Tratamentos estéticos para as temidas estrias

0
1221

Consideradas um distúrbio estético as estrias são lesões cutâneas que incomodam muitas mulheres, principalmente por serem desagradáveis aos olhos na hora de colocar um biquíni, ou uma roupa mais curta. Os homens também procuram cada vez mais por clínicas que ofereçam tratamentos que atenuem o aspecto deixado por essas lesões.

Essas lesões são caraterizadas pelo rompimento das fibras elásticas na derme por conta do estiramento do tecido. Para que esse tecido possa voltar ao aspecto saudável é ideal que seja promovida uma lesão no local da estria, para que ele passe pelo processo de reparação tecidual e renovação celular, formando também novas fibras elásticas, como o colágeno.

E é principalmente baseado no princípio de promover uma inflamação, para que então ocorra a reparação tecidual que os tratamentos estéticos ganham força no mercado e alcançam bons resultados.

Por estarem em um processo de inflamatório recente, as estrias chamadas de avermelhadas respondem mais rapidamente a alguns tratamentos. Já as estrias alba (brancas) são hipopigmentadas e atróficas, portanto com aspecto cicatricial, e demandam tratamentos que promovam maior lesão ao tecido devido à necessidade de promoção da inflamação.

Existem diversas opções de procedimentos disponíveis hoje para estrias, alguns se destacam por apresentarem ótimos resultados no tratamento de estrias vermelhas e albas.

Eficaz principalmente no tratamento de estrias albas, o Laser de CO2 fracionado promove uma dano controlado a epiderme e a derme do paciente, e o seu principal objetivo é estimular a produção de colágeno. O laser age ao atingir a pele, promovendo um rápido aquecimento das células que consequentemente vaporizam-se. As regiões onde houve ação do laser passarão por um processo de regeneração tecidual e estimulando a neocolagênese. Por ser um laser fracionado, algumas regiões não serão lesadas e permanecerão íntegras. Elas serão responsáveis por acelerar o processo de regeneração do tecido lesado, mas por também sofrerem com o superaquecimento da região irão promover a remodelação do colágeno presente naquela área, assim como a retração de pele devido à contração de fibras elásticas.

A Radiofrequência aparece também no leque de opções de procedimentos estéticos para estrias, além delas, também é possível tratar a flacidez de pele. O calor gerado pela radiofrequência é capaz de promover o aquecimento da derme profunda, agindo nos fibroblastos, através de energia eletromagnética que se converte em energia térmica. Esse aquecimento promove a contração das fibras de colágeno tornando a sustentação da pele mais eficiente, assim como promove a neocolagênese entre 40°C a 45°C. A retração do colágeno e a produção de novas fibras geram a melhoria do aspecto da pele, já que além de promover a alteração das fibras e produção, promove também melhoria vascularização local e aumento da oxigenação e nutrição tecidual. Em associação com outros tratamentos, a radiofrequência apresenta ótimos resultados no tratamento tanto de estrias vermelhas como albas.

Ainda no campo dos recursos eletroterápicos, a Carboxiterapia se apresenta com um dos queridinhos daqueles que querem se livrar das estrias. Embora muitas pacientes ainda sintam-se receosas pelo incomodo e medo do uso de agulhas, cada vez mais aumenta a procura pelo procedimento. A técnica de administração subcutânea de dióxido de carbono (CO2) atua promovendo a melhora da vasodilatação do local, e leva como consequência o aumento da pressão parcial de oxigênio, que é resultante da potencialização do Efeito Bohr, resultando na maior disponibilidade de oxigênio e favorece o aumento fluxo de nutrientes ao tecido.

Além disso, ainda há o efeito promovido pela lesão do tecido pela perfusão da agulha, que ativa o processo de regeneração tecidual, ou seja, quanto mais lesões realizadas na extensão da estria, maior será a área a ser reparada garantindo um tratamento mais eficaz.

Os Peelings Químicos utilizando ácidos como, retinóico, lático, tricloroacético, salicílico e glicólico também são eficazes no tratamento de estrias. Essas substâncias agem promovendo a esfoliação química da pele resultando na inflamação do tecido seguida pela renovação celular e formação de novas fibras elásticas no local das estrias.

A Microdermoabrasão, também conhecida como peeling de cristal ou de diamante, é um tipo de peeling mecânico que por meio de esfoliação devido ao atrito dos microcristais ou lixas diamantadas promove a renovação celular da área tratada além de estimular à produção de fibras elásticas.

O tratamento a ser escolhido, inclusive no que diz respeito ao número de sessões, poderá variar de acordo com a necessidade o paciente, e o grau da lesão. Para potencializar os efeitos dos tratamentos podem ser indicados cosméticos para serem usados como complemento desses procedimentos.

Referências bibliográficas:

Valeria B. Campos, Gabriel Gontijo. Fractional CO2 laser: a personal experience. Surg Cosmet Dermatol. 2010;2(4):326-32.

Kaare Christiansen, Peter Bjerring. Low Density, Non-Ablative Fractional CO2 Laser

Rejuvenation. Lasers in Surgery and Medicine 40:454–460 (2008)

GUIRRO, Elaine; GUIRRO, Rinaldo. Fisioterapia dermato-funcional; fundamentos, recursos e patologias. 3 edição. Revisada e ampliada. Editora manole, 2006.

KEDE, M.P.V.; SABATOVICH, O.; Dermatologia Estética. Ed Atheneu; São Paulo, 2004.

Al-Himdani, S.; Ud-Din, S.; Gilmore, S.; Bayat, A. Striae distensae- A comprehensive review and evidence-based evaluation of prophylaxis and treatment.  British Journal of Dermatology Volume issue 2013

Brandi et al. Carbon dioxide therapy in the treatment of localized adiposities: Clinical study and histopathological correlations. Aesth Plast Surg . 2001 (25): 170-170.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here