ESPECIAL DOSSÊ: 30 perguntas esclarecedoras sobre depilação a laser

Criada nos anos 1960, a técnica já passou por inúmeras transformações fantásticas, sempre com foco em atender necessidades que surgiam com sua popularização e o aumento do desejo de se livrar dos pelos. Diante de tantas mudanças é natural que até os profissionais tenham dúvidas, e as principais estão esclarecidas aqui

Shâmia Salem (@shamiasalem)

1. Nas redes sociais há inúmeros depoimentos de mulheres negras que tiveram a pele queimada pela depilação. Afinal de contas, qual o método mais seguro para elas?

“O equipamento de LED Holonyak usa uma tecnologia que utiliza uma largura de pulso muito maior, de até 750 ms, que entrega a energia necessária para a “morte” do pelo de forma mais cadenciada. Outro diferencial dele é a questão do resfriamento do spot, que consegue chegar até 15 graus negativo para trazer ainda mais segurança para fototipos altos, além de mais conforto durante a aplicação”, garante Felícia Bueno, fisioterapeuta técnica da Adoxy Equipamentos Eletromédicos e Estéticos.

2. Todo mundo tem pressa e ansiedade para ficar bonito. Diante disso, quais cuidados tomar ao realizar depilação facial a laser e procedimentos estéticos faciais no mesmo paciente?

“O cuidado mais importante é pedir para a paciente suspender o uso de ácidos dez dias antes da depilação. E mesmo assim não fazer a sessão se notar que a pele ainda está sensibilizada ou irritada por causa do cosmético. Também remarque o procedimento para outro dia se ela estiver queimada de sol ou com alguma ferida na área”, diz a dermatologista Mônica Moya.

3. E como fica a depilação em áreas do rosto que têm procedimentos injetáveis?

“Tratamentos estéticos podem ser realizados concomitantemente com a depilação, desde que eles não sejam realizados no mesmo dia. Associar o laser no mesmo local que está fazendo toxina botulínica pode fazer a substância migrar para outro local, provocando efeito indesejado, e ainda causar um granuloma de corpo estranho. O mesmo acontece com o ácido hialurônico injetável. Na prática, o ideal é fazer o laser e depois de 15 dias o procedimento estético. E evitar aplicar o laser por cima de onde foi feito ácido hialurônico também”, recomenda o dermatologista Abdo Salomão Jr., de Guaxupé (MG), especialista em laser e doutor em dermatologia pela USP e professor universitário.

4. Há mais de 16 milhões de diabéticos no Brasil. Esse paciente exige cuidados especiais para ser depilado?

 “Sim. É preciso redobrar a atenção com a sensibilidade da pele dele, que tende a ser ressecada, fina e com pouca elasticidade. Também é importante orientar que faça acompanhamento médico, mantenha a pele hidratada e tome bastante água”, diz Felícia Bueno, técnica da Adoxy.

5. Com tanta gente corrigindo o sorriso hoje em dia, há algum cuidado especial a tomar ou algum tipo de depilação a laser que não possa ser feito em quem possui lentes, aparelho ortodôntico ou usa próteses, por exemplo?

“Essas pessoas podem fazer tranquilamente a depilação a laser ou qualquer outro método depilatório. Falando especificamente sobre o laser, ele é disparado na pele, que é onde estão os pelos, e guiado pela melanina que dá cor aos fios. Portanto, não há risco algum nem para as gengivas, nem para os dentes, aparelhos ou demais acessórios odontológicos”, garante o dermatologista Cristiano Kakihara, de São Paulo.

6. O isolamento social imposto pela pandemia trouxe inúmeros efeitos colaterais, entre eles um aumento no número de casos de varizes e vasinhos. Quem tem esses problemas pode fazer depilação a laser?

“Independentemente de a depilação ser feita nas pernas ou no rosto, não há nenhuma contraindicação, já que o alvo a ser tratado e os parâmetros a serem usados pelas tecnologias são totalmente diferentes para essas duas queixas”, afirma o dermatologista Cristiano Kakihara. “Além disso, vasos e varizes estão no subcutâneo, enquanto o bulbo capilar está na derme; e a afinidade do laser é pela melanina, não pela hemoglobina que dá cor aos vasos e varizes”, completa o dermatologista Abdo Salomão.

