Os benefícios da toxina botulínica para o rejuvenescimento facial

0
3117

Adultos estão vivendo mais do que nunca. Sentimo-nos vitais, somos ativos e queremos que nosso corpo espelhe a mente e o coração jovens. A toxina botulínica é uma das substâncias mais importantes no campo do rejuvenescimento facial. Parecida com o lifting cirúrgico, esta substância é a forma mais popular de redução de rugas faciais.
Sorrir, franzir a testa, apertar os olhos e até a mastigação, basicamente, qualquer movimento facial pode, eventualmente, levar aos sinais mais comuns de envelhecimento: rugas. As rugas fazem você parecer cansado ou até irritado quando não está. Uma das soluções mais rápidas e mais seguras para remover as rugas é a injeção de toxina botulínica.
A toxina botulínica do tipo “A” é uma das alternativas mais procuradas para minimizar as marcas do tempo. A substância líquida, produzida pela bactéria Clostridium botulinium, age bloqueando a liberação de acetilcolina, substância química que promove a contração da musculatura. “Ao ser aplicada, a toxina botulínica provoca o relaxamento dos músculos que causam rugas na face”.
A toxina botulínica pode ser combinada com demais procedimentos cosméticos da pele tais como peelings químicos, preenchimentos dérmicos ou microdermoabrasão para melhorar, ainda mais, os resultados. Esta combinação de terapias pode, ainda, ajudar a prevenir a formação de novas linhas e rugas.
A toxina botulínica não vai resolver todos os tipos de problemas de pele. Por exemplo, ao mesmo tempo que pode diminuir rugas sob os olhos, não é possível reparar os danos causados pelo sol. Sua espessura de pele, o tipo e o grau de enrugamento desempenham papel importante na determinação da eficácia da toxina botulínica.

Apesar de ser um tratamento sem cortes e simples, a aplicação requer alguns cuidados antes de ser feita. Agendar uma conversa com um médico/biomédico para que seja dito quais são os seus objetivos é muito importante para conquistar bons resultados. Além disso, também é preciso avaliar se o paciente está com a saúde em dia para passar pelo procedimento.
Depois do procedimento, o paciente deve evitar massagens, exposição exagerada ao sol, não realizar atividades físicas e nem deitar durante as quatro primeiras horas. O benefício desse tratamento é que ele não exige longos períodos de recuperação após a aplicação. Além disso, efeitos colaterais são raros, mas pode ocorrer dor de cabeça, manchas roxas e ptose palpebral (abaixamento da pálpebra superior).
O resultado pode demorar para aparecer de 48 a 72 horas. Já o efeito dura entre três e seis meses. “O recomendado é aplicar a substância a cada seis meses. Não adianta querer realizar o tratamento em intervalos de tempo curtos, pois o organismo pode criar resistência sobre a toxina botulínica e não agir com eficácia.
O procedimento estético pode ser feito a partir dos 28 anos, como forma de prevenir o surgimento de linhas de expressão. “Mesmo quem não tem rugas pode aplicar a toxina para garantir no futuro uma expressão facial mais suave, natural e jovial”. A aplicação de toxina botulínica não pode ser feita em gestantes.
Para ajudar você a identificar se vale a pena ou não investir na técnica, veja abaixo os 9 aspectos mais importantes dela:

