Nem tudo entra somente pelos olhos

0
120

Diana Fisgadativa, para o diário El Tiempo diz: Surpreenda-se, entre 1.600 a 3.000 anúncios passam diariamente frente a você na rua pelo rádio, na TV, na internet. Pense: Quantos você lembra? Três, quatro? Porque você lembra? O trabalho dos criativos, desenhadores, fotógrafos e outros profissionais passam muitas vezes sem serem percebidos pelos consumidores, cada vez mais imunes a percepção.

Como ser uma das quatro marcas que são lembradas? Os especialistas colocaram um sentido a este tema. Dito doutra forma, “cinco sentidos”. Eles os têm definido esta forma de comunicação, como “marketing sensorial”.

Segundo Simon Harrop, fundador da agência Brand Sense, sediada em Londres. Existe um excesso de confiança (por parte dos criativos) no sentido da visão. “Oitenta e três por cento das campanhas tem como foco os olhos e somente o 4% recursos da mercadotecnia dirigidos ao olfato, o gosto e o tato”, disse.

Devido a isso, na Europa, foi percebida a importância de criar estratégias onde fossem contemplados o tato, o paladar e muito especialmente o olfato, este último o mais poderoso dos sentidos no território das emoções humanas. A isto se refere o marketing sensorial, tão discutido e fonte de muitos estudos para o apelo de atingir o cliente no seu diferencial pessoal.

O processo é simples: as sensações percebidas através dos sentidos ativam o nosso sistema neural e geram emoções. Sempre que intensas são mais armazenadas na memória. E se esta lembrança vem somada a uma marca, maiores são as chances de sucesso!

Pode ser pensado que o olfato e o gosto são reservados para a propaganda de produtos para a limpeza ou para o uso como cosméticos ou alimentos. Porém as possibilidades são múltiplas.

“O sentido do olfato é o que mais fica na lembrança e, devido a isso, é aquele que mais facilmente nos auxilia na realização de conexões emocionais”, afirma Beth Prat, da agência Emocion Experience,em Barcelona.

“É difícil não ficar impressionado pelo olfato e a sua contribuição para a lembrança, seja das marcas, experiências, produtos locais e pessoas”, diz Prask Sutton, conselheiro da agencia Britânica 76 multi Sensory Marketing and Advertising. Dessa forma, os publicitários tem iniciado a exploração de ações como cheirar, apalpar e degustar.

“A melhor forma para que uma mensagem chegue e fique armazenada na memória, ocorre quando o consumidor a recebe através de vários sentidos, deixando uma impressão mais profunda da mensagem transmitida”, como comentado por Michel Monster, criador da agencia Sensorial após observar o efeito causado ao indivíduo ao ser impactado pelo produto eleito para compra ou consumo.

Beber-se uma marca…

Juiced é uma empresa sediada em Londres especializada na criação de bebidas para campanhas de marketing sensorial. “Percebemos que muitas marcas esqueciam integrar todos os sentidos na sua comercialização e seus eventos ofereciam bebidas comuns como chá, café ou vinho, estas bebidas que não se ajustavam as características da sua marca e personalidade”, afirmou Sylvia Garvin, sua fundadora.

Desta forma surgiu a idéia de criar bebidas “personalizadas”. Baseando-se em cores corporativas e nas características de um produto.

“Para o lançamento de uma gama de tintas criamos um cardápio de bebidas com o nome das cores assim, para uma tinta denominada “argila torrada” criamos uma bebida com cereais torrados, ou para a cor “trufa aveludada” cacau e beterraba””, disse Garvin lembrando que após atração visual seria a curiosidade do olfato logo acionada e este sim define a opção de compra.

Outro exemplo é o do restaurante Vasco Sagartoki, onde é apresentado em seus cartões de visitas vegetais laminados comestíveis: Os clientes podem experimentar os produtos do restaurante, embora após isso eles devam procurar as informações na internet. Segundo Bety Prat, da Emocion Experience, as pessoas consomem quando conectadas com uma marca.

No mercado inteligentemente evolutivo fica sempre a busca de novos produtos ou serviços que casem com as necessidades do consumidor e que o personalize na fidelização da superação do encantamento oferecido.

Assim oferecer produtos e serviços que conecte esta nova e inteligente forma de compra é o desafio do profissional ou Empresa que buscam cada vez mais personalizar suas fragrâncias e aromas deixando sempre o gostinho do “quero mais…”.

De olho no mercado do consumo, mas, permitindo que o olfato predomine é uma tendência que alavanca negócios  com prestações de serviços de excelência no padrão mãos de obra especializadas e ainda que valorize o gosto do encantamento pelo “CHEIRO”!

“Compramos pela emoção e justificamos pela razão” ressalta a consultora e fisioterapeuta Ilê Lopes – Rede: Spa Solarium

 

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here