7. O aquecimento provocado pelo equipamento de depilação pode favorecer o aparecimento de manchas em quem tem tendência ou está fazendo tratamento clareador?

“A linha para uma epilação a laser realmente efetiva e a queimadura da pele é muito tênue. Por essa razão, quando é utilizado altas energias, pode ocorrer a queimadura e logo em seguida a inflamação da pele. A pele inflamada faz com que os melanócitos derramem melanina profundamente na pele, o que se reflete em manchas. Chamamos isso de hipercromia pós-inflamatória. Além disso, em pacientes com tendência a melasma, o laser ou luz pulsada utilizado para epilar pode ser o gatilho das manchas ou piorar um quadro já existente”, esclarece o dermatologista Daniel Cassiano, professor de medicina da Universidade São Camilo, em São Paulo. Cuidado também se o paciente estiver usando clareador. “O produto usado normalmente é ácido, que deixa a pele sensível e, portanto, mais suscetível a lesões e queimaduras; e as duas podem provocar manchas”, esclarece a dermatologista Mônica Moya, de São Paulo.

8. Ainda é preciso passar lâmina nos pelos antes de fazer a sessão de laser? Inclusive no rosto?

“Sim! Para qualquer processo de depilação a laser é necessário o uso prévio da lâmina, sempre um dia antes da sessão, em todas as regiões, inclusive o rosto. Dessa forma, mantemos os fios íntegros dentro da pele, se comportando como verdadeiros condutores do calor do laser, levando o calor necessário para a destruição da raiz até as células mais profundas”, esclarece a fisioterapeuta com especialização em estética Ana Martins, coordenadora do grupo Dr. Laser.

9. Por que a depilação a laser não funciona para todo mundo? O que justifica algumas pessoas não ficarem satisfeitas com o resultado?

“Com o avanço tecnológico dos aparelhos, é cada vez menor o número de pessoas insatisfeitas com a depilação. Mas, fatores fisiológicos, como alterações hormonais, características do próprio pelo, como sua cor e espessura, ainda podem interferir nos resultados, e é importante esclarecer isso durante a anamnese”, avisa a coordenadora do grupo Dr. Laser, a fisioterapeuta Ana Martins.

10. Pelos grossos e escuros ainda são os que têm melhor resultado com depilação?

“Sim, porque nos pelos grossos e escuros existe uma maior quantidade de melanina. E, quanto mais melanina, que é o pigmento que dá cor à pele e também aos pelos, maior é a captação do laser e melhor o resultado”, esclarece a fisioterapeuta Ana Martins, da Dr. Laser.

11.  Quem tem pelo branco, tem opção?

“Infelizmente, até hoje não temos procedimentos rápidos para eliminação de pelos brancos. Há a epilação por eletrólise, porém, ela utiliza agulhas associadas com uma corrente elétrica ponto a ponto do folículo piloso”, esclarece a fisioterapeuta Felícia Bueno, da Adoxy.

12.  E quem tem pelo fino e claro, como faz?

Segundo a técnica da Adoxy, Felícia Bueno, para trabalhar com pelos claros é preciso pensar no foco do tratamento, chamado cromóforo alvo, conhecido como melanina. “Uma dica é fazer um teste para verificar se há a presença de melanina na região que se pretende depilar. É simples, basta puxar um pelo com pinça e verificar a dor da raiz dele. Se houver, os resultados da depilação serão satisfatórios”, ensina ela.

13. Áreas com pelos encravos podem ser depiladas ou precisam ser tratadas primeiro?

Segundo a fisioterapeuta do grupo Dr. Laser, Ana Martins, o laser é uma indicação fantástica para regiões com pelos encravados. “Se não há inflamação associada, os dois tratamentos podem acontecer simultaneamente. Porém, quando há foliculite, devemos controlar o processo inflamatório antes de realizar o laser”, pondera ela.

14. Grávida pode ser depilada, mesmo que em áreas longe da barriga e da região íntima?

“Por questões éticas, grávidas não participam de estudos científicos. Então, como não há confirmação de que os métodos de depilação tecnológicos sejam seguros para realizar nelas, não fazemos. E isso vale para o corpo todo”, esclarece a técnica da Adoxy, Felícia Bueno. Concorda com ela a dermatologista Fernanda Pereira, de São Paulo. “Cremes depilatórios também são contraindicados durante a gestação porque algumas substâncias da formulação podem irritar a pele. Sendo assim, entre as melhores opções estão as depilações feitas com cera e linha. O problema é que elas doem, especialmente para a mulher que fica mais sensível quando espera um bebê. Diante disso, recomendo o uso de lâmina, com cautela, claro, para evitar cortes que favoreçam infecções locais; ou o aparelho elétrico”, completa a médica.

