Tudo sobre unhas: de patologias a tendências

0
191

unhas 1

Você já ouviu falar em onicologia?
Há uma grande chance de que a resposta seja não – afinal, de acordo com a médica dermatologista Robertha Nakamura a ciência que estuda as unhas ainda está se desenvolvendo no Brasil. “Hoje, a onicologia está em ascensão devido a fatores como crescimento demográfico, mudanças ambientais e novos hábitos culturais. Devido a essa necessidade que surgiu o meu encantamento pelo assunto. Em 2003, foi inaugurado o Centro de Estudos das Unhas (C.E.U) do Instituto de Dermatologia Professor Rubem David Azulay na Santa Casa da Misericórdia no RJ, e desde então me dedico a esta subespecialidade”, revela, e garante: “A busca pela onicologia vem aumentando ano após ano e ocorre tanto da parte dos pacientes, que buscam atendimento especializado, quanto da parte dos médicos, que querem conhecer cada vez mais como funciona a região”.
Na prática, a onicologia pode ser definida como a especialidade médica que se ocupa do diagnóstico e tratamento clínico-cirúrgico das doenças que acometem o aparelho ungueal, ou seja, as unhas.
A lista delas, segundo a doutora Nakamura, é extensa. “Os casos mais comuns são de onicomicose, síndrome de unhas frágeis e onicopritose. Menos frequentemente ocorrem doenças inflamatórias como psoríase e líquen ungueais, sem falar nos tumores malignos ou benignos”, conta.
A detecção pode ser feita pelo próprio médico dermatologista, através de exames de cultura, Gram, análise histopatológica (para diagnóstico de tumores) e até raio x, ultrassonografia e ressonância magnética.
Já o tratamento, segundo Nakamura, é demorado. “O tempo de tratamento é diretamente proporcional ao tempo de crescimento das unhas, pois a troca de unha é necessária para o sucesso terapêutico. Ou seja, é longo”, afirma.
A doutora também faz uma consideração importante: os cuidados que a pessoa precisa ter com a cutilagem, afinal, a mulher brasileira tende a adorar as unhas “fundinhas”. “A manicure precisa prestar atenção a detalhes como não romper a cutícula, pois isso pode ocasionar infecção viral. Em caso de corte, a unha deve ser aparada com uma curva mais leve o quanto possível e os cantos devem permanecer intocados. Essa consideração é importante quando falamos também das unhas dos pés, pois elas encravam com frequência devido ao movimento do andar. E, em caso de unhas encravadas, o profissional deve encaminhar a um especialista. Lembrando que elas podem ser prevenidas quando as laterais mais longas das unhas são mantidas, de forma que o seu centro cria uma forma mais côncava”, alerta.

unhas 2A manicure Gisele Camargo é proprietária do Gi Camargo Nail Bar, em São Paulo, e atende nomes como Gisele Bundchen, Mariana Ximenes e Maria Rita.
Ou seja, vivencia na prática os desafios de se fazer uma unha muito bem feita, porém com o máximo cuidado e zelo pela saúde da clientela. “Eu sempre fui a favor da retirar o menos possível de cutícula, pois a própria unha já tem o seu limite. Prefiro empurrar delicadamente e retirar só o excesso que levanta. Depois, as clientes podem ir hidratando com produtos como óleo de amêndoas”, recomenda.
A doutora Robertha Nakamura também indica outros ativos benéficos à saúde das unhas: “Para descamação o ideal é hidratar com óleos e também silicone, para endurecê-las há dimetilureia e o formaldeído (formol) e para preencher as depressões da unha há preenchedores de fibras de nylon e acrílico em base esmalte. Além disso, a medicamentos à base de vitamina B e silício orgânico, que tornam as unhas mais espessas”, sugere.
Gisele Camargo, por sua vez, lembra que em época de altas temperaturas é preciso tomar um cuidado especial com produtos para as unhas. “Os esmaltes, por exemplo, não podem ficar expostos à claridade. Eu, por exemplo, sempre baixo as persianas e balanço os vidrinhos todos os dias, assim eles não ficam duros e é possível utilizar até o final”.
A profissional, que começou a trabalhar com unhas há mais de 20 anos e ainda mantém o lado empreendedor ativo no dia a dia (“aposto em pequenas ações como retirar todo o esmalte da unha borrada, e não remendá-lo”), encerra com algumas dicas e tendências para 2015. “Vão estar em alta as unhas stiletto, aquelas pontiagudas e arredondadas, de preferência na cor coral, que é o tom no verão. Mas é legal ressaltar que o nude também aparece forte na estação, apesar de sempre ter vindo mais no outono e inverno. Também aposto no branco super branco, que fica incrível com um bronzeado pós praia”.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here