Cliente eternamente insatisfeito? Talvez seja Transtorno Dismórfico Corporal

0
187

O TDC é um transtorno da imagem corporal caracterizado por uma preocupação exagerada por um “defeito” real ou imaginário no seu corpo. Quando de fato, existe uma alteração física que justifique a atenção, comumente ela é superdimensionada.

Os portadores do TDC sofrem de ideias persistentes sobre o modo como percebem a própria aparência corporal. A preocupação causa sofrimento significativo na área clínica e prejuízo no funcionamento social, ocupacional e em outros campos importantes da vida do indivíduo.

Com a pressão dos ideais de beleza ditados pela indústria da moda e fomentados pela mídia, a valorização do corpo perfeito tornou-se uma obsessão global. Hoje cada vez mais pessoas buscam a qualquer preço, a transformação do corpo físico por meio de inúmeros sacrifícios de sua natureza corporal em prol do padrão de beleza instituído pela sociedade.

Proporcionalmente ao aumento excessivo da preocupação em relação à aparência física, cresce o número de pessoas que sofre com o TDC, considerada como reflexo de uma epidemia de culto ao corpo da sociedade moderna.

A rotina destes pacientes se resume na busca obsessiva por tratamentos dermato-cosméticos. É certo que sempre acabam não ficando satisfeitos com tratamento algum, pois o problema está em sua própria auto-aceitação, e não exatamente no tratamento oferecido.

A relação terapeuta-paciente fica comprometida, gerando uma série de denúncias infundadas contra o profissional, a quem acabam por culpar por não terem atingido a estética que idealizaram para si.

O fisioterapeuta se encontra em uma posição privilegiada, onde em uma primeira consulta, poderá identificar os principais sinais e sintomas deste transtorno e conduzir amistosamente o paciente a um profissional capacitado, o psicólogo ou psiquiatra, para uma avaliação mais criteriosa.

É válido ressaltar que em nenhum momento o fisioterapeuta deverá usar a terminologia TDC ao se dirigir ao paciente, pois a sua hipótese de diagnóstico deverá ser confirmada por um profissional habilitado, após a exclusão de outros comportamentos compulsivos tais como, a anorexia e a bulimia.

Considerando que primeiramente portadores de TDC procuram um profissional da área estética e somente tardiamente psicólogos ou psiquiatras, Ramos (2004) desenvolveu uma Escala de Avaliação do TDC destinada à profissionais da saúde.

O objetivo desta avaliação é o de contribuir para a identificação precoce deste transtorno evitando ao paciente o dispêndio financeiro em procedimentos caros e desnecessários e ao profissional, cuidado com a integridade de sua imagem profissional perante à sociedade.

Os pacientes portadores de TDC sempre questionarão a eficiência do tratamento e consequentemente, a capacidade do profissional se mostrando permanentemente insatisfeitos com os resultados alcançado por melhores que sejam.

Referências:

Conrado LA. Prevalência do Transtorno Dismórfico Corporal em pacientes dermatológicos e avaliação da crítica sobre os sintomas nessa população. 2008. 169 f.Tese  (Doutorado em Dermatologia) – Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

Jorge RTSabino Neto MNatour JVeiga DFJones AFerreira LM. Brazilian version of the body dysmorphic disorder examination. Sao Paulo Med J. 2008 Mar 6;126(2):87-95.

Ramos KP, Yoshida, EMP. Assessment Scale for Body Dysmorphic Disorder (AS-BDD): psychometric properties. Psicol. Reflex. Crit.,  Porto Alegre ,  v. 25, n. 1,   2012.

Ramos, K.P. Escala de Avaliação do Transtorno Dismórfico Corporal: Propriedades psicométricas. Tese (Doutorado de Psicologia). 2009. 129 f. Faculdade de Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, SP

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here