. Hoje, sou eu, é você, que tem que informar – e não somos formadas para essa tarefa. Sem contar o fato de ter muita dificuldade para ser profissional esteticista, diretora da minha clínica multidisciplinar e ainda ter de pensar em conteúdo relevante”, constata.

Para ajudar na tarefa, Edy conta com uma profissional de marketing que passa dois dias na clínica para produzir conteúdo e fazer os vídeos antecipadamente, usando e abusando das ferramentas digitais. “Se não fosse assim, eu precisaria de muito mais dedicação a esse processo e meu tempo é voltado aos cuidados das clientes e dos funcionários – e ainda não me dedico o suficiente. Mas mesmo que você tenha uma empresa para gerar conteúdo, lembre-se de que ele é seu, você precisa acompanhar de perto se quiser ter sucesso nas redes sociais. E hoje o Instagram não deixa ninguém crescer se não se dedicar aos conteúdos. Minha dificuldade é ter tempo porque não dá para ser mais amador na comunicação, a não ser que seja para ter as redes para brincar com os amigos e familiares e se divertir sem levar a sério o lado profissional”, defende.

Com a chegada da pandemia ela quis inovar e criou o TeleEdybeleza. “O canal está engatinhando, mas com grandes perspectivas de crescimento. Estou planejando cursos on-line para breve. Enxergar as mulheres ocupando novos espaços de poder e transformação na sociedade é uma das minhas maiores motivações. Tenho me dedicado nos últimos anos a entender o universo do empreendedorismo feminino maduro e enxergar modos de impulsioná-lo. Assim, essa transformação acontece de forma mais rápida, impactando milhões de mulheres que, nesse mesmo momento, estão buscando por uma alternativa para viver da melhor forma possível a maturidade. Eu me aborreço e me incomodo também com o jeito que a sociedade, como um todo, acredita que a mulher tem que envelhecer: mantendo a aparência eternamente jovem. As pessoas estão acostumadas a achar que beleza é igual à juventude. E não é. Precisamos aprender a enxergar a beleza em uma ruga, em um fio de cabelo branco. A narrativa na qual o ‘envelhecimento da mulher’ está inserida é muito cruel conosco. Simplesmente não podemos envelhecer em paz. Se a mulher faz procedimentos estéticos ela é taxada de ‘perua’; se deixa os cabelos brancos é chamada de relaxada. É uma cobrança e um julgamento absurdos. Cada uma tem o direito de envelhecer como se sente mais feliz. O movimento ageless só cresce no mundo. É maravilhoso e necessário. É importante ressignificar a beleza como algo que não tem idade”, analisa.

INTERAÇÃO NATURAL

Roseli Siqueira (@roselissiqueira), esteticista e cosmetóloga com mais de 40 anos de experiência nos cuidados com a pele por meio de massagens e tratamentos promotores de beleza, saúde e bem-estar, é superativa nas redes sociais, hoje tem mais de 45 mil seguidores no Instagram. “Eu sempre gostei de tecnologia, de mexer no celular. Comecei a fazer lives em 2019 e fui me identificando com as pessoas, acho fantástico o fato de eu estar na minha casa e elas na delas. Faço às quartas-feiras e aos domingos e uma vez até tentei parar no final de semana, mas recebi tantos pedidos para continuar que não resisti”, diz feliz. Ela conta que as lives foram uma salvação quando o coronavírus impôs várias restrições ao trabalho presencial.

Roseli aborda nos vídeos os cuidados com a pele e viu seu público aumentar a cada postagem, bem como a interação. “Tudo flui muito bem. Comecei como uma brincadeira, pois sou muito exigente, gosto que minhas clientes e as pessoas em geral entendam e façam as coisas certinhas, os movimentos corretos na hora de aplicar um cosmético e até de usar um demaquilante. É o chamado ritual de skin care, que envolve vários passos e deve ser seguido direitinho para se ver o resultado. E não só com a aplicação dos cosméticos, mas também com a massagem facial. Então, eu comecei a ensinar como fazer os procedimentos, os horários, a disciplina. Viajei muito pelo mundo e vi que as coreanas, por exemplo, seguem rituais completos. Aqui no Brasil, a mulher quer aplicar um creme e já ficar com a pele boa. Não funciona assim. É preciso disciplina. Comecei a criar esse alerta para elas terem resultados. As pessoas foram entendo a proposta e começaram a querer mais. É muito legal essa interação”, constata.

Ela mesma produz os vídeos em casa, usando um bom celular e um suporte. “Pensei em começar a gravar na clínica, porque em casa dá bastante trabalho. Preciso montar o ambiente, separar tudo que vou usar, mas minha equipe foi contrária à ideia porque atrapalha o movimento. Então, continuei em casa. Também tenho feito lives para revistas digitais. Isso é muito bacana. E faço tudo sozinha!”.

