DNA no combate ao envelhecimento: a genética a seu favor

0
621

Que a genética pode ser uma aliada no tratamento de vários tipos de doenças, todos estão cientes. Mas você sabia que ela também pode ajudar no combate dos sinais do tempo? Através de um exame de DNA, realizado com uma amostra bucal retirada da parte interna da bochecha, é possível descobrir os pontos fortes e fracos da pele. Á partir do resultado podemos programar e determinar o tratamento mais adequado e totalmente personalizado para cada pessoa. Pode-se saber se uma pessoa está geneticamente predisposta para rugas prematuras ou até mesmo se ela tem uma proteção ao sol maior do que os outros.

O exame, intitulado DNAage, usa as informações recolhidas a partir do genoma (ou seja, a informação hereditária de um organismo que fica codificada no DNA) para identificar a saúde genética da pele. São analisadas cinco áreas: rugas, flacidez cutânea, manchas, inflamação e envelhecimento da pele. O método é indicado para todas as peles, mesmo as maduras, uma vez que previne contra futuros problemas da pele. O interessante desse exame é que é possível fazer a intervenção mais cedo antes de qualquer um dos sinais visíveis começarem a aparecer.

É um exame para ser feito apenas uma vez na vida, afinal, o DNA continuará sendo o mesmo independente do que aconteça. Não é um processo dolorido, sendo feito através de uma espátula que recolhe a saliva da pessoa, mas é importante salientar que o exame não é um tratamento, á partir dele é que conseguimos saber qual é exatamente o problema que devemos combater e, assim, escolher os melhores procedimentos estéticos.

O DNAage* analiza 15 marcadores do DNA isolado . Os resultados associados a cada um dos marcadores são utilizados para determinar a sua pontuação genética em 5 áreas vitais da saúde da sua pele: firmeza, rugas, pigmentação, danos por radicais livres e inflamação.

visiogen
Fonte: Visiongen

Usando estas informações recolhidas á partir do genoma da amostra bucal, identificamos a saúde genética da pele e conforme os resultados podemos  fazer uma abordagem personalizada e altamente preventiva para melhorar o futuro da pele .

Para cada ponto fraco da pele identificado, indica-se um tipo de tratamento. Por exemplo: para evitar rugas, o índice de glicêmico diário de consumo deve ser diminuído. O açúcar é o vilão número 1 das rugas. Já a flacidez pode ser combatida com ginástica facial e cosméticos com ativos antioxidantes. Para manchas é necessário fazer do protetor solar um hábito e utilizar terapias com LEDs (luz que trabalha com bioestimulação celular), por exemplo. Contra a inflamação e a acne deve-se prevenir com sessões regulares de drenagem linfática. Por último, para combater o envelhecimento da pele, poderíamos usar a microcorrente associada á radiofrequência preventiva.

Além dos procedimentos estéticos que podem ser usados para proporcionar uma pele com mais vitalidade, a importância do consumo de licopeno, vitamina E e selênio, em formato de nutricosméticos (ou seja, cápsulas de beleza) e nutracêuticos (parte de alimentos que proporcionam benefícios à saúde), como o ácido fólico, com poderes antioxidantes, e o colágeno hidrolisado, para a elasticidade e firmeza da pele. Em união a eles – para obter maior sinergia –, deve ser usado ativos tópicos. Entre eles estão: lipossomas de colágeno (para melhorar a hidrofilia), lipossomas de vitamina C e E (que promove a hidratação e a reparação do tecido), ácido fólico (para uma melhor síntese celular e reparar o DNA)  e silício (responsável por aumentar a produção de colágeno na pele).

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here