Criolipólise: como combinar esta técnica?

0
1405

O uso da criolipólise como tratamento de gordura localizada esta cada dia mais frequente. Esta é uma tecnologia que emprega a extração de energia da pele e do tecido adiposo, esfriando gradualmente o tecido subcutâneo. Trata-se de um método não invasivo, com resfriamento seletivo e permanente eliminação de células adiposas. Os triglicerídeos na temperatura corporal se encontram no estado liquido. O resfriamento gera uma modificação dos triglicerídeos de líquido a sólido. Isto gera a apoptose e consequente necrose dos adipócitos. O processo é gradual, de 2 a 6 meses, sendo possível visualizar este resultado próximo aos dois meses após aplicação.

Por se tratar de um processo lento devido aos seus efeitos fisiológicos relacionados à inflamação crônica e liberação de células e mediadores químicos específicos, gerando apoptose, os pacientes submetidos a esta técnica questionam muito os profissionais e muitas vezes não querem esperar tanto tempo por um “suposto resultado”.  Desesperados, os profissionais buscam combinar todo o tipo de técnica durante o período de “pós-aplicação”, tentando estimular uma resposta mais rápida ou assegurar esta resposta.

Baseando-se em conhecimentos de pessoas não capacitadas e em protocolos sem qualquer base cientifica, as combinações têm sido feitas e os resultados tem sido desastrosos, com uma infinidade de efeitos adversos e algumas lesões graves.

O segredo de se combinar técnicas esta no conhecimento aprofundado dos seus efeitos fisiológicos para que as ações combinadas possam produzir resultados e não danos aos tecidos.

O uso de agentes físicos que geram inflamação aguda associada à ação de criolipolise pode estimular a liberação de crioglobulinas. As crioglobulinas são anticorpos liberados na situação de excesso de inflamação aguda associada ao estimulo do resfriamento prolongado e que se modificam de solidas ou gelatinosas em baixas temperaturas. Neste caso causam bloqueio dos vasos sanguíneos e isquemia da pele, levando a necrose tecidual superficial.  Portanto combinar criolipólise com radiofrequência e carboxiterapia em alguns indivíduos mais sensíveis pode gerar efeitos adversos (e nunca sabemos quem são estes indivíduos mais sensíveis).

Deve-se pensar que um protocolo combinado a criolipólise deve atender a necessidade de cada paciente e constar também de uma receita básica para o sucesso de um tratamento ao tecido adiposo: controle alimentar e atividade física. Todos os estudos científicos sobre a criolipólise (e já temos mais de 40 artigos publicados) reforçam sua efetividade como técnica isolada e reforçam sua segurança ao ser utilizada. Também a literatura deixa bastante claro que a combinação com ondas mecânicas (ultrassom, ultracavitação, ondas de choque) não causam danos desde que respeitadas as necessidades e características de cada paciente. Alguns artigos sugerem a massagem manual como forma de reperfusão cutânea e que usada imediatamente após aplicação, pode evitar efeitos adversos e aumentar a efetividade do tratamento.

Enfim, não há mistérios em se combinar a criolipólise, há ciência, há conhecimento cientifico baseado na própria fisiologia da hipotermia e suas consequências, além dos efeitos fisiológicos e biológicos de outras técnicas associadas.

Diante desta pequena resenha cientifica, recomendamos menos “marketing”, “invenções”, e sim mais evidencia cientifica. Assim conseguiremos uma verdadeira FISIOTERAPIA DERMATOFUNCIONAL DE QUALIDADE!

Referencias:

  • Coleman SR, Sachdeva K, Egbert BM, Preciado J, Allison J. Clinical efficacy of noninvasive cryolipolysis and its effects on peripheral nerves. Aesthetic Plast Surg. 2009 Jul;33(4):482-8. 2009.
  • Nelson AA, Wasserman D, Avram MM. Cryolipolysis for reduction of excess adipose tissue. Semin Cutan Med Surg. 2009;28(4):244249.
  • Klein KB, Zelickson B, Riopelle JG, Okamoto E, Bachelor EP, Harry RS, Preciado JA. Non-invasive cryolipolysis for subcutaneous fat reduction does not affect serum lipid levels or liver function tests. Lasers Surg Med. 2009;41:785-90
  • Enhanced Clinical Outcome with Manual Massage Following Cryolipolysis Treatment:
  • A 4-Month Study of Safety and Efficacy. Lasers in Surgery and Medicine. 2014; 46:20–26
  • Zelickson B, Egbert BM, Preciado J, Allison J, Springer K, Rhoades RW, Manstein D. Dermatol Surg. 2009 Oct;35(10):1462-70. 2009 Jul 13.
  • Cryolipolysis for noninvasive fat cell destruction: initial results from a pig model.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here