A força do empreendedorismo

0
181

Empreendedorismo, uma palavra hoje em dia muito usada, muito estudada e com muitas facetas em seu conceito e prática.

Me formei há 5 anos e lembro-me claramente de nossas aulas de administração. Nosso projeto final como requisito para concluir esta disciplina era “construirmos uma clínica”; não só a parte estrutural, mas também tudo o que se referia ao investimento e ao retorno deste investimento, deveria fazer parte deste projeto. Para nós, estudantes de fisioterapia, na metade do curso e cheios de anatomia em nossos córtex cerebrais, isso era tarefa difícil de fazer. Me lembro disso tudo e dessas noites mal dormidas para a entrega do projeto. Mas sinceramente, não me lembro do assunto empreendedorismo e tampouco hoje não me lembro mais daquele projeto.

Pensar em montar um negócio, para a maior parte dos estudantes, era coisa para ricos, para superdotados ou para aqueles que simplesmente tinham “berço”. Como meu caso não era esse, então talvez eu simplesmente preferisse trabalhar na área. Mas o sonho continuava latente.

Os meses se passaram e dentro da minha área, fisioterapia, eu tive experiências diversas em campos distintos. Como muitos, fiz trabalhos home care, trabalhei em hospitais, em UTI, realizei estágio em balneário (aonde se faz tudo), trabalhei com estética e até recreação em hotéis para crianças e idosos. Pensei em desistir. Fazia de tudo e ganhava pouco. Não consegui desistir, amava minha profissão.

O amor a essa profissão fez com que buscasse o lado bom que existia nela. Foi então que percebi que o que era potencial em nossa área estava infimamente explorado, pouco conhecido, nossa relação de respeito e amor ao cliente.

Foi então que contei com o auxílio da família e dos amigos para botar essa ideia em prática. Ir de encontro às necessidades do cliente é um diferencial que todo empreendedor deve ter. Como descobrir essas necessidades? Estudando o seu cliente. Como suprir essas necessidades descobertas? Planejando, se aperfeiçoando. Como começar? Tirando a ideia do papel. Essa transição de um profissional comum  para um empreendedor começa quando a ideia é retirada do papel e colocada em prática. Claro que colocar em prática não é tão simples, necessita dedicação, conhecimento, estratégia e coragem. O dinheiro também é fundamental, mas não é preciso grandes fortunas para se abrir um negócio.

Junto com meu namorado, que hoje é meu marido, iniciamos o pequeno “espaço de bem-estar”. Não gostava de nomear de “clínica” nosso negócio. Não queria que os meus pacientes, ou melhor, clientes, se sentissem dentro de uma clínica. Afinal, clínica remetia a doenças, a um lugar de certa angústia. Porém, eu queria que nesse espaço ainda prevalecesse a ideia de “melhora”, de “cura” que uma clínica oferece. Eu precisava ir de encontro às necessidades do cliente. Então, criamos o slogan “Saúde do Corpo e da Mente”, e é sobre este slogan que até hoje estamos trabalhando.

Nosso “espaço” cresceu, estamos já construindo um novo espaço. Acreditamos na profissão e acreditamos que o potencial do empreendedor está em amar o que faz, compreendendo, dessa maneira, a necessidade de seu cliente. Se você busca ter este potencial, já está praticando o empreendedorismo. Boa sorte a todos!

Compartilhar
Próximo artigoA pele oleosa, suas características e tratamentos
Ana Carolina Prado
MBA em Dermato funcional, Estética e Cosmética/ Centro de Estudos e Formação Avançada IBRAMED Pós Graduada em UTI Formação em Pilates Capacitação em Administração de Pequenas e Médias Empresas/SENAC Aperfeiçoamento acadêmico em Fisiologia do Exercício/ PUC MINAS Diretora da empresa Amefisio

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here