Aprendizagem online: caminho sem volta

Estudar de forma remota permite atualização constante adequada à necessidade técnica de cada profissional bem como ao seu estilo de vida

Carmen Cagnoni (@carmencagnoni)

Entre vários pontos favoráveis, economia de tempo e de dinheiro, bem como flexibilização de horários, tornaram os cursos online grandes vedetes da temporada. Porém, engana-se quem imagina que a tendência chegou com a pandemia do coronavírus e vai embora quando a crise de saúde for superada. Esse meio de ensino já está consolidado e deve conquistar cada vez mais alunos nos próximos anos. “Sem levar em consideração a pandemia, que antecipou essa tendência, o mundo já caminhava para o ensino online. Quem estava resistente foi forçado a se voltar para esse mundo. O que ia acontecer em cinco a 10 anos foi antecipado”, constata Ricco Porto (@riccoporto), esteticista e massoterapeuta, professor e palestrante especialista em Docência e Gestão, e mestrando em Educação. Ricco ministra cursos online desde 2014 e já impactou mais de 12.500 alunos somente através dessa via de ensino (sem contar aqueles que participaram de aulas presenciais).

O sucesso pode ser explicado pelo fato de há muito a especialização ser qualidade extremamente valorizada, e o universo digital torna mais democrático o acesso ao conhecimento. Se isso acontece em todas as áreas, imagine a infinidade de opções de cursos e treinamentos disponíveis no setor da Estética, mercado altamente importante no nosso país e cuja categoria dos profissionais é reconhecida mundialmente.

“Nada substitui os eventos presenciais, o olho no olho, a experiência e a vivência da prática clínica ao vivo, isto é fato, mas os cursos online vieram para ficar. Perceba a dinâmica e as oportunidades que essa ferramenta oferece. Valor acessível, autonomia, flexibilidade, comodidade, entre vários outros benefícios. O fato é que manter-se em uma carreira ascendente e estruturada não é uma tarefa simples. Por isso, de acordo com a teoria da evolução de Charles Darwin, quem sobrevive não é necessariamente o mais forte e, sim, o que melhor se adapta às condições do ambiente em que vive”, pondera Ana Cláudia Petkevicius (@anaclaudiapetkevicius), esteticista, cosmetóloga, empresária do setor há 27 anos e coordenadora científica do Congresso Internacional de Estética da Estética in São Paulo/Rio/NE/Sul.

VALOR CONQUISTADO

É verdade que no passado, cursos à distância geravam desconfiança, grande parte do mercado torcia o nariz para essa forma de educação. Hoje isso são águas passadas e, novamente, não só pela fase na qual vivemos, mas pela qualidade que instituições e profissionais agregaram à transmissão tecnológica do conhecimento. Assim, a qualificação por meio digital é vista com bons olhos pela maioria e quem nunca fez um curso online para conhecer uma nova técnica, se aprofundar num problema ou conhecer um novo ativo, por exemplo, é visto até com desconfiança: “Como assim, você nunca fez um curso online? Não acredito!”.

O Dr. João Tassinary (@joaotassinary), graduado em Fisioterapia e em Biomedicina com Ênfase em Estética, mestrado em Ambiente e Desenvolvimento e doutorado em Medicina e Ciências da Saúde na área de Clínica Médica, foi pioneiro na criação de uma plataforma de cursos online voltados para o setor da Estética. A Estética Experts (@esteticaexperts) surgiu em 2017, hoje são mais de 400 horas de conteúdo disponível, com base na Estética Científica, para quem deseja aprender, onde e como quiser. “A plataforma nasceu com a finalidade de ampliar o conhecimento científico da Estética com ênfase em face e corpo. A ideia central deste projeto é transformar a Estética por meio da Ciência e levar conteúdo sem nenhum tipo de conflito de interesse para que profissionais de todos os cantos do Brasil e de outros países possam estudar como e quando quiserem. Mais de 150 mil pessoas já foram impactadas pela marca Estética Experts, seja com algum produto, seja com algum conteúdo”, detalha Dr. Tassinary.

“No início da pandemia, todos estávamos muito inseguros sobre o futuro, o que iria acontecer… Na época, eu pensei muito sobre minha carreira construída no presencial. O online me acompanhava desde 2014, porém era algo secundário, e foi muito interessante como se tornou minha atividade principal. Desde que comecei a usar essa ferramenta de educação, foi o melhor ano para o digital, o resultado me surpreendeu, bem como a toda minha equipe. Isso fez com nosso mindset mudasse e, mesmo com o retorno forte dos encontros presenciais, as conquistas do online só tendem a crescer”, analisa Ricco Porto.

