Microagulhamento – Parte 2

0
631

Como já vimos, o microagulhamento é bastante eficaz para tratamentos de estrias, cicatrizes de acne, rejuvenescimento, rugas, entre outras queixas. É uma técnica segura e eficaz desde que respeitados todos os cuidados pós técnica.
Vamos conhecê-los?
– Nas primeiras 4 horas após o tratamento não deve ser utilizado nenhum cosmético na pele, além daqueles que foram utilizados pela esteticista, nem mesmo filtro solar. Os cosméticos utilizados em cabine devem ser preferencialmente hidrossolúveis, como géis, loções aquosas ou emulsões óleo em água. Cosméticos “pesados”, como cremes, emulsões agua em óleo, ou óleos podem tamponar a pele e predispor a formação de comedões e demais lesões. Não poderá também ser utilizado nenhum cosmético que deva ser retirado da pele, pois a mesma encontra-se lesionada, e o que nela for colocado não será possível remover.
– Nos primeiros 5 dias a pele poderá apresentar-se sensibilizada, com sensação de ardência (parecida com a queimadura solar), após a aplicação. É importante que não seja utilizado nenhum ativo calmante, pois iria “diminuir” o efeito da técnica, nos primeiros 5 dias. Também não deve ser utilizado nenhum produto ou técnica que aumente o processo inflamatório.
– Intervalo entre as sessões deve variar de acordo com a queixa e estado cutâneo. As sessões são feitas em média uma vez por mês para respeitar o ciclo de renovação, reparação e cicatrização da pele. Porém para agulhas menores (0,2mm e 0,3mm) pode-se utilizar até 1 vez por semana, por terem uma atuação mais superficial.
– Respeitar as contraindicações da técnica: diabetes, gestantes, peles hipersensíveis, processos inflamatórios, infecciosos, queimaduras, rosácea, herpes ativa, acne adulta, cicatrizes hipertróficas e queloides, pacientes que fazem uso de corticoides, antiinflamatorios, isotretinoina (somente após 6 meses), pacientes com alergias a metal ou aos cosméticos utilizados em associação é fundamental!

É indicado que sejam feitos protocolos de hidratação após e entre as sessões de microagulhamento para melhor resultado. Para isso podem ser utilizados cosméticos ou até mesmo equipamentos como led azul por exemplo.
Pessoas com fototipo alto (fototipos V e VI) com tendência a hipercromias, devem ser avaliadas com mais cuidado para ver se a técnica é realmente indicada, sem risco de hipercromias pós inflamatória principalmente.
Lembre-se sempre de procurar um profissional treinado e qualificado!
Obrigada e até o próximo!


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Kadunc BV. Cicatrizes de acne. In: Kede MPV, Sabatovivh O. Dermatologia estética. São Paulo: Atheneu. 2004; Cap. 6.5,
Metelmann U, Machado Filho CD, Meireles SIFC, Teixeira LPVB. Técnica de Croll: cirurgia de reconstrução com laser localizado em cicatrizes de acne. Surgical & Cosmetic Dermatology. 2010;
Satish D. Microneedling with Dermaroller. Journal of Cutaneous and Aesthetic Surgery. 2009;
Aust MC, Fernandes D, Kolokythas P, Kaplan HM, Vogt PM. Percutaneous Collagen Induction Therapy: An Alternative Treatment for Scars, Wrinkles, and Skin Laxity. Plastic and Reconstructive Surgery. 2008;
Lima EVA, Lima MA, Takano D. Microneedling: experimental study and classification of the resulting injury. Surgical & Cosmetic Dermatology. 2013;
Fernandes D. Percutaneous Collagen Induction: An Alternative to Laser Resurfacing. Aesthetic Surgery Journal. 2002;
Aust MC, Reimers K, Gohritz A, Jahn S, Stahl F, Repenning C, Scheper T, Altintas MA, Schwaiger N, Redeker J, Vogt PM. Percutaneous collagen induction. Scarless skin rejuvenation: fact or fiction? Clinical and Experimental Dermatology. 2010;
Fabbrocini G, De Padova MP, De Vita V, Fardella N, Pastore F, Tosti A. Periorbital wrinkles treatment using collagen induction therapy. Surgical & Cosmetic Dermatology. 2009;
Arora S, Gupta PB. Automated microneedling device – a new tool in dermatologist’s kit – a review. Journal of Pakistan Association of Dermatologists. 2012;

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here