Os 5 pilares para reestruturação da pele hipercrômica – parte II

0
283

O primeiro item que precisa ser minunciosamente esclarecido para nosso cliente é que não há como tratar uma hipercromia sem a utilização de uma proteção correta contra a radiação, pois este é o gatilho extrínseco mais importante para a síntese de melanina em excesso. Inclusive, devemos esclarecer que radiação não é proveniente somente dos raios solares. As pessoas tem a tendência de achar que só precisam usar protetor solar quando vão à praia, à piscina ou quando saem para uma caminhada. Mas, não podemos esquecer que mesmo dentro de nossas casas, carros e até no trabalho estamos constantemente expostos a algum tipo de radiação, seja pelo sol, luzes e até mesmo pela tela de computadores. E não adianta usar um filtro com Fator de Proteção Solar (FPS) alto se a proteção contra os raios UVA for baixa, pois o FPS está relacionado com a radiação UVB que é mais superficial do que a radiação UVA. Já existem no mercado filtros fotoestáveis, ou seja, não são degradados de acordo com o contato com a radiação, possibilitando uma proteção mais duradoura e estável como o próprio nome já sugere.

O segundo passo é manter a pele hidratada. Mesmo sendo considerado um “bordão” clássico, hidratação é fundamental para que as células possam trabalhar em harmonia. Óbvio que beber litros e mais litros de água achando que será a solução para todos os problemas é totalmente absurdo, mas não podemos menosprezar a participação da água nos processos metabólicos. Uma maneira eficaz de manter os níveis corretos de água na pele é estimular a síntese de colágeno, por ser uma proteína altamente hidrofílica. Há diversas técnicas capazes de promover a síntese de novo colágeno, dentre elas destaco a carboxiterapia, o microagulhamento e a radiofrequência.

O terceiro passo é devolver nutrientes que o tecido necessita para manter suas funções equilibradas. No caso das hipercromias, os mais importantes são os antioxidantes, como vitamina C, vitamina E, silício orgânico, flavonoides, licopeno, ácido alfa lipóico e etc. Uma excelente forma de repor os níveis de antioxidantes na pele é a utilização de nutricosméticos, pois aquele outro bordão “beleza vem de dentro” é muito verdadeiro. E, para facilitar o transporte via transdérmica, podemos utilizar a eletroporação que promove a absorção de ativos através da pele em até 400 vezes mais do que nos métodos comuns.

O quarto passo é estimular a síntese de substâncias, principalmente colágeno e elastina, que além de restabelecer os níveis de água como já citado, promovem a tonicidade e sustentação do tecido, corroborando para manter o equilíbrio de todos os processos celulares. As técnicas da carboxiterapia, microagulhamento, radiofrequência novamente são utilizadas neste passo, assim como a cosmetologia.

E finalmente, mas não menos importante, devemos fortalecer o sistema imunológico (sistêmico e da pele). Orientar para nosso cliente que siga aquela velha fórmula: boa alimentação + atividade física + boa autoestima + dormir bem = saúde, funciona muito bem. Precisamos lembrar que saúde não é ausência de doença, então manter o equilíbrio entre nossas emoções e hábitos de vida ajuda a garantir que nosso sistema imunológico funcione a todo vapor e consequentemente ajuda a melhorar qualquer disfunção do organismo, incluindo as disfunções estéticas (neste caso as hipercromias).

Para obter sucesso no tratamento das mais diversas hipercromias, estes cinco passos devem ser trabalhados simultaneamente, pois estão totalmente interligados. A duração do tratamento dependerá das respostas de cada cliente. A evolução do quadro deve ser monitorada e documentada através de fotos e relatórios semanais. Atualmente existem softwares e equipamentos capazes de mensurar as mudanças ocorridas na pele, como melhora da circulação, atenuação de manchas e níveis de hidratação do tecido. Esta documentação é importante não só para mostrar resultados ao cliente, mas principalmente para ajustar o plano de tratamento de acordo com a necessidade.

Para finalizar, gostaria de ressaltar que o engajamento do cliente constitui passo chave para o sucesso do tratamento das hipercromias. Quer saber como engajar mais e melhor seus clientes? Então aguarde meu próximo artigo “Simbiose cliente-profissional como base para o sucesso dos tratamentos estéticos”. Até breve!

Referências

Fernanda Silva Hoffmann, Hericka Zogbi, Patrícia Fleck, Marisa Campio Müller. A interação mente e corpo em psicodermatologia. Rev. Psicologia v.7/n.1, 2005.

Hericka Zogbi J. Dias, Rachel Rubin, Alessandro Valério Dias, Gabriel José Chittó Gauer. Relações visíveis entre pele e psiquismo: um entendimento psicanalítico. Psic. Clin., Rio de Janeiro, Vol.19, N.2, P.23 – 34, 2007.

Sarita M. F. M. de Carvalho Bezerra, Mirian N. Sotto, Noemia Mie Orii, Cleiton Alves, Alberto Jose da Silva Duarte. Efeitos da radiação solar crônica prolongada sobre o sistema imunológico de pescadores profissionais em Recife (PE), Brasil. An Bras Dermatol. 2011;86(2):222-33.

Sergio Schalka, Vitor Manoel Silva dos Reis. Fator de proteção solar: significado e controvérsias. An Bras Dermatol. 2011;86(3):507-15.

Vianna, D. R.; Silva, B. V.; Hamerski, L. Eletroporação e iontoforese para liberação de fármacos através da pele. Rev. Virtual Quim., 2010, 2 (4), 271-279.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here