MUDANÇA NO OLHAR

Apesar do avanço no setor, há quem ainda precise se adaptar ao virtual. Vânia Machado (@vaniamachadopmu), micropigmentadora, empreendedora e coordenadora científica do Congresso Internacional de Micropigmentação da Estética in São Paulo/Rio/NE/Sul, analisa que “logicamente, eu que sou uma professora das antigas, tinha um pouco de resistência ao online em virtude de entender a minha necessidade de enxergar in loco o que o meu aluno precisa, como a técnica está sendo feita por ele. Porém, nós utilizamos as nossas mãos para executar algo que aprendemos primeiramente no intelecto, então toda informação começa no conhecimento para depois ser aplicada. Por isso, acredito que os cursos online são maravilhosos no momento em que o que falta muitas vezes é o conhecimento, e o profissional percebe isso na hora em que está aplicando uma técnica. E é notório a quantidade de informações que nós conseguimos transmitir durante um curso online”, afirma.

Para um bom aproveitamento por parte do aluno, Vânia recomenda dedicação: “Algo que me preocupa é que muitas vezes o aluno acho que basta fazer um download e pronto. Não precisa assistir ao conteúdo com atenção plena, anotar, aplicar, treinar. Ele tem de se fazer presente mesmo no curso online. Muitos não dedicam o tempo suficiente ao aprendizado e não estudam da forma que deveriam, no entanto, acabam colocando ‘a culpa’ no professor. O que eu aconselho a todos é tirar no mínimo 30 minutos por dia para rever uma aula, anotar, refazer exercícios, pois é isso que facilita o entendimento e o aprimoramento naquele tema. Então, temos aí duas vertentes: a parte de absorver conhecimento e a parte de colocar esse conhecimento em prática”.

No quesito de ver uma aula (e rever) quantas vezes foram necessárias, a educação digital marca muitos pontos. Como as aulas ficam gravadas, são infinitas as possibilidades de aproveitamento do conteúdo: “Daqui a um mês, por exemplo, você vai voltar naquele conteúdo, é como se você tivesse a oportunidade de fazer um curso várias vezes pagando uma única vez”, destaca.

CAMINHO ABERTO

“O que me fez iniciar no modo online foi uma mudança para o Canadá, em 2016, quando passei a receber muitas mensagens de ex-alunos de cursos presenciais solicitando que eu continuasse a ministrar cursos livres. Foi então me inspirei nessas mensagens, muitas de pessoas que moram no interior do Brasil, afastadas dos grandes centros urbanos, que não têm acesso aos cursos presenciais oferecidos nas grandes capitais, como São Paulo e Rio de Janeiro, ou não têm condições financeiras para pagar curso e arcar com despesas viagem, ou seja, de se atualizarem com facilidade”, conta a professora Gabriela Tuller (@gabituller), com 203 mil inscritos no seu canal no YouTube. “Eu ministrei cursos presenciais por 10 anos. É claro que existem vantagens em desvantagens nas duas modalidades. Perante a lei, a validação será a mesma em todo território brasileiro”, complementa.

Quem deseja ingressar nessa área da educação precisa se preparar. William Lin (@williamlin_i9c), head trainer do Instituto i9c Treinamentos (@institutoi9c), master practitioner em Programação Neurolinguística (PNL) e com formação em Coaching Integrado e Psicodinâmica Aplicada a Negócios, alerta: “É primordial é ter segurança na informação. Vejo muitos profissionais que têm conhecimento, mas não transmitem força. Ter segurança e confiança no que está transmitindo é um ponto primordial para quem pretende ingressar nessa área. A pessoa precisa trabalhar uma técnica de PNL chamada rapport para desenvolver conexão. Porque se não houver conexão com quem está assistindo à aula, o professor pode ter conhecimento, mas provavelmente não conseguirá prosperar no segmento”, analisa.

Participar de treinamento específico para se preparar é um ponto importante para o profissional do setor que pretende compartilhar conhecimento e fazer desse método de educação mais uma fonte de atuação. No Instituo i9c existe um curso, por exemplo, denominado Conexões Humanas, onde se aprende a criar conexões usando a técnica rapport. “Trabalhar empatia e sintonia para desenvolver a melhor conexão com os futuros alunos por meio da escuta ativa, da percepção, dos pontos de conversão, da linguagem corporal, da postura frente à câmera, da adoção de imagem que transmita segurança – são vários fatores envolvidos, pois não é só ter segurança na fala, mas na postura também. A vestimenta, por exemplo, é importante a fim de transmitir essa imagem de profissional de sucesso. Não é possível fazer de forma informal”, recomenda.

