Olheiras: Hiperpigmentação Periorbital (Parte II)

0
638

Bom, agora que já conhecemos os tipos e causas das tão terríveis olheiras, abordaremos os tratamentos e eficácia dos mesmos.

Tratamento tópico
Começo dizendo mais uma vez que, para obtermos bons resultados precisamos, como sempre, de uma anamnese detalhada. Verificar o tipo e a causa da olheira é fundamental para o sucesso do nosso tratamento.
Os ativos e/ou medicamentos mais utilizados são basicamente os despigmentantes. Vitamina C, vitamina E, Vitamina K1, ácido azeláico, ácido kójico, Arbutin, Ácido Tioglicolico, haloxyl, entre outros.
Poucos estudos existem sobre a eficácia desses ativos, e ainda assim, não existe correlação dos resultados com os tipos de olheiras existentes.
Muitos desses são encontrados em protocolos cosméticos e dermatológicos para olheiras, associados ou não. Basicamente, buscam a melhora da circulação local, diminuição do depósito de hemosiderina residual e aumento da espessura da pele local.
Ativos anti-dermatosos, anti-inflamatórios, venotônicos, antioxidantes, regeneradores e hidratantes são os mais comuns associados aos protocolos estéticos cosméticos para tratamentos de olheiras.

Eletroterapia
MENS – Microcorrentes – estímulo elétrico de baixa intensidade (na faixa de microamperagem), com efeito antiedematoso. Aumenta a síntese de ATP e auxilia no equilíbrio do fluxo elétrico das células. Auxilia na vascularização, melhorando a oxigenação e nutrição tecidual.
Luz Intensa Pulsada (LIP) – Indicada principalmente para olheiras de origem vascular, pois melhora a coloração e textura da pele, através da síntese de colágeno.
Carboxiterapia – através de punturação superficial é feita aplicação de dióxido de carbono (CO2) no tecido subcutâneo. O procedimento causa um leve descolamento dérmico momentâneo da pele da pálpebra (superior e inferior). Os efeitos fisiológicos causados são além da vasodilatação, a neoangiogênese e a neocolagenase. Consequentemente teremos melhora da oxigenação e nutrição tecidual, melhorara da perfusão sanguínea, diminuindo a estase circulatória local e aumento a resistência e espessura da pele.
Drenagem Linfática – Manualmente ou através de recursos como a vacuoterapia, auxilia na circulação sanguínea e linfática, melhorando a oxigenação e nutrição tecidual, além de diminuir edemas e congestão local.
Importante lembrar – Fatores extrínsecos que pioram o aspecto das olheiras devem ser considerados durante o tratamento de olheiras.

• Evitar / tratar a causa da respiração bucal;
• Evitar o consumo de álcool em excesso
• Evitar o Tabagismo
• Evitar exposição solar excessiva
• Melhorar a qualidade do sono, bem como quantidade de horas

Cuide de sua pele sempre! O resultado do tratamento de olheira requer uma colaboração grande por parte do cliente e após o término será quase sempre necessária uma manutenção.
Procure sempre um esteticista qualificado para realizar seu tratamento!

REFERÊNCIAS
Oliveira, A.L. Curso didático de Estética. Vol 2. Ed. Yendis, 2ªedição, 2014
Pereira, M.F.L., Recursos Técnicos em Estética. Ed. Difusão, 2013
Kede, M.P.V.; Sabatovich, O. Dermatologia Estética. Ed. Atheneu, 2009
Rotta, O. Guia de Dermatologia: clínica, cirúrgica e cosmiátrica – Unifesp. Barueri: Manole; 2008. Alchorne M.M., Abreu M.A. Dermatoses na pele negra.
Rubin, M.G. Peeling Químico. Procedimentos em Dermatologia Cosmética. Ed. Elsevier, 2007.
Souza, D.M.; Ludtke, C.; Souza, E.R.M.; Scandura, K.M.P.; Weber, M.B. Hiperpigmentação periorbital. Surg. cosmet. dermatol ; 3(3)set. 2011.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here