Muito além da hidratação

0
300

O Ácido Hialurônico é um *polissacarídeo natural com excelente compatibilidade biológica, é o principal componente da nossa matriz extracelular (MEC) que além da sua função estrutural, pode influenciar na proliferação celular, está presente em mais de 50% dos tecidos do corpo humano, principalmente nos tecidos conjuntivos e nervosos. Antigamente, era extraído da crista de galo, mas atualmente é obtido principalmente através de fermentação.
Este componente ‘chave’ da matriz extracelular está envolvido em vários mecanismos do processo de cura de lesões, é altamente higroscópico e é essencialmente importante para a visco-elasticidade da pele. Devido à suas propriedades físico-químicas excepcionais e capacidade higroscópica, além da participação em diversos processos biológicos, o processo de envelhecimento leva a uma menor produção de Ácido Hialurônico, com consequente perda de elasticidade, firmeza, hidratação e volume da pele. Os principais sinais do envelhecimento são as rugas, perda de volume e de contorno facial.
A interação entre o Ácido Hialurônico de aplicação tópica e seu receptor da membrana celular CD44 inicia algumas vias de sinalização intracelular, regulando a proliferação, a migração e a diferenciação celular. A resposta celular é amplamente influenciada pelo tamanho da molécula e pela estrutura de fragmentos formados pela degradação do AH pela ação de radicais livres ou da hialuronidase.
Metabolicamente, o Ácido Hialurônico é muito ativo: a meia vida desse composto na pele é de um dia. Embora esteja presente em todos os tecidos, mais de 50% do AH do corpo humano encontra-se na pele. Na epiderme, participa da proliferação e da diferenciação das células basais e na derme está associado ao Versican.

elaine 1

Os cosméticos com Ácido Hialurônico fracionado vetorizado por um silício tem molécula classificada entre 150 – 600 Kda, ou seja, de baixo peso molecular, tais moléculas demonstraram excelente ação de estimular a proliferação celular e intensificar a renovação epidérmica (Efeito Retinoic Like). O papel do AH Hialurônico na pele depende de suas propriedades físico-químicas e de sua afinidade com os receptores da superfície celular (principalmente os receptores CD 44 e RHAMM). Na epiderme, a interação do ácido com esses receptores, desencadeia um sinal que estimulará a proliferação de queratinócitos, diferenciação e mobilidade celular intensificando o Tour Over Celular, apresentando ainda, características de um peeling natural proporcionando clareamento e textura diferenciada a epiderme. Além desta notável função, pode-se observar um comportamento expressivo no aumento dos GAGS (glicosaminoglicanos) na junção dermo epidérmica e na papila dérmica, que identifica o estímulo da produção do AH natural da pele, proporcionando um preenchimento e uma espessura diferenciada .
Combinado com o Vetor Biológico (Silício Orgânico), cuja afinidade com as membranas biológicas tem sido bastante demonstrada, pode incrementar sua ação atuando como um vetor biológico em direção a membrana celular. O Silício Orgânico participa da formação de proteoglicanas e glicoproteínas, e é um dos principais componentes do MEC. A concentração com o passar dos anos diminui significativamente levando a uma desestruturação do tecido, gerando rugas e um aspecto envelhecido. A presença de Silício orgânico disponível na pele intensifica a formação de proteínas como o Colágeno e Elastina através da cito estimulação de fibroblastos .
A chegada desta molécula de Ácido Hialurônico cujo tamanho ideal permite a hidratação e maior renovação celular, sem quaisquer efeitos adversos, potencializado pela ação do vetor biológico Silício Orgânico, transforma o AH em um ativa chave nos tratamentos estéticos .
O AH quando aplicado sobre a pele, tem excelente ação em peles sensibilizadas por tratamentos a Laser ou Peeling, devido à sua ação de regular a cascata de sinalização específica relacionada com a cascata inflamatória.

elaine 2

Ação combinada do Ácido Hialurônico de baixo peso Molecular Vetorizado por Silício:

1. Ação > Silanol e AH: estimula a renovação celular dos Queratinócitos por meio do receptor CD44
2. Peeling Biológico Natural: renovação epidérmica
3. Ação > Efeito Preenchedor: potencializa as células da pele a produzirem Ácido Hialurônico e preencherem as rugas naturalmente.
4. Efeito > Hidratação >Ácido Hialurônico: molécula hidrofílica: agrupa moléculas de água e cria um reservatório
5. Silício Orgânico: Reestruturação da Derme

MEC Matriz extracelular e sua importância
Quando o assunto é envelhecimento cutâneo é de extrema importância a qualidade e integridade da matriz extracelular (MEC). Ela regula e intermedia praticamente todas as trocas celulares e os sinais intercelulares, sendo responsável em grande parte pela homeostase do tecido. No tecido conjuntivo, as células se encontram dispersas em meio abundante de matriz extracelular. A MEC é formada por elementos fluidos e fibrosos. Os fluidos são as Glicosaminoglicanas (Polissacarídeos), ou melhor, o Ácido Hialurônico e Proteoglicanas (complexos Glicoprotéicos). Os fibrosos são proteínas estruturais (Colágeno ou Fibras Colágenas) e proteínas adesivas (Fibronectina e Laminina ambas Glicoproteínas fibrosas).

O AH fracionado vetorizado por Silício é uma ferramenta extraordinária na manutenção e recuperação da MEC. Uma vez que estimula a produção das GAGs e seu amarzenamento na junção dermo epidérmica, teremos uma qualidade nas trocas celulares e nos sinais intercelulares em melhores condições. A presença do Silício na molécula, estrutura os constituintes fibrosos (Colágeno) de forma significativa.

As funções mais importantes da matriz extracelular:

• Preencher os espaços não ocupados pelas células
• Resistência aos tecidos
• Meio por onde chegam os nutrientes e são eliminados os dejetos celulares
• Ancoragem para as células
• Veículo de migração das células
• Meio para transporte de sinais intercelulares

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here