Quem realmente quer ingressar nessa área e ter sucesso deve investir em entregar valor e não apenas ver a nova atividade como mais uma fonte de renda, como orienta o head trainer: “Essa questão de acompanhar o aluno, criar métricas para você poder ir além do que ele contratou, eu chamo de gerar valor e entregar algo a mais. Isso provoca o momento WOW, que é quando o cliente compra um produto ou serviço e recebe mais do que o contratado (ou comprado). Você entrega algo a mais, pode oferecer um bônus, por exemplo, mas algo bacana, bem-feito, surpreendendo o cliente (cuja cultura leva a pensar que o que vem de graça não tem tanta qualidade). Isso é feito por quem cresce no mercado. Se você pretende fazer parte desse grupo, busque referências que nivelam o mercado por cima”.

Ricco Porto, por exemplo, assim como professor reconhecido na área, também é aluno e está sempre em busca de aprimoramento. “Assisto tanto a cursos presenciais como digitais. Como estou investindo nisso, para desenvolver técnica tem de aprender primeiro. Por isso, estou sempre atento às práticas de cursos de colegas no Brasil e no exterior, buscando novidades, descobrindo o que o mundo está vendo e pensando se e como aquilo se aplica aqui”, revela. Segundo ele, é preciso aprender, praticar, errar, acertar, treinar, antes de pensar em dar aulas. “A área da educação não pode ser encarada como uma aventura. É preciso se preparar bem, dominar o tema e isso não acontece de um dia para outro”, reflete.

Sendo assim, prepare-se bem antes de mergulhar nesse universo. Domine o tema, estude-o profundamente, pratique as técnicas, conheça cada ação do ativo em questão, por exemplo. E treine com antecedência. “Antes de lançar o seu curso, faça um teste. Selecione um grupo de pessoas, preferencialmente com as quais não tenha ligação afetiva, e peça uma avaliação do seu material, do seu potencial, da sua didática, da sua postura. Ouça as críticas e use-as a seu favor para realmente oferecer conteúdo interessante e valioso. Assim, o seu sucesso como professor, e o de seu aluno, estará a caminho da prosperidade.

VANTAGENS À DISTÂNCIA

Se você ainda duvida, hora de mudar de opinião porque os fatos comprovam os benefícios do online.

  • Economia de tempo.
  • Valores mais acessíveis se comparados ao presencial.
  • Flexibilidade de horário.
  • Participação em grupos de alunos para trocas de experiências e network.
  • Possibilidade de rever as aulas quantas vezes necessitar.
  • Aumento do networking.
  • Possibilidade de múltiplos estudos em determinado período.
  • Contato com profissionais de todos os cantos do país e, em determinados casos, do mundo.


COMO MONTAR UM CURSO ONLINE

Se você deseja compartilhar seu conhecimento, e ainda transformá-lo em mais uma fonte de renda, precisa ter em mente que o sucesso depende, além do seu conhecimento e competência, de um bom planejamento. Não tente abraçar o mundo abordando vários temas ou técnicas de uma vez, foque em um tema específico em cada módulo. O recomendado é procurar um especialista em ferramentas digitais para cuidar dos detalhes técnicos, como em qual plataforma o curso ficará hospedado e quais ferramentas de vendas serão utilizadas. Porém, há pontos fundamentais que podem ser definidos por você, como:

  • Elaboração do projeto – defina o público (persona) que pretende atingir (qual faixa etária, o que busca aprender, quais suas necessidades e seus desejos, onde busca conhecimento, que tipo de linguagem utiliza, como o seu curso pode ajudá-lo e por que ele deveria assisti-lo), analise a concorrência e elabore um plano para atingir o perfil desejado.
  • Definição do conteúdo e plano de aula – quantas aulas serão necessárias para transmitir o que pretende ensinar? Ou, em vez de uma aula longa, de 90 minutos, por exemplo, você pode optar por módulos mais curtos, a fim de não ‘cansar’ o aluno.
  • Planejamento da divulgação e do plano de marketing – o mais recomendado é utilizar suas redes sociais, Instagram, Facebook, WhatsApp, Telegram, por exemplo, para divulgar gratuitamente o curso. Há anúncios pagos também, no caso, é preciso contatar os canais responsáveis em cada uma das redes.
Somos uma empresa com coração e alma humanos. E a humanidade nos traz inquietude para buscarmos sempre o novo, discernimento para abraçarmos as causas certas, coragem para seguirmos adiante mesmo em face de tempos difíceis, orgulho para mostrarmos a grandiosidade do segmento brasileiro.

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.