O profissional do futuro e a urgência em desenvolver competências comportamentais

0
172

Estamos em um avanço tecnológico desenfreado que nos leva para um futuro ainda desconhecido. O que já sabemos a partir de especialistas sobre o assunto, é que daqui 30 anos aproximadamente 47% dos empregos serão extintos (segundo estudos da universidade de Oxford), já que centenas de milhares de profissionais serão substituídos por robôs e softwares que irão realizar com domínio técnico impecável tarefas que atingirão diversos segmentos de trabalho.

Sim! Seremos substituídos por inteligência artificial nas mais diversas áreas de trabalho, incluindo, médicos, advogados, contadores, corretores de imóveis, agentes de viagem, entre outros. Isto quer dizer que os robôs poderão realizar quase todas (senão todas), as habilidades técnicas que os humanos realizam. Porém, temos uma vantagem em especial em relação aos nossos substitutos: O domínio das habilidades comportamentais. Uma vez que os robôs poderão substituir profissionais com sua inteligência artificial, mas não poderão substituir a capacidade de sentir, agir, desenvolver e colocar em prática suas habilidades comportamentais. Estudos apontam que em 2045 um único computador vai ser mais inteligente do que toda a humanidade junta. Porém não há nenhum indício de que esses computadores vão se tornar conscientes, ao menos tão cedo. Aqui está a grande vantagem que nós profissionais teremos em relação à inteligência artificial. As habilidades do futuro não serão habilidades técnicas e sim comportamentais. Este será o grande diferencial competitivo do profissional do futuro. Isto não quer dizer que não teremos que nos desenvolver tecnicamente, no entanto a rapidez do avanço tecnológico será tão grande que as habilidades aprendidas terão prazo curto de validade.

Mas quando falamos em habilidade comportamental como diferencial competitivo, estamos nos referindo ao momento que já vivemos hoje. Hoje já experimentamos esta realidade! O que destaca os profissionais no universo da estética, diante de tanta tecnologia, tratamentos, preços e de produtos iguais, é justamente a capacidade de se diferenciar e sobressair através das habilidades comportamentais.

Percebe a urgência em trabalhar as habilidades e competências comportamentais hoje, como profissional?
Independente do que irá acontecer no futuro, hoje você já é selecionado pelas suas competências comportamentais, seja pelas clínicas que contratam você, seja pelo cliente que lhe procura. Se deseja permanecer competitivo no mercado e enfrentar este futuro cheio de mudanças, você precisa voltar a sua atenção para o desenvolvimento destas competências sem previsão de término. Até aqui todos como profissionais, fomos terrivelmente cobrados para ser o mais arrojado, inteligente, o mais competitivo, tecnicamente completo, porém ninguém apontou a necessidade e a urgência, de olhar para dentro, a fim de aprender a lidar com nossas próprias emoções para lidar com o outro. E isso hoje, é pré-requisito básico em qualquer ramo de atividade. Ainda somos contratados pelas nossas competências técnicas, mas já somos dispensados pela falta de competências comportamentais.

Para entender o outro (cliente, colega, gestor), é preciso antes de mais nada, entender a si mesmo. Só através desta conexão com o outro, você profissional de estética, poderá realmente realizar a sua missão e propósito, transformando vidas e melhorando a autoestima das pessoas. Do contrário não precisaremos de pessoas para nos ouvir, entender, apoiar e ajudar a solucionar problemas em busca das melhores soluções. Teremos robôs altamente qualificados e calibrados para nos ajudar com sua invejável inteligência artificial.

De que forma buscar desenvolvimento comportamental? Métodos de desenvolvimento pessoal como o Coaching, cursos de desenvolvimento que trabalham com ferramentas e técnicas da programação neurolinguística e a Comunicação Generativa (método que associa, PNL, Hipnose Ericksoniana e comunicação com o inconsciente para o trabalho de estados emocionais e comportamentos limitantes), são excelentes opções para trabalhar e desenvolver os recursos internos, habilidades comportamentais, inteligência emocional. Mais informações sobre o tema www.terrag.com.br. E você o quanto está preparado para este futuro que já começou?

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:
MICHELLE SCHNEIDER – O Profissional do Futuro / TEDxFAAP – 2018
https://www.youtube.com/watch?v=9G5mS_OKT0A – acesso em 23/janeiro de 2019
MORAES, Marcos Brasil. Formação Clássica Programação Neurolinguística. Master Trainer em Programação Neurolinguística (NLPU – University of California). Porto Alegre, 2018.
MARCELO MOURA – As profissões condenadas a desaparecer – 2014
https://epoca.globo.com/vida/vida-util/carreira/noticia/2014/03/bprofissoesb-condenadas-desaparecer-e-que-resistirao-novas-tecnologias.html – acesso em 23/janeiro de 2019

CAMILA PATI – Estas profissões podem acabar até 2030 – 2017
https://exame.abril.com.br/carreira/estas-profissoes-podem-acabar-ate-2030-ao-menos-para-os-humanos/ – acesso em 23/janeiro de 2019

Compartilhar
Artigo anteriorA nova Masculinidade
Próximo artigoOperação Casada
Michele Guedke Terra
Publicitária, Pós graduada em gestão de marketing, Analista de Perfil Comportamental, Coach de vida e carreira, Comunicadora Generativa, Master Practitioner em PNL, Consultora e Instrutora de Treinamento de atendimento, marketing e vendas na estética.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here