Para quem pretende seguir os mesmos passos, Roseli lembra que é necessário assumir um comprometimento com a produção do material. É uma rotina que deve ser incorporada juntamente com os outros afazeres da profissão. “É um compromisso que deve ser levado a sério”. Outro detalhe que ela faz questão de frisar é o fato de para atender ao público e ter retorno, não é vital buscar algo inovador. Ela, por exemplo, aborda princípios básicos dos cuidados faciais, como limpeza. E faz muito sucesso. “Se você não tiver uma base primordial para a saúde da pele, não adianta aplicar os melhores ativos. E hidratação também é um ponto de destaque para mim”, revela.

“Tenho certeza que muitas pessoas sentem vergonha de se expor em vídeos. Vejo isso até com algumas clientes que têm a pele bonita e peço para gravarem comigo e se recusam. Eu entendo. Como eu já fiz muitas palestras, tenho facilidade para falar, lidar com a câmera. Fico à vontade. E passa muito rápido. Ainda assim eu evoluí muito. Quando interagimos com as pessoas isso nos faz crescer, amadurecer. Hoje vejo que têm muitos homens entrando nas minhas lives também, isso é muito bacana. Procuro sempre fazer um momento de relaxamento e dou dicas de compras de produtos acessíveis para quem não tem condições. Fica um astral gostoso, não é aquela coisa obrigatória de comprar o meu produto. Abro o leque e faço com que as pessoas se sintam bem, à vontade, acolhidas”, esclarece.

“A gente precisa dançar conforme a música. Sou apaixonada pela minha profissão e sempre tive uma atitude muito zen, meu foco é aprimorar a minha forma de ajudar as pessoas. Acho que vim ao mundo com a missão de auxiliar quem precisa melhorar a condição de pele, de vida. Porque não gosto da beleza estereotipada. Antigamente, eu dava consultoria para uma revista ou programa de televisão e era direcionada, agora faço as lives do jeitinho que eu quero. Essa liberdade de expressão é fantástica! Amo essa nova fase na qual conquistei muitas seguidoras que seguem a beleza natural que eu acredito e defendo”, assegura.

FRASES

“A idade não pesa nas redes sociais se você for uma pessoa dinâmica, antenada, atuante diariamente, amar o que você faz e ter muito tempo para se dedicar aos conteúdos, além de se cuidar o máximo que puder. Não basta só cuidar dos outros, você é a prioridade, a notícia o seu próprio marketing pessoal.”

Edy Guimarães

“Faço as lives do jeitinho que eu quero. Essa liberdade de expressão é fantástica! Amo essa nova fase na qual conquistei muitas seguidoras que seguem a beleza natural que eu acredito e defendo. O retorno é maravilhoso, recebo muito carinho e gratidão, isso me deixa muito feliz e me incentiva a seguir em frente.”

Roseli Siqueira

“Orquestre os conteúdos, balanceie um texto técnico com uma mensagem inspiracional, adicione uma pitada de lifestyle, faça lives com pessoas interessantes. Em tudo o que você faz, além da visão estratégica para o reforço do DNA da sua marca, tem que ter o seu borogodó! Encontre-o e trabalhe conscientemente seus principais atributos de imagem para se conectar com as pessoas que quer atender, além dos clientes atuais.”

Caroline Caracas

“Cabe a cada um a responsabilidade do que mostrar e estar à frente de todos, a ponto de influenciar o mundo de forma positiva.”

Patrícia Fraga

BOX: COMO MELHORAR SEU MARKETING DIGITAL

Patrícia Fraga (@micropigmentadordesucesso) descobriu a micropigmentação aos 33 anos. Hoje, é CEO da empresa Micropigmentador de Sucesso e foi palestrante da última edição presencial da Estética in Sul. Com mais de 66 mil seguidores no Instagram e cerca de 96 mil inscritos no canal do Youtube, onde começou dando dicas sobre sua área de atuação, foi pioneira na criação de conteúdo de valor on-line. “Na época, meu sonho era só fazer divulgação para ter mais alunas nos cursos presenciais. Então, aquelas dicas começaram a mudar a vida dos profissionais, fizeram toda diferença nos seus trabalhos. Hoje, nossa empresa é referência na formação e especialização de profissionais. Se eu imaginava que isso iria acontecer? Nunca! Mas confesso que para isso ocorrer foram centenas de dias e noites de trabalho, Natal, ano novo, aniversário… Foram quase cinco anos para ajustar tudo”, relata. Para lhe ajudar a transformar as suas redes sociais num negócio de sucesso, Patrícia lista 15 tópicos importantes.

