Você sabe tudo sobre a acne?

0
201

Entender sobre suas causas e mecanismos de ação é crucial para alcançar eficiência nos protocolos e associações cosméticas empregadas
De acordo com a sociedade brasileira de dermatologia, a acne é considerada a patologia de pele mais comum. Embora não prejudique a saúde geral do indivíduo, pode acarretar prejuízos na saúde emocional, principalmente quando surge na fase da adolescência. Além disso, um dos principais responsáveis pelo surgimento das alterações que levam à acne são os hormônios sexuais, que começam a ser produzidos na puberdade e ativam as glândulas sebáceas, iniciando o seu funcionamento.
As glândulas sebáceas existem na pele desde o nascimento, mas são os andrógenos e estrógenos (hormônios sexuais) que desencadeiam o seu funcionamento na puberdade. Uma vez ativas, estas glândulas passam a lubrificar a pele e o couro cabeludo, o que também pode gerar oleosidade.

Os principais sintomas desta patologia incluem a formação de:
Comedões: Conhecidos como cravos, são lesões não inflamatórias decorrentes do acúmulo de queratinócitos e sebo no folículo pilo sebáceo. Os comedões podem surgir de duas maneiras: fechados, onde a lesão arredondada é esbranquiçada ou da cor da pele do indivíduo; e abertos, caracterizados por lesões escurecidas devido a oxidação da massa de queratina e sebo, que deixam a pele propícia à proliferação da bactéria P. Acnes e ao surgimento de lesões inflamatórias.
Pápulas: As pápulas caracterizam presença inicial da inflamação, e são lesões sólidas, sem pus e com presença de eritema e dor leve a moderada. Manipulá-las pode acarretar em cicatrizes depressivas e hiperpigmentação.
Pústulas: Consideradas uma evolução da pápula, classificam-se como inflamação mais intensa capaz de atingir o folículo mais profundamente. Nela, há a formação de pus, após o processo de fagocitose das bactérias que atingiram o folículo. É possível realizar a remoção de maneira cuidadosa, para evitar cicatriz depressiva.
Nódulos: São lesões maiores e são ocasionadas pelo rompimento dos comedões em níveis mais profundos da pele. Apesar das diversas discussões acerca do tema, seu tratamento deve ser iniciado o mais precocemente possível, a fim de evitar manchas pigmentares e cicatrizes residuais no tecido.
A prevenção se dá por meio da adequada higienização da pele através do uso de produtos específicos. Não devem ser manipulados.

De acordo com a quantidade e a gravidade destas lesões, a acne pode ser classificada em 5 graus:
Grau ❶: Acne não inflamatória. Há presença de comedões abertos, fechados e ocasionalmente algumas pápulas e pústulas.
Grau ❷: Presença de comedões abertos e fechados, pápulas e pústulas mais predominantes e frequentes. A oleosidade é maior neste grau da acne.
Grau ❸: Todas as lesões anteriores com a presença ocasional de nódulos e cistos.
Grau ❹: Conhecida também como acne conglobata, o Grau 4 apresenta lesões ainda maiores e numerosas. É comum provocar queloides.
Grau ❺: Acne fulminante. É a forma mais rara e abrupta da acne. Causa alterações na saúde geral do indivíduo, que normalmente apresenta febre, aumento de leucócitos e hemorragias.

Existem também outros tipos de acne, como a medicamentosa, cosmética, ocupacional e mecânica. Todas apresentam as mesmas lesões citadas. Contudo, o mais importante é analisar cada caso, e assim tratar não somente as lesões, mas também a causa da patologia. Essas lesões podem acometer também o couro cabeludo e provocar a queda de cabelos.

Fique atento!
A exposição solar pode provocar uma falsa melhora no quadro da acne, devido a sua ação secativa temporária. Todavia, longos períodos de exposição ao sol provocam aumento da secreção sebácea e piora a longo prazo da patologia.
A hidratação da pele oleosa também é importante, pois ajuda manter o equilíbrio do manto hidrolipídico, e reduzir a oleosidade e a descamação. Utilizar cosméticos adequados é a principal ferramenta para qualquer tratamento estético.
Oriente o cliente a não lavar a região muitas vezes ao dia, pois pode sensibilizar a pele. O ideal é realizar limpeza em até duas vezes ao dia, e não esquecer de remover a maquiagem. As toalhas e fronhas devem ser trocadas, preferencialmente, diariamente, para evitar assim a proliferação de bactérias e novas lesões. É importante também não compartilhar esses itens com outras pessoas.
Apesar de muitos produtos e ativos prometerem auxiliar no tratamento da acne, é importante conhecer o mecanismo e ação destes princípios para validar a indicação dos produtos e do tratamento.
Ácido Salicílico: Induz a renovação celular e regula a oleosidade da pele. Ajuda a desobstruir os óstios e tem ação anti-inflamatória. É o esfoliante químico mais indicado para peles oleosas e com acne.
Extrato Betulínico: Derivado das folhas da planta Betula alba L., tem ação sebo-reguladora e antisséptica, reduz a irritabilidade da pele e controla a oleosidade cutânea e proliferação de bactérias patogênicas que contribuem para o surgimento da acne.
Extrato Boswéllico: Derivado de uma árvore originária da Índia, o Extrato Boswéllico possui propriedades cicatrizantes, adstringentes, antissépticas e também anti-inflamatórias.
Extrato Ursólico: O extrato da planta Arctostaphylos uva-ursi apresenta altas taxas de taninos e ácidos orgânicos, principalmente os ácidos cafeíco, salicílico e ursólico. Ajuda na prevenção de novas lesões e possui propriedades anti-inflamatórias, cicatrizantes e suavizantes.
Argila Verde: Rica em zinco, a argila verde promove redução de oleosidade, absorção de toxinas, impurezas e aumento do sistema imunológico, contribuindo para a redução da formação de lesões.
Melaleuca: Com propriedades antifúngicas e bactericidas, apresenta ação potencializada pela disponibilidade do ativo, que é encapsulado em ciclodextrina. Reduz a proliferação de microorganismos na superfície da pele.
Lembre-se!
Conhecer os mecanismos de ação dos ativos utilizados no tratamento da acne contribui diretamente para o sucesso e eficiência dos protocolos e associações cosméticas empregadas.

Autoria:

Mayte Bertolacini
www.belcol.com.br
Pós-Graduanda em Docência do ensino superior, esteticista e cosmetóloga formada pela Universidade Anhembi Morumbi. Coordenadora do departamento técnico educacional da Bel Col Cosméticos.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here