Tamanho de agulha no microagulhamento: Quem pode o quê?

2
12748

Essa, sem dúvida nenhuma, é uma das perguntas que mais recebo através das redes sociais e de do meu site. Até que tamanho de agulha eu posso usar? A resposta não é tão simples, sabe por que? Porque não há legislação para isso e essa escolha vai muito além do que simplesmente eu posso ou não usar determinadas coisas.

Conforme as técnicas vão sendo desenvolvidas e incorporadas a algumas profissões, seus Conselhos baixam portarias para auxiliar os profissionais em como proceder e como estarão apoiados por seus Conselhos.

O que eu recomendo, como alguém que estuda muito a técnica, é que vários fatores sejam levados em consideração ao escolher o tamanho da agulha. Por exemplo, vejo muitos profissionais querendo agulhas cada vez maiores e já é bem embasado na literatura que não há necessidade de usar agulhas maiores que 1,5mm e que é melhor mais sessões de agulhas menores do que uma sessão de 3,0mm por exemplo. Outra questão é: não é o tamanho da agulha que é indicado para determinada alteração estética. Por exemplo, se o paciente tem estrias devo usar acima de 1,5mm? O que determina a escolha da agulha não é a lesão e sim a pele, sua espessura, seu comprometimento e demais fatores. Linhas perioculares são rugas e podem ser profundas e nem por isso vou usar uma agulha de 1,5mm. Anamnese e estudo são fundamentais.

Capacitação, compreensão da técnica e seu mecanismo de ação, são fundamentais para que o profissional obtenha sucesso na mesma. Sempre digo aos meus aluno que passar o roller na face é relativamente simples, mas há várias questões envolvidas: tipo de lesão, espessura da pele, alterações locais e sistêmicas, medicações tomadas pelo paciente, recursos eletroestéticos e manuais realizados, antes e após o procedimento, home care e uma infinidade de fatores relacionados a prática da técnica, que vão desde a escolha de uma aparelho até o jeito correto de manuseá-lo.

Uma das coisas que limitam os profissionais é a dor. Quanto maior a agulha, maior a dor e maior a necessidade de anestesiar. Quando falamos em anestésico entramos na limitação de diversas profissões. Então o que nos limita não é a agulha em si, mas a necessidade de fazer uso de anestésico. Agulhas até 1,0mm costumam ser bem toleradas pela maioria da população com uso de anestésico tópico vendido sem receita em farmácias, agulhas maiores, na grande maioria das vezes, exigem bloqueio anestésico e somente profissionais autorizados por seus Conselhos a executarem esse procedimento ou que possuam anestésicos mais potentes (geralmente vendidos com receita) conseguirão trabalhar oferecendo conforto a seu paciente/cliente. Portanto, a dor e a necessidade de usar o anestésico são fatores limitantes para escolha do tamanho da agulha.

Outro ponto importante é o risco de complicações e habilitação para tratar as mesmas. Quanto maior a agulha, maior a profundidade de penetração, maior o processo inflamatório e maiores os riscos de complicações. A meu ver o profissional só deveria realizar um procedimento que ele tenha capacidade e autonomia para tratar as complicações. Roller maior que 2,0mm gera intensa inflamação, pode gerar hematomas, tram-treck, e se não usados produtos livres de contaminantes, descartáveis estéreis e demais itens de biossegurança podem ser fontes de contaminações, causar granulomas e necessário medicações e em alguns casos até internação.  Caso seu paciente/cliente tenha uma reação alérgica ou outra complicação que necessite de medicações você deverá encaminha-lo ao profissional que possa tratá-lo de forma adequada.

Não se esqueça de fazer uso de um bom aparelho. Existem aparelhos com certificação da Anvisa, porém que não apresentam uma punctura adequada. Ouço pessoas falando que usam roller de 1,5mm quando veem o que o aparelho que uso de 0,5mm faz dizem: “Nossa, é outra coisa! O que eu uso não faz isso!”. Testem os aparelhos pois há diferenças gritantes entre eles.  Não se esqueçam que o uso do aparelho é único, sendo recomendado o descarte em caixa rígida imediatamente após a sessão pois é norma da Anvisa, além disso as famosas derma pen não possuem registro no Brasil sendo todas ilegais até o momento. Seja ético.

Mais importante do que o tamanho da agulha é a avaliação e a escolha adequada do aparelho e dos ativos a serem incorporados ao tratamento. Você pode estar tratando uma pessoa de pele madura, com 70 anos e extremamente fina, nesse caso uma agulha de 0,3mm pode fazer sangramento e terá ação terapêutica e não apenas de permeação cosmética. Tudo isso deve ser avaliado já que o intervalo entre as sessões está diretamente relacionado a ação e profundidade de penetração do aparelho.

Como podem ver, o assunto é extenso e a capacitação adequada é a melhor saída. Recomendo leitura de livros, artigos científicos e um curso de capacitação com profissionais atualizados, com experiência na técnica e na docência, e dessa forma você poderá usufruir apenas dos benefícios das mesmas.

Desejo sucesso e muito microagulhamento de responsabilidade e ético!

Abraços,

Mariana Negrão

Instagram: @profmarinegrao

email: profmarinegrao@gmail.com

www.perolasdaestética.com.br – (link para compra do livro: Microagulhamento: Bases fisiológicas e práticas. Editora CR8 design. 2015.)

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here