E-commerce é o negócio!

Se as vendas on-line já eram uma oportunidade, o ano de 2020 veio para coroá-las de vez – tanto para clínicas quanto esteticistas. A seguir, estratégias que deram certo para você se inspirar

Karina Hollo (@karinahollo)

Vamos aos fatos que, mais do que constatações do dia a dia, foram referendados com pesquisas profissionais sobre o tema: no mercado de luxo, 71% dos gestores da indústria acredita que o seu negócio digital crescerá 20% ou mais em 2021, de acordo com a análise da digitalização do setor realizada pela McKinsey & Company, em colaboração com o Círculo Fortuny. As vendas online do setor passaram a representar 23% do total em 2020, comparados aos 12% em 2019, e estima-se que venham a representar 30%, em 2025. E no setor da estética não é diferente. A crise gerada pela pandemia, em 2020, foi uma espécie de catalisador para a adoção dos caminhos digitais, causando um grande impacto no comportamento do consumidor, e vai além do vender online. O isolamento social aumentou as transmissões online na internet, por exemplo. As Lives no Instagram cresceram 70%, segundo o site Business Insider. “O nível de empreendedorismo no mundo da estética é crescente, uma característica que aumenta em períodos como esse. Mesmo durante a pandemia, lançamos equipamentos e somente neste ano já lançamos 4 novidades ainda há outras por vir”, fala João Augusto Geraldini, Gerente de Marketing e Comercial da HTM Eletrônica. “Com a impossibilidade da realização dos eventos presenciais, muito importantes e frequentes no mercado da estética, voltamos nosso foco para o meio digital e realizamos mais de 100 lives a partir de maio de 2000. Esse número representa o dobro dos eventos presenciais que aconteceriam no ano”, continua ele.

Fato é que o cenário de pandemia forçou uma transformação na forma em que vários profissionais operam. Para quem era dono de lojas, comércios e trabalhava com vendas físicas, essa mudança aconteceu de um dia para o outro e o mundo digital foi a salvação para manter o trabalho e não perder o lucro. De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), somente em março de 2020 surgiram 80 mil novas lojas virtuais. Além disso, o Compre&Confie aponta que, em abril, o e-commerce brasileiro faturou R$9,4 bilhões, um aumento de 81% em relação ao mesmo período de 2019.

Plataforma com promoções exclusivas

A rede GiOlaser, de clínicas de estética e depilação a laser, foi uma das que lançou e-commerce com vendas e promoções exclusivas durante o fechamento provisório das clínicas por conta da pandemia. A plataforma tem como diferencial a comodidade, mas, em especial, valores promocionais exclusivos para tratamentos de beleza durante o período de pandemia. A ideia é ampliar a capilaridade de negócios das 28 clínicas em operação, em oito estados brasileiros. O projeto foi pensado para complementar a loja física, ganhar mais proximidade com os clientes e favorecer a experiência de compra. Criou-se, inclusive, uma maneira de os clientes presentearem entes queridos em datas comemorativas. Durante tempos de isolamento social, os valores do e-commerce tiveram 30% de desconto, enquanto os de depilação a laser chegaram a custar 50% mais barato.

Vendas por Whatsapp

A Beauty House tomou uma série de medidas digitais que tem gerado bons resultados: criaram o site e apostaram no e-commerce, passaram a vender produtos home care via site e WhatsApp, deram consultas e consultorias de skincare on-line e criaram um sistema de agendamento via link. “Abri a empresa há 7 anos, comecei atendendo sozinha com apenas minhas mãos e um pote de creme em uma pequena salinha e fui ampliando. Há 3 anos, iniciei sociedade com a Thamiris Souza, especialista na parte de laser e tecnologia. Juntas aumentamos nossa equipe e também o número de atendimentos e não paramos mais de inovar!”, dizLetícia Diani, sócia proprietária da Beauty House. Ela conta que já queriam fazer o site há bastante tempo e diante da pandemia o enxergaram como um meio de divulgação indispensável. “As clientes gostaram bastante, muita gente nos conheceu nos últimos meses por meio do site. Além disso, geramos conforto e comodidade para nossas pacientes, além de ganhar credibilidade.” A clínica oferece serviços de consulta estética on-line (principalmente facial), auxílio na escolha de produtos de skincare para rosto e corpo, venda de produtos que vão melhorar a estética e facilitar os tratamentos estéticos como nutracêuticos naturais, chá drenante, chá anticelulite, entre outros. “Vendemos muito via Lista de Transmissão do WhatsApp e também pelo Instagram, onde fazemos a maior parte da divulgação. Muitas pessoas queriam cuidar da pele em casa, mas não sabiam por onde começar. Daí surgiu a ideia das consultas com dicas e uma espécie de consultoria para dar esse auxílio.” Uma ficha era enviada para a paciente, que respondia e marcava um horário. “Após a consulta fazemos a indicação, vendemos e entregamos os produtos para ela no conforto do lar. Tudo de forma online e segura.”

