Microblading, o novo ‘boom’ na micropigmentação

0
2813

Atualmente, o grande boom da micropigmentação tem sido o microblading. Esta adaptação ocidental, onde usamos o tebori para esculpir cada fio por vez das sobrancelhas realmente veio para ficar. Mas, mesmo depois de tanto tempo, ainda existem algumas dúvidas sobre esta técnica, que nada tem de novidade. Vejam que ela já esteve por aqui há mais ou menos 15 anos, mas infelizmente poucos profissionais quiseram investir, pois havia todo um preconceito onde era muito comum eu ouvir que se tratava de uma técnica arcaica, primitiva e que não fazia sentido depois de termos um dermógrafo elétrico, isso é coisa de índio, falam. Nesta época, já dávamos aula, eu e o professor Sidney Duarte, e vimos muito essa resistência ocorrer, o que nos fez usar o tebori em clientes com marca-passo ou qualquer situação em que não se pudesse fazer uso do dermógrafo.
De certa maneira, eu confesso que na época me empolguei e resolvemos investir pesado, porém ficamos com uma quantidade enorme de material parado, pois ninguém queria se sentir primitivo. Depois de um tempo, entendi que tal investimento nos daria algum fruto com o amadurecimento da profissão no Brasil e foi através da globalização, que nós, profissionais, conseguimos ter mais acesso a informações. Qual não foi minha grata surpresa quando vi outra vez ressurgir das cinzas os teboris, as lâminas e finalmente os resultados maravilhosos que o microblading permite alcançar!
Porém, temos um porém, nem tudo é realmente tão fácil ou tão simples como alguns cursos nos fazem crer, não. Na verdade, embora seja um procedimento simples ele não é um dos mais fáceis. É até fácil esculpir um fio na pele, pois a haste é dominada sem grande dificuldade, no entanto, os resultados tem falado por si. Muitos estão ficando decepcionados com a técnica e seus resultados e estão retornando ao seus dermógrafos.
A durabilidade é uma das questões mais abordadas pelos profissionais, seguida, é claro, da colorimetria e o grande fantasma dos fios, que é o resultado esfumado…
Escrevi este artigo para a revista Negócio Estética com muito carinho, afim de amenizar alguns possíveis resultados ruins e sanar algumas dúvidas mais simples que dispensem a presença do professor em sala.

Com relação a durabilidade, pode ser relativa como a durabilidade de qualquer procedimento na micropigmentação, porém não podemos esquecer o fato de que precisamos de uma certa superficialidade na hora do implante da tinta na pele, pois as agulhas agrupadas se tornam lâminas que podem causar lesões sérias pois literalmente cortam a pele para implantar a tinta. Assim, se houver uma profundidade além do necessário, teremos um corte com sangramento que nos dará 3 problemas basicamente:
1 – Reação inflamatória exacerbada, resultado de uma lesão maior, o que fará com que mais células de defesa se façam presentes na região, facilitando a expulsão do pigmento implantado e alguma absorção com depósito de tinta nos linfonodos. Quanto maior a inflamação, menor será a fixação.
2- Com uma lesão, colocamos em risco nosso trabalho e o rosto da cliente que pode desenvolver uma cicatrização imperfeita que pode ser uma cicatrização hipertrófica com aumento do volume local ou uma cicatrização hipotrófica, onde verificamos depressões na pele no lugar dos fios. O queloide, embora seja algo mais difícil de acontecer, não pode ser descartado, principalmente em indivíduos de descendência negra, onde teremos ali fibroblastos e macrófagos aumentados em número e em tamanho.
3- A cor, quando depositada em camadas mais profundas, em geral revela um tom frio, pois sabemos que ocorrem alterações na cor visual em função de saturação ou de profundidade. Sugiro a leitura do último post “a mecânica da mudança de cor”, escrito por mim e postado aqui nesta revista também. Daí muita gente falar que devemos usar a tinta já aquecida sempre em qualquer circunstância na execução desta técnica.

Sim, devemos nos preocupar em aquecer as cores de forma correta por isso conhecer colorimetria é essencial, pois no microblading não conseguimos a saturação, mas facilmente conseguimos uma profundida maior que no uso do dermógrafo. Quando muitos profissionais afirmavam que a durabilidade era menor, pois se tratava de uma técnica superficial eu em tempo consegui a duras penas provar que de longe o microblading seria assim superficial. E que o problema com relação a durabilidade está na baixa saturação (menor quantidade de tinta que entra na pele), ou seja, a lâmina entra uma vez para depositar a tinta, ao contrário da agulha do dermógrafo que é capaz de entrar várias vezes por segundo.

Não quero dizer com isso que o dermógrafo não possa implantar profundamente a tinta ou que não podemos “superficializar” o tebori, pois me refiro somente a uma situação de acerto, tendo como princípio o uso correto dos aparelhos e a aplicação perfeita da técnica. Neste caso, o implante se dará para execução de fios na junção dermo epidérmica.
Treinar é importante, e antes de aplicar no rosto de suas clientes treino e dedicação devem ser realizados em rostos de silicone, peles artificiais e ou qualquer outra forma de simular o rosto de nossa cliente.
O microblading pode ser tão duradouro quanto efêmero pois a variação é grande nos resultados pois é grande a variação das reações de cada pessoa. Na dúvida não prometa mais que 6 a 8 meses pois os fios se bem feitos vão durar em média este tempo ali na pele definidos e visíveis, inclusive mesmo com dermógrafo a duração também não é tão grande. Pois classifico como duração o fato de vermos o trabalho ainda definido sem desbotamentos.

Lembre a sua cliente que se trata de um trabalho mais artístico e artesanal que com uso do dermógrafo com resultados mais leves e delicados, e o preço da arte possui valores diferentes. Uma vez informada, sua cliente ficará feliz em saber que poderá usufruir de lindas sobrancelhas, e caso dure mais que isso todos ficam felizes. Eu tenho alguns casos onde a duração já passou de um ano, mas são casos atípicos por enquanto. Sabemos que sempre haverá mudanças e tudo evolui, assim quem sabe em breve tenhamos resultados mais naturais, e com maior durabilidade.
Bom ficamos por aqui e aguarde a próxima postagem aqui neste canal! Um grande abraço e nunca se esqueçam:

“A luz do conhecimento nos livra das trevas da ignorância” 

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here