Desafios do clareamento da pele no verão

0
580

sandra_costa_art01O verão é sem dúvida a estação mais esperada do ano, o sol e o calor proporcionam sensação de saúde e bem estar. Porém é nesta época do ano que aumenta a preocupação de indivíduos que tem pré-disposição à formação de manchas na pele e também de profissionais que trabalham durante o inverno com tratamentos para clarear a pele e assistem inconsoláveis as manchas voltarem com força total no verão.

Devido a incidência da radiação UV e do calor, alguns tratamentos estéticos tem contra indicação para esta época do ano, como é o caso de Peelings de ação mais abrasiva e o uso de clareadores que são sensibilizantes da pele e podem aumentar o problema. Então é natural que profissionais orientem a não utilização destas substâncias nesta época.

O excesso de pigmento da pele que formam as manchas que também são conhecidas como “hipercromias”, ocorre devido a um desequilíbrio no processo bioquímico da produção de melanina.

A melanina é um tipo de proteína produzida pelo melanócito, célula especializada da camada basal da pele, que mantém contato com os queratinócitos através de seus prolongamentos, depositando o pigmento produzido nestas células, cuja principal função é protegê-las da ação nociva da radiação UV, funcionando como um filtro solar natural da pele.

Vários fatores podem influenciar no desequilíbrio deste processo, sendo o sol e os hormônios grandes vilões.

Para produzir melanina existe um ciclo bioquímico do qual está presente uma enzima chamada tirosinase. O pigmento ocorre a partir da polimerização de um aminoácido chamado Tirosina, que na presença da enzima tirosinase passa de um aminoácido incolor para um pigmento acastanhado através de processos de oxidação. Este processo é conhecido como melanogênese.

Há ainda que se considerar que neste processo temos ação de um hormônio o MSH (hormônio estimulante do melanócito), que pode sofrer influencia de outros hormônios e também da UV.

A radiação UV além de provocar o estímulo ao hormônio MSH, também estimula os queratinócitos a liberarem mediadores pró-inflamatórios como a Endotelina-1 (ET-1) está diretamente envolvida na síntese da enzima tirosinase e na proliferação, migração e formação dos dendritos dos melanócitos.

Conhecendo bem este processo bioquímico, que sem dúvida é bastante complexo, podemos compreender que para um melhor controle do pigmento no verão é necessário que além do uso de bons filtros solares, que tenham realmente a capacidade de controlar a ação da radiação UV sobre a pele, também é necessário o uso de substâncias que possam atuar neste ciclo de produção da melanina diminuindo a quantidade de pigmento produzido quando a pele está exposta a fatores que servem de incentivo para aumentar a produção.

Filtro solar – boa capacidade refletiva da luz

img_artigo_sandra_costa_s1

Para pessoas com tendência a pigmentações na pele é fundamental manter a indicação de produtos com ação clareadora, associados aos filtros solares.

Neste sentido a cosmética avançou muito em relação a utilização de ativos que tem esta indicação e que podem ser utilizados nos tratamentos feitos por profissionais sem ação fotossensível e que também podem ser indicados para o uso diário em pacientes que estão em tratamento de manchas mesmo estando no verão.

Alguns ativos tem importante ação sobre o bloqueio da ação da ET-1 e do Hormônio MSH, e está  disponível para uso clinico e pós-clinico, como é o caso do Bellis perennis (BELIDES™), que pode ser utilizado associado aos filtros e sem contra indicações quanto à exposição solar.

O acido kójico é outra excelente alternativa a ser associado, não causa irritação e nem fotossenbilização, possibilitando seu uso até mesmo durante o dia, assim como o antipollon, um ativo que adsorve e descarrega o excesso de melanina e não possui efeitos colaterais, sendo outra opção que pode ser incorporado aos cosméticos potencializando seus efeitos.

Uma outra alternativa em cosmético clareador bastante interessante são produtos que contenham o ativo Citrolumine 8™,  que é um preparado altamente concentrado, lipossomado, derivado de citroflavonóides extraídos de frutas cítricas (100%natural) não há contraindicação no seu uso contínuo e pode ser utilizado em mulheres grávidas e lactantes.

Além destes ativos citados , existem uma variedade de ativos clareadores em cosméticos e que podem ser utilizados no verão, basta que os profissionais saibam encontra-los, entendam como eles funcionam e em que etapa do tratamento podem utilizados, fazendo assim as indicações a seus clientes de maneira positiva tendo assim um grande diferencial de mercado.

Afinal tratamento de manchas com resultados eficazes é para bons profissionais habilitados e bem atualizados.

Compartilhar
Artigo anteriorNova tecnologia para o tratamento estético
Próximo artigoCicatrizes
Sandra Costa é esteticista com especialização em cosmetologia e marketing, coordenadora centro técnico e consultora de P&D da Ellementti Cosméticos e docente em cursos de pós-graduação em Dermato Funcional.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here