15. Há alguma tecnologia que permita depilar quem está com a pele bronzeada?

“O LED Holonyak é liberado para fototipos mais altos, e também peles bronzeadas. Mas, mesmo assim, indicamos que a depilação seja realizada somente sete dias após a exposição solar”, pondera a fisioterapeuta Felícia Bueno.

16. Quem tem axila ou virilha muito escura, com manchas ou acinzentada, pode fazer depilação a laser?

“O equipamento de LED é indicado para todos tipos e tons de pele, desde fototipos 1 até os mais altos, como o 6, o que permite, inclusive, trabalhar áreas escurecidas de forma segura, eficaz e confortável”, garante a técnica da Adoxy, Felícia Bueno.

17. Muita gente lembra da depilação às vésperas do verão. Como permitir que a depilação a LED seja feita na estação mais quente do ano, e com segurança?

A técnica da Adoxy, Felícia Bueno, ensina: “Com o equipamento Holonyak realizamos o intervalo de 7 dias antes e 7 dias depois da exposição solar. Outra opção é parametrizar o fototipo da região que foi exposta ao sol trazendo mais conforto durante a aplicação”.

18. O profissional que não quer ou não pode diversificar os investimentos consegue ter um único equipamento de depilação em seu espaço e mesmo assim atender diferentes tipos de clientes?

“Falando especificamente do Holonyak, que usa o LED, ele foi pensado na população brasileira, por isso trabalha perfeitamente em ambientes de mais calor e com os mais variados fototipos. Ele possui ainda uma ponteira com tecnologia capaz de se manter resfriada do primeiro ao último atendimento do dia, largura de pulso autoajustável e aplicação por fototermólise seletiva, o que permite ao profissional atuar com mais rapidez e eficácia necessária para obter resultados independente do fototipo de seus pacientes”, afirma a fisioterapeuta e técnica da Adoxy, Felícia Bueno.

19. Com crianças e adolescentes cada vez mais vaidosos, a partir de qual idade a depilação a laser pode ser feita?

Segundo a dermatologista Mônica Moya, a partir de quando se começa a ter pelos mais grossos. “Muitas meninas que estão na puberdade querem se depilar e não há nenhum tipo de contraindicação nisso. A não ser que ela tenha alguma doença que piore com a luz do laser, como é o caso do lúpus e das convulsões. Daí a importância de fazer uma boa anamnese”, completa a médica. O doutor Abdo Salomão Jr. lembra ainda que antes da puberdade não se sabe a configuração genética dos pelos. “Alguns já iriam cair naturalmente e outros ainda vão aparecer. Daí a importância de esperar que o jovem paciente chegue à puberdade”.

20. Qual a diferença entre fotodepilação e depilação a LED?

A fisioterapeuta Felícia Bueno conta que a fotodepilação derruba o pelo e enfraquece e retarda o crescimento dele, mas o resultado não é definitivo, normalmente dura cerca de seis meses. “Já o LED utiliza da fototermólise seletiva, em que, por meio do calor concentrado no bulbo do pelo, realiza a cauterização do fio, oferecendo um resultado muito mais efetivo. Tanto que, dependendo da região, as manutenções só precisam ser feitas a cada dois anos”, completa ela.

21. Quem teve câncer e passou por quimio ou radioterapia pode fazer depilação a laser, já que, às vezes, os pelos que caíram voltam a crescer?

“Pode, sim, mas só se a pessoa já terminou o tratamento oncológico, está bem de saúde e foi liberado por seu oncologista”, destaca a dermatologista Mônica Moya.

22. Quais precauções tomar com pacientes que têm tatuagem?

“A depilação jamais deve ser feita sobre o desenho porque a tecnologia do aparelho será atraída pelos pigmentos da tatuagem. Com isso, ela não só pode desbotar e borrar como a pele também pode ser queimada, já que há uma concentração maior de alvo”, alerta a dermatologista Mônica Moya. “Para evitar problemas, sempre cobrimos as tatuagens com gaze e micropore branco”, conta a fisioterapeuta Ana Martins, coordenadora do grupo Dr. Laser.

