7 Questões sobre a técnica de drenagem linfática

A drenagem linfática, também conhecida como Linfoterapia, é uma técnica envolta por uma série de dúvidas. Há inúmeros mitos que rondam a modalidade terapêutica e tal fato é comprovado pelos vários questionamentos de clientes que procuram o profissional do setor para realizar o tratamento. A fim de oferecer o melhor atendimento à sua cliente, e evitar desapontamentos, é importante ter as respostas corretas para dirimir qualquer questão.

  1. Drenagem faz perder gordura

A eliminação de gordura passa por um processo bioquímico e depende da ativação do AMP cíclico (molécula na transdução de sinal em uma célula), que ativa a enzima lipase que age na quebra da molécula de gordura. Uma massagem manual não ter o poder de ativar a lipase porque não retira o açúcar circulante do organismo.

  1. Drenagem dói.

A dor é um dos sinais de que nosso corpo está sofrendo uma inflamação – e toda inflamação gera um edema. A drenagem tem como objetivo tirar esse edema (inchaço).

  1. Drenagem causa metástase.

O sistema linfático é a região onde as células cancerígenas podem se espalhar pelo corpo. Não se pode culpar a drenagem. Toda contração muscular faz o sistema linfático trabalhar. À toda contração muscular é realizada uma drenagem. Há artigos científicos que demonstram que pacientes com câncer de mama que foram divididos em dois grupos – das que fizeram drenagem e das que não fizeram – tiveram menos metástase quando submetidas à drenagem.

  1. Drenagem tem idade certa para ser realizada.

Os problemas de sistema linfático podem ocorrer em qualquer idade, inclusive em crianças portadoras de problemas congênitos, como Linfedema Primário Congênito. Nestes casos, é necessário fazer a drenagem logo no início da vida. Já atendi crianças de 9 meses até 6 anos, por exemplo.

  1. Drenagem diminui medidas.

Adrenagem linfática é capaz de reduzir medidas, sim, uma vez que pode eliminar o inchaço causado pelo acúmulo de líquidos. No entanto, o procedimento não emagrece haja vista que o que se perde é líquido e não gordura.

  1. Drenagem não se beneficia de exercício físico.

Todo o qualquer movimento corpóreo já promove uma drenagem de líquidos. No entanto, a prática de atividades físicas atrelada à técnica de drenagem linfática pode trazer inúmeros benefícios, pois melhora a circulação sanguínea e faz com que o ácido lático, produzido durante os exercícios (especialmente os de alto impacto), também seja drenado, o que atenua as dores e causa relaxamento.

  1. Drenagem Linfática não pode ser feita diariamente.

Se a paciente apresentar muita retenção de líquidos, a drenagem linfática pode ser indicada diariamente ou, no mínimo, três vezes por semana para obter resultados satisfatórios.

Daniel Zucchi Fisioterapeuta e mestre em Bioengenharia pela Escola de Engenharia da USP – São Carlos, especializou-se em Drenagem Linfática e foi pesquisador do tema durante oito anos na Escola Internacional de Terapia Linfática da Clínica Godoy, em São José do Rio Preto, interior de São Paulo (SP). Com diversos artigos publicados no Brasil e no exterior, é docente universitário há mais de dez anos e coordenador científico do Instituto Daniel Zucchi de Estética Avançada, único centro de referência em Linfoterapia Estética do Brasil.

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *