Bem estar para gestantes

0
385

Os estudiosos de diversas ramificações da saúde da atualidade defendem que a gestante pode e deve realizar tratamentos estéticos e ainda conciliar á atividade física juntamente com as recomendações nutricionais para beneficiar tanto o físico como mental, construindo assim postura dinâmica e aumentando sua autoconfiança diante dos desafios que passará nesse período tão importante para a mulher moderna, que por conta de sua rotina ativa pode viver incidências inestéticas como cloasma gravídico, ptose abdominal e mamária, além da elevação do grau de celulite e surgimento de estrias e para que o índice de estresse e ansiedade seja minimizado, recomenda-se a aplicação de terapias alternativas ou complementares para garantir o bem estar da gestante, além de controlar as possíveis oscilações comportamentais em todo período gestacional. Os benefícios das terapias como massagem com conchas, aromaterapia, massagem ayurvédica, pindas chinesas, esferas cromoterápicas entre outros estão relacionados com o sensorial que evidencia aplicabilidade tanto na saúde, como em atividades que possam melhorar o desempenho e qualidade de vida da gestante no que diz respeito à vida social, profissional e familiar interferindo assim em todos os aspectos sentimentais, envolvendo o psicológico. Em se tratando de benefícios físicos relacionados às massagens, obtém se:

– Maior aporte sanguíneo e de oxigênio;
– Facilitador das atividades de cosmecêuticos com ações: hidratantes, nutritivas, regeneradores, antioxidantes, secativos e antiinflamatórios no caso de acne.

Necessário acentuar que a aplicabilidade das terapias alternativas durante a gestação pode ser iniciada após o primeiro trimestre caso não exista intercorrência no quadro clínico da gestante, já em caso de complexidade gestacional as terapias podem ser vetadas por determinação médica. Relacionado ao sistema neurológico, pode ser dizer que em alguns casos a percepção em diversas situações, pode sofrer alterações no que diz respeito à identificação cores e formas, além da margem de “ponto cego” aumentar. Em se tratando de paladar e olfato, pode haver um aguçamento dos sentidos, o que pode explicar os desejos ou aversões a determinados alimentos. Já a resposta neural de tempo, ação e reação de força pode ser comprometida, acarretando em implicações de segurança, tanto no trabalho como em outras atividades. Quanto aos processos emocionais como ansiedade, insônia, habilidades cognitivas podem ser potencializadas ou minimizadas no decorrer da gestação. (ARTAL R., MASAKI. D. I. e ROMEN Y., 1.999) Pode-se afirmar que o estado emocional durante toda a gestação pode interferir no momento do parto por esse motivo são indicados treinamentos de atividade física e também psíquica. (ARTAL R. e GARDIN S.K., 1.999) O estado gestacional para a mulher resume-se pelas alterações endócrinas, fisiológicas, neurais e fatores extrínsecos (de fora para dentro) que podem alterar o seu emocional. Todas essas mudanças são decorrente das alterações hormonais, que podem se tornar muito característico de mulher para mulher.

Em relação ao volume uterino normalmente a gestante apresenta aspectos de constante crescimento abdominal, que gera protrusão extrema alterando a postura, por causa do aumento da curvatura da coluna, como hiperlordose hipercifose e por consequência, acentuação da curvatura torácica, além da pressão na coluna e articulações. O útero quando em constante crescimento deixa de ser um órgão pélvico, para se tornar abdominal e dependendo do seu tamanho gestacional, desloca intestinos entrando em contato direto com a parede abdominal. O útero pode aumentar 150 vezes a sua capacidade, porém sua capacidade chega a quase 1.000 vezes mais, durante a gestação o seu peso aumenta até 20 vezes, não levando em consideração o peso do feto, em termos gravídicos o feto mais o peso do útero correspondem em média a 06 kg, ao ganho de peso materno. (ARTAL R., MASAKI. D. I. e ROMEN Y., 1.999) pg 09

imagem - nancy

Outro componente importante que interfere na gestação é alcançar a homeostase gestacional, o que significa a estabilidade térmica, ou auto regulação, que por consequência interfere no equilíbrio hídrico corpóreo da gestante, existem fatores que podem influenciar de forma direta para que ocorra a homeostase na fase gestacional, são: – Altitude – relacionada à pressão atmosférica, exercida no organismo humano quando se vive em regiões mais elevadas que o nível do mar. Significa a força gravitacional atmosférica em um organismo, como, por exemplo, facilitar o fluxo sanguíneo quando o individuo se encontra em regiões da alta altitude, facilitando assim a correta termo – Ingestão de Água – logicamente caso não exista o consumo adequado de água, o organismo será incapaz de realizar corretamente o controle de temperatura corpórea.
– Exposição ao Calor – muitas vezes mesmo longe do sol, alguns ambientes podem chegar a temperaturas ainda mais quentes do que se estivessem expostas ao sol, prejudicando em demasia a saúde.
– Mobilidade Física – quando se permanece em inércia, o corpo continua a queimar calorias, mesmo porque, a queima é necessária para gerar energia para que todas as funções orgânicas sejam realizadas com mestria. Porém, para que ocorra a correta homeostase é necessário que o corpo entre em atividade constantemente de forma controlada, durante todo o dia.

O conjunto de modificações dos quais a gestante passa provoca uma séria de fatores dos quais acarreta justamente na mobilidade física, ou seja, o andar, que nesse período é caracterizado por “marcha gingada” segundo Artal, Masaki e Romem, 1999. Acontece a separação da Sínfise Pubica, além da Síndrome do Túnel do Carpo, o resultado é uma mobilidade articular aumentada, provocada pela produção dos estrógenos e relaxina que gera o aumento da retenção de hidrica, principalmente na substância básica do tecido conjuntivo, resultando em edema visível, além da parestesias nas mãos e inchaço exacerbado nos tornozelos. Todas essas mudanças fisiológicas causam Síndrome da Hipermobilidade Ligamentar e Tendinosa, que em outras palavras significa Frouxidão Ligamentar e Tendinosa ou Tendínea, que poderá ser causada pela liberação dos hormônios estrogênicos no período de gestação. Por consequência, a gestante ainda sofrerá a Diástase dos Retos Abdominais, divisão da Linha Alba e estresse do Assoalho Pélvico.

imagem nancy 2Para amenizar as diferenciações citadas até o momento, sugere se a aplicação da massagem para a gestante, pois existirá benefícios de forma direta ou coadjuvante, contribuindo em todos os aspectos em se tratando inclusive de liberação de substâncias orgânicas para promover sensação de bem estar. Porém antes de adotar a prática de massagem é necessário que se tenha inicialmente um histórico fisiológico propício para que sejam inicializadas as sessões de massagem, analisando juntamente com o conjunto multidisciplinar de profissionais que irão garantir a segurança da gestante e do feto. Nesse grupo de profissionais está além do obstetra, nutricionista, preparador físico, esteticista, psicólogo entre outros.

Referência: ARTAL R., POSNER M. D. 1999 O Exercício na Gravidez. Editora Manole LTDA, 2ª edição, pg 213.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here