Autofagia, sistema de faxina celular antiage

0
713

Estudar o funcionamento e conhecer os mecanismos biológicos celulares capazes de manter a vida, traz a cada dia novas descobertas. Em se tratando de novidades, a cosmética atual, busca trazer recursos para estimular os mecanismos biológicos no sentido da reparação e para isso, conta não somente com as novas tecnologias, mas também as novas descobertas sobre o funcionamento celular. O nosso organismo é dotado de mecanismos estratégicos e faz uso da detoxificação celular visando dar um jeito no “lixo celular” afim de resgatar a saúde e garantir a maior longevidade. A Autofagia, mecanismo biológico de detoxificação celular, é um processo celular fisiológico de degradação e reciclagem que visa a manutenção da homeostase celular, é um processo essencial para o funcionamento da célula, também conhecida como sistema de limpeza celular. Através deste mecanismo, as células são capazes de reciclar proteínas danificadas, agregados protéicos e organelas danificadas. O mecanismo de autofagia inicia quando uma substância que não possui mais função no interior da célula é identificada. Forma-se ao redor dela uma vesícula chamada de autofagossomo que se funde com os lisossomos, rico em enzimas (proteases, lipases, fosfatases, sulfatases e nucleases) que promovem a digestão celular, formando os autofagolisossomos e daí em diante, o”lixo celular” será degradado pelas enzimas dos lisossomos e posteriormente liberados no citoplasma para serem reaproveitados em reações bioquímicas necessárias para o funcionamento das células. A autofagia também é importante para degradar os melanossomas, organelas que contém melanina, pigmento que dá a coloração característica da pele e cabelo, em excesso forma as manchas.

Devido ao envelhecimento, a autofagia é reduzida, permitindo um acúmulo maior de resíduos no interior das células que prejudicam o funcionamento e a homeostase celular. Recente estudo comprovou que após ficarmos expostos aos raios UVA, ocorre oxidação dos fosfolipídeos de membrana e esses se acumulam no interior das células. O aumento dos radicais livres é induzido pela UV e desencadeia processos inflamatórios e lesão tecidual. A autofagia garante a eliminação destas substâncias, retardando o envelhecimento através da eliminação do excesso de lipídios e proteínas oxidados. A função barreira da pele, responsável por manter e controlar a evaporação excessiva de água e manter a pele hidratada, também é beneficiada pelo sistema de autofagia, pois o produto da degradação de constituintes intracelulares farão parte da barreira cutânea e isso é possível através da autofagia. Existem no mercado ativos que possuem a capacidade de ativar o sistema de autofagia da pele, um bom exemplo é o CELLDETOX®, desenvolvido pela Silab, laboratório Francês, e distribuído no Brasil pela Galena. O CELLDETOX® é um ativo obtido por processo de biotecnologia, apresenta um mecanismo exclusivo e essencial para ativação do sistema de autofagia, ou seja, detoxificação celular cutânea. Já a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) tem estudado os efeitos do Resveratrol e da Quercitina, componente da uva e de outras frutas.

Uma combinação das duas substâncias fez células de gliomas (tumores do SNC) entrarem em senescência, processo de envelhecimento irreversível que pode culminar em autofagia e do qual as células normais se valem como forma de evitar que se tornem cancerosas. Sob o efeito dessas duas substâncias, as células tumorais se agigantaram e depois se romperam. O Resveratrol parece perceber quando uma célula é saudável ou tumoral. Outros estudos já haviam descrito o Resveratrol como um composto capaz de deter tipos de tumores, estimular a autofagia e deter o envelhecimento.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here