Combinação perfeita

Nem orgânicos, nem inorgânicos. Os pigmentos híbridos podem ser o futuro na micropigmentação para lábios e sobrancelhas

Karina Hollo (@karinahollo)

Os pigmentos orgânicos têm maior fixação e cor mais intensa. Os inorgânicos são ótimos, mas menos duráveis. E eis que surgiu uma nova geração, híbrida, que promete mudar a micropigmentação para lábios e sobrancelhas. Venha saber mais sobre cada um deles!

Orgânicos X inorgânicos

Os pigmentos orgânicos são todos aqueles derivados de componentes naturais como madeira, papel, lã, carbono e plantas. “Estes pigmentos apresentam também um brilho mais intenso quando aplicados na pele, diferentemente dos inorgânicos, que por sua vez têm resultados mais opacos”, fala a Daniele Demiquili, especialista em micropigmentação de sobrancelha, revitalização de lábios e reconstrução de mamas e lábio leporino. Ambos têm suas particularidades, pontos positivos e negativos e cabe a cada profissional fazer sua avaliação pessoal e definir qual tipo usar para determinada técnica. “Os dois vão conferir cor à pele e se forem aplicados com a expertise, terão a mesma durabilidade que a técnica permite”, diz Daniele. No entanto, eles têm parâmetros distintos de aplicação. “Uma característica do pigmento orgânico é que ele tem a permeabilidade facilitada, enquanto o inorgânico, devido à sua estrutura química, se mantém mais na superfície. Por isso, é fundamental dominar a técnica em implantação de pigmentos”, fala Dany. Ela ressalta que para ter uma maior fixação é necessário fazer o procedimento de fios com mão leve, trabalhar superficialmente na pele, fazer poucas passadas para implantação, trabalhar sobre uma região bem higienizada e ter a altura da agulha bem ajustada. “Os pigmentos orgânicos permitem a obtenção de todas as nuances de cores e todos os níveis de resistência, tem mais brilho e transparência, são ideais para lábios, já os pigmentos inorgânicos têm maior opacidade e poder de cobertura e de tingimento. Sendo ideal para sobrancelhas, delineador e camuflagens”, analisa a micropigmentadora Thaís Giraldelli.

Pigmentos orgânicos

Entre seus pontos positivos, está um risco menor de alergia. “Os pigmentos orgânicos são perfeitos para uso na micropigmentação de lábios, pela variedade de tons e pela fixação”, diz a micropigmentadora Thaís Giraldelli. Também oferecem maior brilho nos resultados, o que traz maior realismo e maior variedade de cores. Além disso, são mais fáceis de remover com laser. “Os orgânicos geralmente são pigmentos que têm um brilho muito intenso. Na hora de aplicar, ele pega muito rápido na pele e se o profissional não sabe usar ou não tem técnica para trabalhar com esse tipo de pigmento, geralmente a cor fica bastante saturada e com o tempo é possível enxergar o fundo acinzentado”, diz Leonardo Velloso, representante da Star Color. No entanto, com o tempo, os pigmentos orgânicos tendem a deixar resíduos acinzentados nas regiões aplicadas. “Os pigmentos orgânicos são feitos à base de componentes naturais como madeira, plantas, carbono, frutas e vegetais e por este motivo, têm tons e cores mais ricas e brilhantes, portanto, são permeáveis e podem se misturar à pele mais facilmente. Isto pode resultar em maior dispersão da cor podendo ser absorvido pela pele e acabar esfumando”, alerta Priscilla Kajihara, especialista em micropigmentação de sobrancelhas. Eles não sofrem alterações de cores. “Mas com o uso diário de produtos químicos como cremes hidratantes, ácidos, anti-idade entre outros, podem tirar o brilho e a vitalidade deles”, observa Priscilla. A exposição solar excessiva também pode afetar negativamente a cor do pigmento. “São indicados para todos os tipos de peles e situações, porém, têm melhor resultado em peles secas”, diz.

Pigmentos inorgânicos

Elestêm custo levemente inferior comparado aos orgânicos, oferecem resultados mais opacos – o que para algumas técnicas pode ser favorável. Porém, existe maior chance de desencadear alguma reação (mesma que mínima), pouca variedade de cores e, com o tempo, a cor residual é o vermelho ou laranja, mais difícil de ser removida. “Os pigmentos inorgânicos têm como principal ingrediente o óxido de ferro, normalmente associado a outros ácidos que contém metais como chumbo, arsênico e mercúrio, além de outros aditivos químicos. Por este motivo, ao ser implantado na pele pode causar uma reação alérgica”, alerta Priscilla. Seus tons são mais opacos e menos intensos, o que resulta em uma cor mais sólida e não transparente, sendo mais indicados para tatuagens. “Devido ao alto teor de ferro, pode sofrer alterações de cor com o tempo devido à oxidação dos metais.” Além disso, não podem ser expostos a máquinas de ressonância magnética, principalmente se forem usados na região dos olhos e lábios. “O óxido de ferro é altamente condutor e a corrente eletromagnética pode aquecer esses metais podendo causar até mesmo queimaduras”, fala Priscilla.

Pigmentos híbridos

“Os pigmentos híbridos, descartam a possibilidade de resultados acinzentados ou avermelhados e são perfeitos para sobrancelhas e delineador”, conta Thaís. Nos lábios, eles vão garantir uma maior durabilidade e acabamento mais opaco. “E assim, conseguimos o melhor dos dois mundos: a estabilidade e gama de cores do orgânico e a durabilidade e fixação do inorgânico”, fala ela. Ah! Eles serão tratados como inorgânicos quando a avaliação para remoção a laser for necessária. “O óxido de ferro adicionado para melhor fixação e duração do pigmento na pele é sintético, o que elimina o perigo de reações alérgicas e pode ser exposto a correntes eletromagnéticas como o exame de ressonância sem o perigo de reações”, fala Priscilla. Ela conta que na micropigmentação labial, por exemplo, os pigmentos são basicamente vermelhos e laranjas. “Essa coloração sai facilmente da pele, porém com a adição do óxido de ferro sintético, fixa muito bem e resulta em uma coloração suave e natural.” O grande ponto positivo deste tipo de pigmento é que tem a qualidade de cores vivas dos orgânicos com a ótima fixação e nitidez dos inorgânicos, porém mais seguros por serem sintéticos. “Os pigmentos híbridos vêm para preencher todas as necessidades, porque conseguimos trabalhar com qualquer tipo de pele, seja mais oleosa, mais seca e desvitalizada, basta fazer o ajuste da cor”, diz Leonardo. “Nos lábios os pigmentos usados são orgânicos e só se usa pigmento inorgânico, no caso seria o dióxido de titânio, quando precisa clarear as cores. Então quando a profissional trabalha bem com essas cores mais claras, a gente tem uma fixação muito boa e uma neutralização formidável”, continua ele. O grande benefício que os pigmentos híbridos trazem é uma degradação que faz com que a cor fique muito fiel, desde a hora em que ela é aplicada, até depois de alguns meses quando começa a sair. “No final, sempre temos um tom de castanho mais claro, nunca temos o vermelho como com os inorgânicos ou acinzentados como vemos com os pigmentos orgânicos”, finaliza ele.

Somos uma empresa com coração e alma humanos. E a humanidade nos traz inquietude para buscarmos sempre o novo, discernimento para abraçarmos as causas certas, coragem para seguirmos adiante mesmo em face de tempos difíceis, orgulho para mostrarmos a grandiosidade do segmento brasileiro.

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.