23. Tudo bem depilar áreas próximas a regiões micropigmentadas, como buço, devido aos lábios, e a testa, por causa das sobrancelhas?

“A explicação é a mesma que foi dada em relação à tatuagem. Ou seja, há risco de provocar desbotamento do desenho e queimar a pele. É preciso redobrar a atenção e manter uma boa margem de segurança”, reforça a médica Mônica Moya.

24. Quais cuidados tomar ao depilar áreas de mucosa?

“Áreas de transição, como a mucosa vaginal, o buço feminino e o bigode masculino perto dos lábios são realmente especiais. Isso porque as mucosas não têm a camada de proteção da pele chamada camada córnea, por isso estão mais suscetíveis a queimaduras. Se isso acontecer, elas têm menos defesa e a recuperação é mais lenta. Então, tem que tomar todo cuidado, usar energias menores, deixar resfriar bem a pele, os pelos estarem bem aparados”, avisa o dermatologista Abdo Salomão Jr.

25. Afinal de contas, qual o intervalo ideal entre uma sessão e outra de depilação?

O doutor Abdo Salomão diz que o intervalo ideal entre as sessões é de um mês, nas três primeiras aplicações. “A partir daí, pode-se passar para dois meses, porque os pelos demoram mais para chegar novamente na fase anágena, que é a fase de crescimento dos fios”.

26. Nariz, orelhas, dedos… Há regiões que jamais devem ser depiladas?

“Todas essas áreas citadas podem ser depiladas, sim. Só pálpebras eu não recomendo, porque há risco de o laser atingir a retina e causar até mesmo cegueira”, alerta o dermatologista Abdo Salomão Jr.

27. Quais áreas do rosto e do corpo respondem melhor à depilação?

A fisioterapeuta Ana Martins diz que hoje praticamente todas as áreas respondem muito bem à depilação, destaque para aquelas que são queridinhas, como axilas, virilha, pernas, tórax e abdome. “Mas a barba ainda representa um desafio em termos de resultado, devido a grande quantidade de pelos, podendo ser necessárias mais sessões”, conta ela.

28. Quais cuidados devem ser realizados antes e depois da depilação, independentemente da tecnologia usada?

“A pele deve estar íntegra e hidratada para ser submetida ao laser. E, imediatamente antes da sessão da depilação, a região deve ser higienizada. Já no pós-laser, recomendamos a aplicação de um gel calmante com propriedades anti-inflamatórias e restauradoras”, diz a fisioterapeuta Ana Martins.

29. O que não é normal o cliente sentir durante a depilação? E o que fazer caso isso aconteça?

A fisioterapeuta Ana Martins, do grupo Dr. Laser, conta que com os lasers mais modernos o cliente percebe calor local, sem ardor. Pequenas fisgadas também podem ser relatadas. “No entanto, se durante a aplicação ocorrer calor e ardor, o procedimento deverá ser interrompido, imediatamente temos que aplicar no local compressas frias e, na sequência, um gel calmante”, lista ela.

30. Por que não dá mais para continuar usando o argumento de que depilação a laser é definitiva?

“Mesmo depois de fazer 10 sessões, sempre sobram alguns pelos, e eles vão continuar crescendo. Claro que bem mais finos, a ponto de praticamente não incomodar a paciente, mas eles estarão lá”, esclarece o dermatologista Cristiano Kakihara. Concorda com ele o dermatologista Daniel Cassiano. “O laser ou luz pulsada atinge o folículo piloso. No entanto, há células germinativas na pele, que não são destruídas. Após algum tempo elas reconstroem o folículo e o pelo volta a crescer. Essa região com células totipotentes nós chamamos de bulge”, completa o médico. “Acrescente aí que o estímulo hormonal também pode fazer o pelo voltar em regiões como buço, face, barba e tronco. É o caso da menopausa, que é um distúrbio hormonal pelo qual toda mulher vai passar”, conclui o doutor Abdo Salomão Jr.

Somos uma empresa com coração e alma humanos. E a humanidade nos traz inquietude para buscarmos sempre o novo, discernimento para abraçarmos as causas certas, coragem para seguirmos adiante mesmo em face de tempos difíceis, orgulho para mostrarmos a grandiosidade do segmento brasileiro.

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.