Mercado online aquecido

Notando a busca por cosméticos na internet já estava numa crescente, a marca italiana de dermocosméticos Ada Tina passou a dar mais atenção e direcionar investimentos para o canal digital. “Por causa da pandemia, constatou-se o aumento da preocupação com autocuidado, saúde de modo geral e a maior afinidade por compras online, sem a necessidade de sair de casa garantindo conforto e segurança”, fala Felipe Parada Seixas, assistente de marketing da marca. Foi o empurrão para fortalecer o e-commerce, chegando a triplicar o faturamento na loja on-line. ”A ideia de criar o site e apostar no e-commerce veio em 2014 e havíamos identificado o aumento da demanda por produtos cosméticos e de autocuidado, além da tendência e novas tecnologias para a compra e venda de produtos on-line, já em 2018. O público que procura pelos nossos produtos se mostrou muito apto a essas novas tendências, principalmente por consumirem muita informação e buscarem por promoções ou kits mais elaborados, o que fortaleceu ainda mais o mercado on-line e possibilitou maior praticidade e segurança na compra, além dos pontos de venda físicos propriamente ditos.” E ele ressalta ainda que a mudança exige muita rapidez e que o mercado on-line apesar de promissor é bastante agressivo, por isso todos os esforços e atenção são necessários, assim como a capacidade e a disponibilidade de adaptação. “Devido às exigências dos consumidores, abrimos também mais um canal de comunicação para Dermoconsulta Virtual Gratuita, disponibilizando atendimentos personalizados e indicações de protocolos específicos para maior comodidade dos nossos clientes e assertividade nas indicações dos nossos produtos.”

O mesmo aconteceu com a Barba Urbana B.URB, criada em 2015, que em 2020 viu a necessidade e a vontade de expandir seus negócios para o mundo digital. Sua loja virtual voltada para o público masculino traz produtos inovadores para alcançar uma parcela de consumidores que ainda desconhecem a marca gerando confiança, desejo e fidelização desse público. “A Barba Urbana percebeu que os clientes buscavam cada vez mais os cuidados em casa, em função da pandemia e também da mudança do comportamento de consumo. O e-commerce cresceu em 2020 mais de 70%, e acreditamos que vender on-line seja um caminho natural para a maioria das marcas, pela possibilidade de estar em contato direto com o consumidor final e perceber assim, com mais agilidade as demandas e oportunidades do nosso Mercado”, fala Lucas Walder, coordenador de Marketing da marca. “Enxergamos também a possibilidade de maior conexão e relacionamento com nosso consumidor final, o que nos ajuda na constante busca de excelência na qualidade de nossos produtos.” A escolha por iniciar as vendas online também foi pautada pelo respeito aos revendedores. “Não criamos um canal de vendas para eliminar outros, mas para potencializar o alcance a todos os públicos da marca”, diz ele, apostando que as vendas on-line farão, cada dia, parte da vida das pessoas de forma natural. E que todo mundo precisa estar preparado.

Mudança de foco

A Be Belle Cosmética Avançada já tinha sua loja virtual há alguns anos, mas inicialmente não era o foco da empresa se dedicar ao mercado online. A loja online existia como mais um canal de vendas da empresa. Em 2020 tudo mudou, a empresa viu seu faturamento com as vendas online crescer consideravelmente. A representatividade do e-commerce no faturamento da empresa subiu em média 40% e continua crescendo em 2021. “Entendemos que este crescimento aconteceu, naturalmente, pelo fechamento do comércio e dos atendimentos em clínicas de estética durante a pandemia”, fala Ludmila Bonelli, CEO da Be Belle. O cliente descobriu como alternativa fazer suas compras pela internet, sem precisar sair de casa, para que pudesse continuar cuidando da saúde e beleza, mantendo seus hábitos de skincare e de tratamentos estéticos corporais. Com essa mudança de cenário a Be Belle passou a investir em estratégias de vendas não apenas no e-commerce, mas no mercado de vendas online de maneira geral. E passou a ser procurada por grandes marcas do mercado brasileiro, como Drogaria Araújo, Droga Raia, Amazon, Beleza na Web e outros, para inserir nossos dermocosméticos em suas plataformas de vendas on-line.

De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), somente em março de 2020 surgiram 80 mil novas lojas virtuais.

Segundo o Compre&Confie em abril do ano passado (os dados deste ano ainda não estão fechados), o e-commerce brasileiro faturou R$9,4 bilhões, um aumento de 81% em relação ao mesmo período de 2019.

Somos uma empresa com coração e alma humanos. E a humanidade nos traz inquietude para buscarmos sempre o novo, discernimento para abraçarmos as causas certas, coragem para seguirmos adiante mesmo em face de tempos difíceis, orgulho para mostrarmos a grandiosidade do segmento brasileiro.

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.