  1. Pessoas gostam de fazer negócio com pessoas de sucesso.
  2. Você precisa saber onde está, para saber onde quer chegar.
  3. Uma imagem vale mais que mil palavras, um vídeo vale mais que mil imagens.
  4. Esteja na rede social que seu cliente está.
  5. Utilize um programa de edição de imagem e de texto.
  6. Poste algo todos os dias.
  7. Venda valor, não promoção.
  8. Entregue aquilo que você vende.
  9. Acredite no seu potencial.
  10. Não se importe com o julgamento alheio.
  11. Esqueça da crise, evite reclamar dos dias difíceis ou falar de política.
  12. Tenha mentores.
  13. Construa a sua autoridade no assunto por meio de relação de confiança.
  14. Não seja só mais um que faz o que todo mundo faz.
  15. Persista, continue, persevere!

BOX 1:

COMPARTILHANDO EXPERIÊNCIAS

Ala Szerman (@alaszermanoficial) é empresária, especialista em beleza e bem-estar e foi pioneira em levar as aulas de ginástica para a TV e introduzir o conceito de SPA no Brasil, consagrando-se como uma das profissionais mais experientes e respeitadas. Ala tem realizado várias lives entrevistando personalidades de alto nível do setor. Uma das mais emblemáticas reuniu, além de Ala, Carlas Flora (@carlasflora), criadora do @horadaetiqueta que ensina a se relacionar com segurança e maturidade em nível social e corporativo, e Maria de Fátima Lima Pereira (@mfatimalimapereira), esteticista desde 1980, pedagoga e professora do curso Bacharel em Estética e da graduação em Pré e Pós-cirúrgico da Universidade Anhembri Morumbi e mestre em comunicação, para conversarem sobre Educação e Pandemia: desafios e perspectivas, em março passado.

Durante a conversa, as três abordaram a importância da internet na vida atual das profissionais da estética. E para quem pensa que é a única no mundo a ter dificuldade, sentir insegurança e até certa vergonha no ato de se expor em rede social, fique sabendo que Ala e Maria de Fátima, dois dos maiores nomes do mercado da estética nacional, também enfrentam inquietações no mundo digital, mas seguem aprendendo e se reinventando a cada dia. “Queremos passar conhecimento, força, entusiasmo. Nosso trabalho é dedicado às esteticistas, para todas as pessoas que sabem que o mundo caminha e nós não podemos parar. E precisamos dar passos cada vez maiores. Há uma mudança tão grande na comunicação e precisamos aprender a lidar com isso”, defende Ala.

“Nunca antes nós fizemos tanta interação via câmera do celular e precisamos aprender como lidar com esse aparelho, com o ring light (tipo de anel de luz que uniformiza a pele colaborando para fotos e selfies mais bonitas), como falar, qual oratória entregar, o que o público gostaria de ouvir, qual conteúdo compartilhar. As redes sociais estão aí e vieram para ficar. O profissional que trabalha com beleza, ramo da saúde importantíssimo, precisou passar por uma transformação interna enorme, falo isso por experiência própria, pois quando me vi frente a uma câmera tendo de ensinar uma sequência de massagem para um aluno na universidade me questionei bastante sobre como realizar essa tarefa, mas fui aprendendo e você também pode!”, diz Maria de Fátima.

“Eu recomendo para os profissionais que têm vergonha da câmera, receio de falar, para construírem minimamente um texto, mesmo que precise ser escrito, e então você aponta a câmera do celular para uma imagem ou produto enquanto lê aquele texto, sem aparecer. Isso para que pouco a pouco você comece a construir a sua persona e aprenda a lidar com a imagem, com a câmera. Eu também tenho certa timidez, falar ‘faça isso comigo, ou esse é o melhor produto para tal aplicação’, também me constrange. Então, é preciso aprender a buscar referências para que a gente possa se inspirar e treinar”, ensina.

As especialistas destacaram a importância do olhar para as questões comerciais e usar a internet como uma fonte de renda. “Nós precisamos aprender minimamente a construir parâmetros de venda para que se possa instruir o cliente de uma boa adequação cosmética. E se já fazemos isso no dia a dia dentro da nossa clínica, é preciso exercitar como levar isso de forma midiática, sempre com ética e linguagem agradável”, orienta Maria de Fátima. Ala Szerman concorda, mas lembra do constrangimento de muitas nessa ação, incluindo-se nesse grupo. “Precisamos ‘sair do quadradinho’, no mundo inteiro a esteticista é quem vende cosméticos. Isso hoje é quase obrigatoriedade, pois funciona como arma para a esteticista sobreviver. Veja que no cenário geral deste momento, a venda de produtos não teve grande queda. Inclusive, têm algumas marcas que venderam mais que anteriormente. Eu indico participar de cursos de vendas on-line para aprender a técnica e oferecer somente o que a pessoa precisa e não o que você quer. Eu fiz alguns”, recomenda Ala.

