Marketing de Influência

Estou cansada de ver um milhão de possibilidades que parecerem receitinhas supefáceis de bolo para atingir sucesso e fortalecer marca pessoal. Não acredito em teorias no estilo “receita pronta” para bombar Instagram, muito menos marca pessoal. Audiência não é influência.

Nos dias de hoje, não podemos mais achar que o número de likes ou ter milhões de seguidores e outras métricas que eram bastante comuns de engajamento, por si só bastam. A relação entre os consumidores e as marcas evoluiu para um modelo que clama por um conteúdo relevante e que faça sentido o compartilhamento. Um bom conteúdo é a base para qualificar sua influência, portanto trabalhar conteúdo com persistência fortalece sua marca pessoal.

Conhecer as características da sua audiência, saber os melhores horários para publicação e interagir com os usuários são algumas das opções da rede social que ajudam muito. Veja a seguir dicas para usar o Instagram de forma profissional e, com isso, alavancar sua carreira aumentando sua visibilidade e reforçando sua reputação.

1- Sua bio deve ser clara quanto ao que você oferece/faz. Como você pode ajudar sua audiência? Use também palavras-chaves e uma dica bacana é olhar o que seus concorrentes estão usando.

2- Conhecer sua audiência é determinante para entender o que ela busca encontrar no seu perfil, idealmente seus posts devem ir de encontro com os interesses do seu público.

3. Nas legendas, procure usar títulos que instiguem a leitura dos conteúdos e hashtags que sua audiência procura.

4- Consistência e disciplina ajudam bastante também! Quanto mais tempo sem postar, menos o Instagram vai entregar seus conteúdos aos usuários; quanto mais você posta e engaja com sua audiência, mais chances você tem de conseguir bons resultados de alcance e, consequentemente, crescimento orgânico.

5- É interessante você ter uma identidade clara na rede social e que te diferencia dos seus concorrentes. O que você faz que só você faz? Deixe isso claro em todo conteúdo que puder, vai ajudar muito no entendimento das pessoas no que você é bom e que, de fato, te diferencia.

6- Use um tom de voz que te aproxima, conecta e que realmente demonstre seu posicionamento dentro e fora das redes.

7- Seja autêntico, mas na medida. Não recomendo mostrar sua vida completamente “sem filtro”. Caso você queira compartilhar absolutamente tudo, é melhor então optar por um perfil pessoal para amigos próximos, mas no profissional foque no seu trabalho e tudo que tenha relação com ele. Uma pitada de vida pessoal é interessante, as pessoas que te seguem certamente têm curiosidades e vão gostar de acompanhar de alguma forma um pouco da sua rotina pessoal, os stories funcionam muito bem para isso!

8- Audiência não é sinal de Influência. Você sabe diferenciar audiência de influência, duas métricas tão significativas no ambiente digital? No sentido literal, audiência é a quantidade de pessoas que te seguem, que de alguma maneira chegaram até o seu perfil, se identificaram e permaneceram. Podem, ou não, interagir com você.  Influência vai além, não é uma métrica essencialmente quantitativa. É possível – e deve! – ser mensurada, mas é uma análise viva, que deve ser acompanhada e precisa refletir alguns valores importantes na relação entre a marca e o influenciador que, quanto mais alinhados estiverem, melhores serão os resultados para ambos. E aí, como marca, vale você entender a estratégia de influência da empresa e procurar fazer o mapeamento dos influenciadores cruzando as potências. A dica aqui é: para cada fase do funil de conversão, existem possibilidades de entregas diferentes e perfis variados podem ser considerados.

9- Para os influenciadores, uma coisa é fato: um bom conteúdo é a base de toda influência. Fazer conteúdo nunca será um trabalho em vão, muito pelo contrário, quanto mais você fizer, maior a oportunidade de estabelecer a conexão certa com a sua audiência e então gerar negócios à partir daí.

De maneira bem objetiva, e considerando tudo o que vivi através da minha experiência profissional identificando talentos e promovendo conexões entre marcas e influenciadores, destaco três dicas para profissionais e três dicas para empresas que desejam, de fato, se destacarem pelos papeis importantes que possuem perante suas respectivas audiências.

PROFISSIONAIS
Muitos me perguntam como fazer para serem notados pelas marcas ou para terem o destaque que buscam, caso já exista uma relação estabelecida.

1- Busque conexões verdadeiras com marcas que você admira, confia nos produtos e se sente seguro em usar e indicar para suas clientes.

2- Inicie a aproximação com a marca, esteja em cursos e eventos e se faça presente no ambiente digital deles.

3- Trabalhe sua marca pessoal on-line, mas não esqueça que ela é um reflexo do que você vive de fato no seu dia-a-dia (off-line). Seja consistente! A sua relevância se dará através dessa construção e de muita persistência.

MARCAS

1- Estabeleça conexões verdadeiras com influenciadores que comuniquem os valores e que tenham sinergia com a imagem que a marca quer transmitir; sem se deixar seduzir apenas por um alto engajamento numérico.

2- Desenvolva seus influenciadores! Não estimulem relações transacionais apenas, faça valer a pena e que tenha sentido para o crescimento profissional do seu parceiro também. 3- Esteja em contato! Não tem nada mais precioso quando a troca acontece e é aí que surgem as melhores ideias e projetos.

Adelaide Paiva @adepaiva é relações públicas e publicitária, apaixonada pelo universo da beleza. Tem na bagagem 18 anos dedicados até aqui ao mercado profissional.

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.