1) Eficácia e mecanismos de ação
A ação da toxina botulínica é eficaz para amenizar rugas dinâmicas, aquelas provocadas por vícios de expressão, que aparecem quando os músculos da face estão em movimento, e também as rugas estáticas, que aparecem mesmo quando o rosto está parado. Porém, diferentemente do que muita gente pensa, o Botox não atua na flacidez da pele. “A toxina botulínica é injetada no músculo e sua ação é paralisar o movimento muscular. Ao evitar essa movimentação, ela impede a contração muscular, que é o que forma a ruga”
2) Botox e outros procedimentos
Não há nenhum tratamento que se compare ao efeito da toxina botulínica, no que diz respeito a disfarçar rugas. Os outros métodos são importantes, estimulam colágeno e a renovação celular, mas eles complementam a ação da toxina e vice-versa. Porém nenhum outro atua no músculo. Outra vantagem do Botox sobre os demais procedimentos anti-sinais é a ação preventiva. “Por paralisar rugas dinâmicas, tem alto poder de prevenir o aparecimento de novas marcas da idade e a piora das já instaladas, pois retarda o tempo que esses sinais de expressão levariam para se tornar uma ruga estática, que é bem mais difícil de tratar.
3) Contra-indicação
Não pode fazer uso da toxina botulínica as gestantes, mães que amamentam, pessoas com doenças autoimunes, doenças neurológicas e que afetam os músculos.
4) Riscos e desvantagens
Entre os maiores riscos da toxina botulínica está o exagero na dosagem e a aplicação em regiões erradas, que pode resultar em assimetria, isto é, um lado ficar diferente do outro, pálpebra caída e em casos mais extremos, pode provocar botulismo, uma doença grave que paralisa os músculos.
5) Regiões que podem ser tratadas
Pessoas que ao falar produzem verdadeiras mímicas, com o tempo, ficam com a pele cheia de rugas por conta desses hábitos de expressão. Sendo assim, as regiões do rosto mais beneficiadas pela técnica são as rugas da testa, glabela (entre as sobrancelhas), pés de galinha e qualquer ruga que se forme na região dos olhos. “As ruguinhas verticais que aparecem no limite dos lábios superiores, principalmente dos fumantes, também podem ser tratadas com a toxina, mas geralmente exigem um procedimento complementar. É preciso ver caso a caso.
6) Envelhecimento avançado
A questão de tratar rugas antigas e muito profundas divide a opinião dos especialistas. Acredito que o Botox age melhor nas peles com um grau de envelhecimento suave e médio. Envelhecimento muito avançado pode até ser tratado com a toxina, mas como complemento de tratamentos cirúrgicos.Nos casos mais suaves e intermediários, atua de maneira preventiva; nos mais avançados atenua as rugas estáticas já instaladas e previne a formação de novas, assim como a melhora do aspecto geral da pele e do semblante como um todo.
7) Aplicações e resistência ao efeito
Como o Botox tem efeito temporário é comum as pessoas que se sentem satisfeitas com o resultado repetirem a dose. Não tem regra, cada organismo reage de um jeito, mas pode-se dizer que as aplicações geralmente são feitas de quatro e seis meses depois da última sessão. A questão sobre criar ou não resistência e a partir daí ter a necessidade de doses maiores e intervalos mais curtos também tem controvérsias. “Com o tempo pode acontecer do paciente ficar resistente ao produto, sendo necessário o uso de doses maiores em aplicações futuras. E esse exagero das doses leva à possibilidade do paciente ficar insensível ao efeito”. Alguns estudos mostram que com o tempo de uso a necessidade da toxina é reduzida, o que implica em doses menores. Por ficar paralisado o músculo se acostuma a pouca atividade e se condiciona a não mais contrair.
8) Expressão facial: natural x engessada
O grande conflito de quem quer experimentar o Botox é a questão da naturalidade, de manter a expressão espontânea, sem ficar parecendo uma máscara. De fato, isso pode ocorrer. “O risco é grande quando as doses são exageradas e as áreas demarcadas para aplicação não são corretas, a dica é: se o resultado do tratamento de uma amiga ficou super natural, e você puder, faça com o mesmo profissional. O semblante natural indica que o profissional é competente e domina a técnica. Doses controladas são imprescindíveis para essa naturalidade.
9) Como corrigir os exageros
Pode acontecer de a paciente sentir que a dose aplicada foi um pouco além do suficiente ou que a região tratada não ficou exatamente como queria. Resultado: uma sobrancelha mais arqueada que a outra, algum ponto muito paralisado ou com uma expressão exagerada. Para corrigir essas falhas só tem duas maneiras: esperar o efeito passar, já que é temporário, ou lançar mão de outro procedimento para descontrair o músculo.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here