O que você deve saber logo na primeira consulta com o cirurgião plástico?

0
152

A cada ano, cresce o número de brasileiros que realizam o grande sonho de se submeter a um procedimento cirúrgico para melhorar ou mudar alguma característica estética. Em 2011, por exemplo, foram realizadas quase 1 milhão de cirurgias, confirma a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Embora as técnicas e os profissionais estejam bem qualificados e preparados, no entanto, até chegar à mesa cirúrgica, é imprescindível percorrer algumas etapas, principalmente ao sanar as principais dúvidas que começam, impreterivelmente, na cadeira do consultório, durante a primeira consulta. Nesse momento, o aspirante à cirurgia pode confirmar ou repensar sobre a sua decisão.

Quais são os riscos envolvidos na minha cirurgia? Onde será feito o procedimento? Qual é a anestesia? Como deve ser o meu preparo? Como será o pós-operatório? “Essas, dentre outras indagações, apesar de contundentes, em muitos casos, o paciente não questiona. Por isso, cabe ao médico, tranquilamente e numa linguagem que o paciente entenda, responder essas e, ainda por cima, diversas outras dúvidas pertinentes ao procedimento cirúrgico. Além do mais, o profissional deve descrever, com naturalidade, sobre a sua experiência na área e relatar os certificados que contêm expedidos por entidades de classe”, afirma o Cirurgião Plástico e Cosmiatra, Márcio Castan, de Porto Alegre (RS), membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

As respostas mais desejadas, normalmente, são sobre as possibilidades de resultados, os riscos existentes e quais são os exames pré-operatórios. “Qualquer tipo de intervenção cirúrgica pode haver algum tipo de intercorrência. Contudo, quando as orientações do médico e os exames são realizados corretamente, a possibilidade de um contratempo é mínima. Por esta razão, de uma maneira geral, são solicitados exames laboratoriais como hemograma completo, onde será avaliado, principalmente, se há presença de anemias, infecções, alterações da contagem de plaquetas, dentre outras anormalidades, e, em alguns casos, exames de imagens”, diz o cirurgião.

O local no qual será realizado o procedimento também costuma ser bastante questionado. Muitos pacientes acreditam que o procedimento é feito na clínica do médico, contudo, por lei, existem algumas orientações quanto ao lugar ideal para a intervenção cirúrgica, que pode ser em clínicas com infraestrutura adequada ou em hospitais bem estruturados.  “Particularmente, creio que seja mais prudente operar em hospitais, pois mesmo que uma clínica tenha infraestrutura para atender uma situação de emergência, normalmente não há profissionais de outras áreas. Geralmente, o cirurgião é credenciado em algumas instituições hospitalares nas quais ele pode trabalhar. Portanto, o médico oferece ao paciente as opções, que escolhe conforme a sua conveniência, isto é, preço, condições físicas do local, distância do domicílio da paciente etc”, explica Dr. Castan.

Veja outras dúvidas que podem ser esclarecidas na primeira consulta

 

PACIENTE CIRURGIÃO PLASTICO
 

Posso ficar igual ao meu artista preferido?

 

A cirurgia plástica não tem o poder de transformar as pessoas a ponto de torná-las parecidas. A cirurgia plástica deve ser usada para melhorar a autoestima e o bem-estar dos pacientes, nunca vender falsas ilusões ou promessas descabidas, pois cada ser humano é diferente do outro.
 

 

Como deve ser o preparo?

Antes da cirurgia é importante suspender algumas medicações como, por exemplo, comprimidos que contenham ácido acetil salicílico, Gingko Biloba, Vitamina E, dentre outros. A pílula anticoncepcional deve ser interrompida, se possível, com um mês de antecedência, e o tabagismo de 30 a 60 dias antes. Vale lembrar que atividades físicas são de extrema importância para ajudar na melhor condição física do paciente.
 

Ficam cicatrizes?

Todo e qualquer procedimento cirúrgico onde há um trauma ao tecido (pele) fica uma cicatriz. Essa é a maneira que o organismo humano tem de responder ao trauma. Porém, a cirurgia plástica é chamada por muitos como a especialidade que aprende a esconder e camuflar essas cicatrizes, ora em depressões da face ou dentro dos cabelos ou ainda em áreas de sombra, de maneira que ela fique o menos evidente possível aos olhos dos outros.
 

 

É necessário utilizar cosméticos no pré e pós-operatório?

 

Não existe nenhuma obrigatoriedade ao uso, porém, uma pele bem tratada, com produção de colágeno e elastina estimulados, o resultado do procedimento é superior aos demais. Então, geralmente, dependendo da cirurgia, prescrevo cremes para evitar estrias (prótese de mama) ou hidratar melhor a pele, cápsulas de silício orgânico para estimular a produção de colágeno e organizar as fibras elásticas. No pós-operatório, algumas vezes, é interessante o uso de “cremes” que ajudam na cicatrização.
 

Qual o tipo de anestesia?

 

O tipo de anestesia está intimamente ligado ao tipo de cirurgia a qual será realizada. Existem cirurgias que a vontade da paciente é levada em conta, porém em outros casos a técnica cirúrgica determinará o tipo de anestesia.
 

 

Quem faz parte da equipe médica?

 

A equipe cirúrgica é composta pelo cirurgião, um cirurgião auxiliar e uma instrumentadora cirúrgica. Todo procedimento cirúrgico deve ser assistido por um profissional com formação igual ou superior ao cirurgião principal, pois em caso de qualquer eventualidade, ele pode conduzir o término da cirurgia. Além da equipe cirúrgica, existe uma circulante de sala (técnica de enfermagem) que é quem alcança os materiais à medida que eles são necessários.
 

Quando posso fazer a segunda cirurgia?

 

Na verdade, não existem trabalhos que demonstrem benefícios em se esperar 30, 60 ou 90 dias para realização de uma segunda cirurgia, desde que em áreas diferentes das operadas num primeiro momento. Entretanto, acho prudente haver um reestabelecimento clinico-laboratorial para um novo ato cirúrgico.
 

Quando devo voltar ao consultório?

 

Inicialmente, serão necessárias várias visitas com pouco intervalo de tempo, pois serão observadas a evolução das cicatrizes, retirada de pontos e possíveis edemas e hematomas. À medida que o tempo passa e se obtem resultados definitivos, as visitas são mais demoradas, mas nunca perder o contato com o profissional, pois diferente do que muitos pensam, o resultado não é imediato e existem fases, tanto de cicatrização quanto de evolução pós-operatória a serem enfrentadas.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here