Eletroporação e Eletrodrenagem linfática

0
664

Atualmente existem diversos métodos para remover reversivelmente a resistência do estrato córneo facilitando a permeação cutânea, como o uso de tensoativos, lipossomas, fonoforese (ultrassom terapêutico), iontoforese (corrente polarizada ou galvânica) e eletroporação (corrente alta voltagem). A absorção cutânea depende da permeação através do estrato córneo. Essa permeação pode variar de acordo com o pH do cosmético (veículo e formulação do cosmético), fluxo sanguíneo local, idade, espessura e hidratação da pele.

As vias potenciais de permeação com eletroterapia são a transcelular e a intercelular, sendo que a via transcelular permite a passagem das moléculas ativas através da bicamada lipídica por meio da eletroporação com a corrente elétrica de alta voltagem. A via intercelular permite a passagem das moléculas ativas entre as células (via anexos da pele) por meio da iontoforese com corrente polarizada através do mecanismo de eletrorepulsão.

A eletroporação utiliza a corrente elétrica de pulsos curtos de alta voltagem que ultrapassam a barreira da membrana celular bilipídica, promovendo um rearranjo estrutural desta membrana e, tornando-a permeável a moléculas exógenas. Este rearranjo consiste na formação de canais aquosos temporários, por um campo elétrico, capazes de potencializar o transporte iônico e molecular de substâncias através da membrana celular. A eletroporação ocorre por um estado de stress biológico da célula por alteração do seu potencial de membrana.

A literatura científica mostra que o fenômeno da eletroporação se dá no momento do impulso elétrico. Com a interrupção do pulso elétrico, ocorre a reorientação da camada com rotação das moléculas da membrana bilipídica, com redução ou fechamento dos canais e a célula retorna novamente ao seu estado de normalidade.

A eletroporação permite a permeação de moléculas dos ativos cosméticos sem a necessidade de ativos polarizados ou ionizáveis.

Equipamentos mais modernos apresentam acessórios personalizados que permitem aplicações estáticas e dinâmicas.

A aplicação dinâmica é um diferencial para a técnica de eletroporação para melhor distribuição dos princípios ativos no local de aplicação, permitindo associação aos movimentos de massagem modeladora.

A corrente alta voltagem é amplamente utilizada para eletroporação, porém conforme descrito na literatura, esta corrente também apresenta outras aplicabilidades como, drenagem de edema ou linfática, cicatrização tecidual e analgesia.

Outro aspecto interessante está relacionado a eletrodrenagem linfática com a corrente alta voltagem associada aos movimentos de drenagem no sentido da anatomia e fisiologia linfática. Alguns autores na literatura científica sugerem que a estimulação com a corrente alta voltagem pode apresentar efeitos vasoconstritores e aumentar a permeabilidade vascular para prevenção de edema. A técnica é aplicada realizando movimentos no sentido dos vasos linfáticos em direção aos linfonodos proximais. A proposta desta técnica é potencializar a drenagem linfática associando os benefícios do estímulo elétrico de alta voltagem aos movimentos manuais de drenagem, sendo que o toque manual, do ponto de vista sensorial do paciente, também é de extrema relevância durante os tratamentos estéticos.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here