Anamnese

Este é um dos temas mais desprezados pelo profissional de Micropigmentação e é justamente aquele que pode impedir o acontecimento de graves erros. Durante muitos anos, devido ao pouco acesso à informação, muitos profissionais aprendiam a arte da Micropigmentação sem, no entanto, se preocupar com algo realmente imprescindível, o estado geral de saúde de nossas pacientes (clientes), seu estado emocional e aspectos importantes do tipo de pele que ela possui. Com a globalização trazida pela internet, o acesso às informações ficou muito mais fácil e ainda assim muitos profissionais executam um procedimento tão sério sem informações mínimas necessárias para o melhor desenvolvimento.

A Anamnese é basicamente um questionário de perguntas e respostas onde o profissional micropigmentador deve buscar informações que levem à indicação ou contraindicação de determinado procedimento, insumo ou técnica. Na Micropigmentação, a Anamnese não deve ser restrita apenas a um questionário, mas, também, devemos nos utilizar da parte sensorial, pois, ao tocar na pele nós podemos sentir se é uma pele fina, flácida, espessa, dentre outros aspectos; e, na parte visual, perceber se a pele está hiperemiada, lesionada, irritada etc. Desta forma, é mais fácil detectar anormalidades que podem afetar o resultado final.

Por isso, é fundamental entender a importância de dialogar com a cliente, em vez de lhe oferecer um simples questionário onde ela marcará sim ou não para perguntas , muitas vezes, nem entende.

O profissional de Micropigmentação deve estudar a fim de reunir conhecimentos gerais de saúde, principalmente no que se refere à anatomia e fisiologia da pele (Sistema Tegumentar). Na Anamnese, além das informações como nome, idade e sexo, devem constar também perguntas como:

  • Possui alguma doença autoimune? Qual? Está em fase aguda?
  • Tem algum tipo de alergia?
  • Possui glaucoma?
  • Está amamentando?
  • É portadora de herpes?
  • Possui anemia?
  • É hipertensa? Faz tratamento? É controlada?
  • Possui cardiopatia?
  • Possui HIV? Faz tratamento?
  • Possui alguma patologia circulatória?
  • Já se submeteu a cirurgia estética facial? Se sim, há quanto tempo?
  • Está grávida?
  • Possui diabetes?
  • Possui hepatite?
  • Possui alguma doença dermatológica?
  • Tem relato de má cicatrização?
  • É fumante?
  • Usa marca-passo?
  • Já se submeteu a algum procedimento de Micropigmentação?
  • Utiliza regularmente algum medicamento comum ou controlado?
  • Já injetou algum produto estético na região a ser micropigmentada?
  • Está em tratamento de alguma doença crônica ou aguda?

As perguntas acima norteiam o profissional quanto à presença de alguma patologia, dando-lhe noção sobre o aspecto geral da saúde da paciente. Há outras perguntas desprezadas, mas que são indispensáveis. Por exemplo: qual é o tipo de trabalho que ela exerce e suas atividades diárias, como é sua  alimentação e também os cuidados estéticos que habitualmente ela se submete.

É importante que o profissional monte sua Anamnese em função das técnicas que utiliza e do seu próprio conhecimento sobre saúde. Por qual motivo o profissional precisaria saber se a paciente tem glaucoma ou se já se submeteu a cirurgia estética facial se ele só trabalhar com aréolas mamárias? Também não vai interessar se a paciente implantou próteses mamárias se ela só quiser micropigmentar as sobrancelhas ou o couro cabeludo.

Existem contraindicações impeditivas e relativas. Como o próprio nome já diz, as contraindicações impeditivas impedem a execução do procedimento, e as relativas podem impedir ou não, dependendo de cada caso.

Exemplos de impeditivas:

– Febre, pois indica que há alguma infecção ou inflamação grave;

– Alguma doença em sua fase de manifestação aguda, como as doenças autoimunes;

– Gravidez, pois, embora ainda não haja estudos assertivos sobre esta contraindicação, é sabido por todos que é uma condição delicada da mulher.

Exemplo de relativas:

– Diabetes, visto que um paciente diabético, se estiver com suas taxas sob controle, pode até mesmo ser submetido a uma cirurgia, então assim poderia submeter-se a uma micropigmentação. Neste momento, vale lembrar que o profissional deve evitar utilizar técnicas mais agressivas como o Microblading e optar por técnicas mais suaves para um efeito Shadow (Esfumado), feitas com o dermógrafo, consequentemente menos agressivas;

– Período de aleitamento materno;

– Fases crônicas de doenças autoimunes, como a rosácea e o lúpus.

Em todos os casos, nada melhor do que a paciente buscar a orientação do seu próprio médico, de forma documentada a ser repassada ao profissional de micropigmentação que irá atendê-la.

Durante a Anamnese, ao tocar na pele e sentir a sua textura, o profissional poderá decidir qual seria a técnica mais indicada para cada caso. É mandatório que o profissional tenha conhecimento sobre os tipos de pele e suas características, para que se faça uma análise assertiva a fim de diminuir contratempos após o procedimento. Atualmente, o profissional em Micropigmentação conta com diversos canais informativos para sua melhor formação.

– Cursos livres, desde que oferecidos por professores bem formados, e com experiência;

– Cursos on-line;

– Pós-graduação em Dermopigmentação – só pode ser realizada por profissionais que já tenham concluído uma graduação (faculdade). Academicamente falando, este é o nível máximo de aprendizagem para o profissional micropigmentador, pois além de possuir informações com embasamento cientifico, ao concluir suas obrigações acadêmicas ele recebe o Título de Especialista com reconhecido pelo MEC. Compreender as bases teóricas da Micropigmentação garante uma excelente execução prática e melhores resultados na pele do seu cliente, por isso é crucial dedicar-se e investir seu tempo em sua melhor formação.

Sidney Duarte @sidneyduarterj é professor e coleciona inúmeras conquistas no cenário da Micropigmentação. Em parceria com o professor Léo Calheiros @drleocalheirosrj há 25 anos, foi pioneiro em muitos projetos da área, bem como na implantação do primeiro Instituto dedicado somente à prestação de serviços em Micropigmentação, na zona norte carioca, bem como no ensino itinerante da Micropigmentação, formando inúmeros profissionais de sucesso em todo o país.

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.