Ela se prepara para promover via internet, o programa Mindful Slim, mix de meditação com neurociência visando ajudar pessoas a controlar suas emoções na hora de comer. “Vou realizar este trabalho por meio de uma plataforma digital, reunindo um grupo pequeno. Dessa forma, estaremos juntos, como numa sala presencial”, comemora.

“Nós somos prestadores de serviço e se não temos o cliente fisicamente, temos de alguma forma ir para uma rede social para trazê-lo para perto. Pode-se começar com orientação gratuita e com o tempo criar uma rede para entregar conteúdo. Foi o que eu fiz! Entreguei ginástica facial, automassagem, falei sobre ativos, ensinei a aplicar produtos. E cobrei a metade do valor que eu cobraria fisicamente. O cliente depositava a taxa e recebia uma hora de atendimento via Skype, além de uma apostila via e-mail. Eu sugiro para quem quer começar essa ação, a criar um pequeno portfólio, ou um miniPop (Procedimento operacional padrão), como uma sequência de massagem onde você possa entregar nas redes sociais uma ou duas manobras para depois oferecer o restante por um valor acessível”, ensina Maria de Fátima.

BOX 2: DIVULGAÇÃO DE SUCESSO

Serge Wisniewski (@marketingparaesteticaoficial), especialista em marketing digital para o setor da estética, argumenta que “hoje, com certeza, não é mais uma opção querer estar ou não nas redes sociais, é obrigação. Isso diante de toda concorrência que existe no setor, bem como é onde o cliente final está. Independentemente do nicho que o profissional atue, todo cliente final está nas redes sociais, sem distinção. Sem contar que é a melhor alternativa para gerar vendas com melhor custo/benefício”.

Expert na área, ele conhece as dificuldades das profissionais nesse quesito, especialmente das pertencentes a uma geração onde os meios de comunicação eram outros. “Conheço pessoas que ainda insistem em fazer panfleto, por exemplo, algo sem utilidade atualmente. Também percebo maior timidez desses profissionais perante a câmera. E quando falamos em gerar maior engajamento com o público é necessário aparecer mais, interagir, e essa questão trava um pouco os maduros. O grande desafio é a adaptação a esse novo mundo no qual vivemos, mas isso é uma questão exclusivamente de treino. Conheço vários exemplos de pessoas que conseguem ter um desempenho muito bom no virtual, independentemente da idade”, analisa.

Ele ressalta a importância da realização de um planejamento semanal de postagens. “Se essa definição não fica clara, a profissional acaba procrastinando, aparecem compromissos e outras coisas que vão sendo encaixadas no dia corrido e as redes sociais são deixadas de lado. Porém, ter consistência nas postagens é um hábito necessário. No começo, não é fácil, quando se está iniciando um perfil não há interação, as pessoas não respondem, o alcance é baixo, existem uma série de fatores que desanimam, mas a partir do momento em que sem tem consistência e consciência da necessidade de continuar, mesmo não tendo feeed back positivo, o jogo vira.”

Anote duas dicas especialíssimas do consultor para sua página ‘bombar’!

  1. Humanize seu perfil: é interessante mesclar postagens pessoais no seu perfil comercial, pois pessoas se conectam com pessoas. Primeiramente, elas ‘compram você’, para depois comprarem o que você vende. Por isso, a interação com seguidores é muito importante, gera conexão e essa conexão gera relacionamento e o relacionamento gera vendas. Esse é o funil básico. Muitas pessoas não conseguem vender no Instagram porque querem comercializar um serviço antes de passar pelas etapas necessárias. É essencial um tempo para amadurecer essa relação antes da venda.  Essa é a fórmula transformadora de seguidores em clientes.

Desenvolva conteúdos informacionais: vejo isso como uma grande dificuldade, pois profissionais acham que devem fazer posts vendendo protocolos, mas antes disso têm de informar. Precisam gerar engajamento para depois vender. Não adianta encher seu Insta com poststagens de vendas, é necessário fazer essa mescla: posts comerciais, sim, mas a maioria deve ser de conteúdo informativo.

Somos uma empresa com coração e alma humanos. E a humanidade nos traz inquietude para buscarmos sempre o novo, discernimento para abraçarmos as causas certas, coragem para seguirmos adiante mesmo em face de tempos difíceis, orgulho para mostrarmos a grandiosidade do segmento brasileiro.

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.