Terapias Alternativas no Combate de Patologias Psicossomáticas

0
344

São inúmeras as doenças psicossomáticas¹ que acometem os indivíduos na sociedade atual, pode-se afirmar que incontáveis também, são os fatores que contribuem para que exista o desencadeamento de tais patologias². Citando como exemplo, nesse caso, o fator TEMPO, dificilmente existirá alguém que não tenha ouvido a seguinte frase: “não temos mais tempo para nada hoje em dia”. A falta de tempo pode ser considerada fator predominante para que muitos tenham a sensação de prejuízo pessoal, o que acarreta em cobrança de si mesmo, trazendo diversos males à saúde física e mental. As sensações de ANSIEDADE, INTOLERÂNCIA, ESTRESSE, entre outros, levam a oscilações no próprio organismo, como:
 Aumento da pressão arterial.
 Falta de oxigenação cerebral (por não respirar adequadamente), que pode causar entre outros males, a enxaqueca.
 Urticárias em áreas isoladas ou em toda extensão do corpo.
Os dados citados acima podem ser controlados com certa facilidade quando existe empenho pessoal, porém muitas vezes os quadros são agravados pela pré-disposição genética de alguns indivíduos que somatizado ao estresse diário, por exemplo, pode desencadear patologias mais complexas consideradas psicossomáticas como:
 VITILIGO: caracterizada pela perda gradativa da pigmentação natural da pele, pela diminuição ou ausência de melanina (produto do melanócito).
 LUPUS: doença inflamatória que pode afetar órgãos, articulações e lesionar a pele.
 PSORÍASE: surgimento de placas eritematosas na pele, em outras palavras, essas placas podem ser avermelhadas ou esbranquiçadas, conforme o estágio da doença.
Essas são apenas poucos exemplos de patologias psicossomáticas existentes. Normalmente essas doenças são autoimunes, ou seja, o próprio organismo por alteração genética desenvolve alguma alteração, outra informação importante é que isoladamente não são infectocontagiosas.
O avanço das doenças citadas acima podem sofrer alterações devido ao quadro psicológico do paciente, sendo que, caso o quadro psíquico esteja controlado, pode haver certa estagnação do quadro clínico, caso contrário, poderá haver aceleração dos sintomas.
Diante de tamanha complexidade para controlar o emocional e contribuir para diminuição dos sintomas dessas doenças, pode-se dispor de recursos como as Terapias Alternativas ou Complementares, que podem contribuir em demasia para elevar a qualidade de vida do ser humano, em termos de equilíbrio emocional, salientando que, caso esse indivíduo faça uso de medicamento, o mesmo deve ser administrado conforme orientação médica e jamais ser substituído por qualquer Terapia Alternativa.

Terapias Alternativas podem controlar o emocional propiciando:
 Vitalidade para os apáticos
 Analgesia para aqueles que sofrem com dores musculares
 Ação Ansiolítica para os estressados ou compulsivos
Além de possuir ações coadjuvantes em diversos males da saúde física e mental do ser humano.
As terapias em questão são: Acupuntura, Florais de Bach, Cromoterapia, Oligoterapia, Massagem Ayurveda, Massagem com Pindas Chinesas, Massagem com Conchas, Massagem com Pedras Quentes, Bambuterapia, Candle Massage, entre outras.
Os Terapeutas hábitos a exercer as Terapias Alternativas são profissionais da área da saúde com especializações em determinadas técnicas, ou seja, é extremante necessário que se tenha conhecimento anatômico, fisiológico no Ensino Superior, para somente depois realizar cursos livres específicos para cada terapia.

¹ doenças do corpo que podem ser somatizadas por condições psíquicas ou emocionais.
² termo técnico utilizado para definir doença .
Referências
RANGÉ, Bernard (org.) Psicoterapia Comportamental e Cognitiva. Ed Workshopsy, 1998 – 2ª edição.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here