Laser em Cirurgia Plástica

0
103

laser pamela arantes destaque

A cirurgia plástica, de modo geral, busca através de suas intervenções proporcionar melhora dos aspectos visuais dos pacientes. Em última análise, visa o “bem estar social” referido na definição de saúde proferida pela OMS.
Embora a atuação da cirurgia plástica estenda-se a áreas como “queimados” e reparadora de modo geral, a maioria dos pacientes que buscam o auxílio do cirurgião o faz com finalidade estética.
Um componente fundamental para o sucesso estético das intervenções cirúrgicas plásticas é o processo de cicatrização.
Partindo de incisões que respeitem as linhas de tensão naturais da pele e também suturando essas incisões de maneira especial, há uma particular atenção com o acabamento estético da cicatriz – e é nesse ponto que a Laserterapia colabora com a cirurgia plástica
Há dois importantes facilitadores que colaboram para o sucesso da laserterapia no pós operatório de cirurgias plásticas:
Cirurgias não infectadas e incisões que visam um melhor acabamento estético da cicatriz. Cabe a laserterapia, nesses casos, colaborar para: uma cicatrização mais rápida e uma cicatrização mais estética
A maior rapidez para a cicatrização decorre do estímulo á mitose celular, principal efeito da radiação laser de baixa e também dos efeitos ao nível circulatório.
O melhor acabamento estético da cicatriz decorre da neoformação de vasos,
estimulada pela radiação laser, e que proporciona cicatrizes bem vascularizadas. A ação sobre os fibroblastos, estimulando sua reprodução e, aparentemente, regulando e estimulando a produção de fibras elásticas e colágenas, impede ou minimiza a ocorrência de distúrbios como o quelóide e o alargamento da cicatriz.
O esquema terapêutico sugerido para esses casos constitui-se na aplicação por pontos ao redor da incisão, utilizando-se doses de 3J/cm2. A terapia pós-operatória pode ser iniciada, se possível , logo após o encerramento do ato cirúrgico e deve estender-se até o fim da fase inicial da cicatrização, quando já não há solução de continuidade da pele. Ressalta-se que deve ser mantido no mínimo um dia sem terapia laser entre duas diferentes aplicações.

Contra indicações absolutas
– Irradiação sobre a massa neoplásica ou portadores de neoplasias;
– Irradiação direta sobre a retina;
– Irradiação sobre os focos de infecção bacteriana, principalmente agudos, sem devido tratamento/acompanhamento com antibióticos;
– Irradiação em gestantes.
Cuidados e Precauções
– A irradiação sobre glândulas hipo ou hiperfuncionantes pode proporcionar reações desconhecidas;
– Pacientes epiléticos ou cardiopatas podem apresentar reações do tipo arritmias e vômitos;
– O Tratamento laser em pacientes sob tratamento com drogas fotossensíveis é obviamente desaconselhado;
– A irradiação na mama deve ser procedida de exame para certificação de ausência de nódulos;
– Terapeuta e paciente devem estar protegidos com os óculos próprios que proporcionem atenuação da visibilidade da radiação.

Bibliografia:
Laser em Fisioterapia – Marcos Cesar Veçoso Editora Lovise
Tratado de Medicina Estética – 3 Vols Autor: Maio, Maurício de. Editora: Roca

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here