Vamos falar sobre olheiras?

0
1039

Queixa frequente nos consultórios estéticos e de dermatologia, a Hiperpigmentação Periorbital, hiperpigmentação Peripalpebral ou “dark eyelids”, mais conhecida como Olheira, pode influenciar e estar relacionada à qualidade de vida, uma vez que está intimamente ligada e/ou provoca aparência de cansaço.
As causas são multifatoriais, e envolve fatores, intrínsecos – genéticos e extrínsecos, tais como exposição solar excessiva, etilismo, tabagismo, diminuição e má qualidade do sono.
Basicamente, encontramos dois tipos de olheiras. As causadas pelo excesso de melanina, e àquelas predominantemente de origem vascular, porém, em sua maioria encontramos a associação dos dois fatores relacionados.
A exposição solar excessiva e por período prolongado, aumenta a produção de melanina, promove diminuição da espessura da pele e causa vasodilatação, o que em mulheres adultas com fototipos intermediários (principalmente morenas), predispõe o aparecimento da hiperpigmentação periorbital melânica.
A anatomia da região ocular também pode influenciar na aparência das olheiras. Isso porque algumas pessoas apresentam uma depressão maior na região palpebral, formando uma sombra, e causando um escurecimento local.
Já descendentes de turcos, árabes, ibéricos e hindus, apresentam intensa vascularização. Sendo assim, a região periorbital apresenta coloração escurecida, devido a facilidade de visualização desses vasos, e assim, há hiperpigmentação periorbital por transparência da pele.
Nesses casos, o diagnostico é feito através da tração da pele da pálpebra inferior para melhor visualização por então, transparência, sob a pele dos vasos. Se ainda assim, houver outros fatores relacionados como insônia, cansaço ou choro por exemplo, que causam mais vasodilatação e extravasamento sanguíneo dérmico, haverá consequente liberação de íons férricos, aumentando a produção de radicais livres que estimulam os melanócitos, gerando pigmentação melânica associada.
Outros fatores extrínsecos que podem levar ao aparecimento ou agravamento das olheiras são:

O tabagismo – por ação vasoconstritora, causada pelo efeito da nicotina, causa aumento de palidez na pele (fica acinzentada pela diminuição da circulação periférica) salientando a aparência escura das olheiras.
O etilismo e a diminuição e/ou má qualidade do sono – causam vasodilatação periférica, o que na região palpebral pode ter consequente aumento do extravasamento sanguíneo local, e aumento no deposito de hemosiderina residual.
Hiperpigmentação pós inflamatória – deposito de melanina local com consequente hipercromia
A respiração bucal – muitas vezes provocada por desvio de septo, ou outras alterações, geram edema na região nasal, e dificuldade da drenagem local, causando dificuldade e diminuição sanguínea local.
Alterações hormonais – a fase menstrual, gestação, terapias de reposição hormonal, além do uso de anticoncepcionais, costumam aumentar as olheiras pois essas alterações hormonais estimulam a produção de melanina, piorando sua aparência.
Envelhecimento Cutâneo – leva a frouxidão e hipotonia da pálpebra, piorando o aspecto e aparência das olheiras
Deficiência de Vitamina K- pode causar pequenas hemorragias e fragilidade capilar, aumentando a aparência das olheiras, devido ao deposito de hemosiderina.

No nosso próximo artigo falaremos sobre os tratamentos! Não perca!!!

REFERÊNCIAS
Oliveira, A.L. Curso didático de Estética. Vol 2. Ed. Yendis, 2ªedição, 2014
Pereira, M.F.L., Recursos Técnicos em Estética. Ed. Difusão, 2013
Kede, M.P.V.; Sabatovich, O. Dermatologia Estética. Ed. Atheneu, 2009
Rotta, O. Guia de Dermatologia: clínica, cirúrgica e cosmiátrica – Unifesp. Barueri: Manole; 2008. Alchorne M.M., Abreu M.A. Dermatoses na pele negra.

Souza, D.M.; Ludtke, C.; Souza, E.R.M.; Scandura, K.M.P.; Weber, M.B. Hiperpigmentação periorbital. Surg. cosmet. dermatol ; 3(3)set. 2011.

 

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here