Qual (deve ser) o nome da minha marca?

0
419

“Acabei de abrir meu centro estético e não sei se uso meu nome ou dou um nome fantasia para ele!”. Esta dúvida já passou pela sua cabeça? Não se sinta só, trata-se de uma dúvida comum quando vamos abrir a nossa empresa. “Devo vincular o meu nome pessoal à minha clínica ou não?”. Vamos analisar os prós e contras e avaliar se esta situação se encaixa no seu perfil.

A princípio, faça os seguintes questionamentos: o meu nome já é reconhecido no mercado? A minha marca pessoal é suficientemente forte para atrair novos clientes? Quando as pessoas procuram pelo meu serviço, elas procuram pelo meu nome (e não pelo nome da clínica onde trabalho)?

Se respondem sim para tudo, iniciar um negócio com o seu nome pode ser assertivo. Porém, quando algum procurar a sua clínica, deve procurar pela qualidade do seu trabalho e não por você (em pessoa)!

Imagine a seguinte situação: você abriu uma clínica e tem uma equipe de 10 esteticistas. Uma cliente antiga te procura e quer ser tratada por você e não por outra pessoa da sua equipe! Por quê? Simples: porque ela confia no SEU trabalho!

A sua marca é o conjunto de percepções que as pessoas têm de você. Todos somos marcas (mas nem todos nos damos conta disso). Se no decorrer da sua carreira as pessoas aprenderam a relacionar o seu padrão de atendimento a você, aproveite isso e emprese esse conjunto de percepções (que, diga-se de passagem, foi resultado de muito trabalho) para a sua nova empresa.

O trabalho que deve ser feito com o tempo é o de desvincular a sua marca da sua pessoa. E como fazer isso? No início, consiste em passar, gradativamente, a sua cultura de trabalho para as pessoas da sua equipe. Esse trabalho consiste também em captar pessoas que tenham um perfil de atendimento parecido com o seu. Por exemplo, se você abrir uma clínica para mulheres da terceira idade, seus colaboradores devem ter familiaridade com este público. A sua equipe deve ter orgulho em pertencer a uma empresa que leva o seu nome. O resultado virá quando os clientes perceberem que aquele tratamento de qualidade não depende só de você, mas também de sua equipe. Assim seu nome passará a ser referência de qualidade e sua marca estará consolidada. Um exemplo: você pode não conhecer pessoalmente da Dra. Ligia Kogos (e nunca ter sido atendido por ela), mas sabe que o profissional que faz parte da sua equipe pode prestar um atendimento com o mesmo padrão de qualidade.

Enfim, a escolha do nome da sua empresa (ou a decisão de dar seu nome a ela) parece um detalhe, mas é um item importantíssimo na estratégia do negócio. E se você estiver começando do zero ou ainda não tiver um nome forte, opte por criar um nome fantasia, uma palavra agradável, inédita, que leve às pessoas as sensações e significados que representem a sua empresa e seu atendimento. Chegar a um nome ideal é uma tarefa difícil e exige técnica, conhecimento e criatividade. Mas isto é assunto para o próximo artigo!

Até lá e sucesso nos negócios!

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here