O inverno e a pele

0
121

Costumo dizer às minhas clientes que não temos um biótipo específico de pele e sim um estado cutâneo, e não há ninguém melhor do que nós mulheres, para comprovarmos que isso é verdade.  Fatores alimentares, hormonais, emocionais, cronológicos e climáticos exercem grandes influencias na pele de qualquer pessoa. Porém, sabe-se que o sexo masculino normalmente é dotado de uma pele muito mais resistente, por vezes mais oleosa do que a das mulheres. Assim sendo, resta nos armarmos contra as consequências do tempo, de nossas emoções, de nossos desequilíbrios hormonais, de nossos hábitos diários, e das ações externas. E eis que entra o papel da indústria cosmética, com diversos recursos para o cuidado da pele.

A pele danificada pelo vento e frio, apresenta-se seca, áspera, às vezes espessa, esbranquiçada, sensível e rachada, o que ainda abre espaço para o desenvolvimento de dermatites. Mas por que isso acontece? A hidratação natural da pele não consegue vencer o a ação do vento e do clima seco do inverno, perdendo água para o meio externo. Além disso, os sistemas de aquecimento podem roubar a umidade do ar interior.

Um bom funcionamento do mecanismo de hidratação da pele significa uma capacidade controlada em reter a água já existente na pele, pela camada mais superficial, de modo que a taxa de evaporação da água permaneça sempre em um nível normal. Ou seja, usando o fator de hidratação natural. As desordens provocadas pelo inverno estão relacionadas com o desequilíbrio na evaporação da água em nossa cútis, acompanhado da perda de nutrientes naturais e tão importantes à constituição de nossa pele.

Os cosméticos mais adequados neste momento, são aqueles que além de repor a água perdida para o ambiente, repõe também aminoácidos, sais minerais, ureia, lactatos. As gorduras de superfície (sebo) como colesterol, ácidos graxos e ceramidas também são importantes para evitar a perda de água, servindo como um escudo retensivo no estrato córneo. São três os tipos de mecanismo de ação dos hidratantes: umectante (atrai água para a superfície da pele), hidratação ativa (promove maciez à pele, preenchendo e permeando a  a camada córnea, ligando-se a moléculas de água nesta região, diminuindo a perda transepidermal de água ) e oclusivo (impede a perda de água para o ambiente)

A hidratação também deve ser feita de dentro para fora, com grande consumo de água e sucos naturais. Para evitar maior perda de hidratação, neste momento devemos suspender os sabonetes em barra que tendem a ser mais irritantes e secar ainda mais a pele, além de formulações de sabonete para peles oleosas. Não tomar banhos muito quentes, evitar lavar o rosto mais de duas vezes ao dia e suspender os esfoliantes por um tempo, já que estes produtos além de removerem as células mortas, removem também grande parte da hidratação da pele. As pessoas adultas devem usar hidratante em toda a pele pelo menos uma vez por dia. Devem também evitar substâncias irritantes e que provoquem desidratação como sabões, detergentes, álcool.

Aproveitemos a chegada do inverno para cuidarmos mais de nossa pele! Afinal, ela é o maior órgão do corpo humano, possui importantes funções e está totalmente exposta aos fatores internos, externos e ambientais, que ao mesmo tempo em que são essenciais à vida, podem, em excesso, agredi-la.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here