Beleza com segurança

0
145

A aparência tem preocupado o homem desde a antiguidade levando a práticas cosméticas e cirúrgicas que exploram a vaidade. Em nossa sociedade atual o culto ao corpo e a preocupação com a imagem e a estética faz com que a procura por procedimentos estéticos, seja cada vez maior.

Os centros de estética multiplicam-se, sobretudo nas grandes capitais. Com o ingresso dos públicos masculino e da terceira idade a tendência é que haja um aumento continuado na procura por estes serviços.

Segundo o SEBRAE do Mato Grosso do Sul, centro de estética é uma empresa que presta serviço de tratamento corporal e facial, através de cosméticos e equipamentos diversos, objetivando a melhora estética dos clientes.

As clínicas de estética, diferenciam-se dos centros de estética, porque exigem profissionais técnicos responsáveis, geralmente médicos, além de registro em órgão específico, uma vez que neste tipo de empresa realizam-se cirurgias plásticas, cirurgias vasculares, dentre outros procedimentos invasivos.

Já os centros de estética ou embelezamento, não demandam profissional técnico responsável, recomendando-se, contudo, que os tratamentos estéticos sejam realizados sempre por um profissional qualificado e habilitado, cujo certificado de qualificação deve estar afixado em local visível no estabelecimento.

A prestação de um serviço ao cliente engloba a adequação às especificações e regulamentações vigentes no país. É importante que você conheça as leis que regulamentam o negócio que você trabalha.

O perfil do consumidor brasileiro mudou, esta mais atento a higiene de um modo geral, tanto do estabelecimento, como dos profissionais prestadores de serviços na área de beleza em geral.

Todo cuidado é pouco quando se lida com o público, em especial quando o serviço prestado pode prejudicar a saúde do seu cliente.

Por exemplo, sempre procure nos rótulos dos cosméticos, as seguintes informações: nome do produto, marca, lote, prazo de validade, conteúdo, país de origem, fabricante/importador, composição do produto, finalidade de uso, e principalmente, o número do registro no Ministério da Saúde (ANVISA).

É importante ressaltar que o profissional, a clínica e/ou o centro de estética serão responsabilizados por acidentes causados aos seus consumidores pelo uso inadequado de produtos ou equipamentos.

Sabe aquela empresa ou profissional, que vende equipamentos/produtos estéticos baratinhos? Peça para que eles lhe informem o número do registro na ANVISA e verifique no site do Ministério da Saúde se ele está regulamentado.

Abaixo segue o link:

http://www.anvisa.gov.br/datavisa/Consulta_Produto_correlato/consulta_correlato.asp

Você poderá fazer a consulta pelo número do registro, pelo nome do produto ou pelo CNPJ do fabricante. Se atente também para a data. É importante verificar se este registro não está vencido.

A ANVISA é o órgão responsável pelo aval do equipamento, tanto de sua eficácia, quanto da segurança. Quando um aparelho não é registrado, ninguém garante seus resultados, muito menos a integridade física do cliente.

É o caso de muitos equipamentos e produtos para estética que entram de forma ilegal no País, não passam por fiscalização sanitária, análise técnica e de segurança.

Se você possui conhecimento de profissionais que oferecem produtos e equipamentos sem regulamentação em seus consultórios, clínicas ou centros de estéticas, denuncie à vigilância sanitária do seu município. Solicite informações de como proceder pelo telefone 0800 642 9782 ou pelo fale conosco,  www.anvisa.gov.br/institucional/faleconosco/faleconosco.asp.

Beleza com segurança, sempre!

 

 

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here