A importância da cosmetologia no segmento estético

0
123

A ciência que estuda a aplicação e os efeitos dos cosméticos se tornou uma ferramenta indispensável tanto para a medicina dermatológica quanto para a área estética

A pele é um órgão de extrema importância para o corpo, pois promove proteção e revestimento. Por isso, é necessário um cuidado especial, que pode ser caracterizado por bons hábitos associados à proteção e estímulo das propriedades teciduais. Para o estímulo cutâneo ou permeação cutânea de fora para dentro, indica-se o uso de produtos cosméticos que podem ser aplicados nas diversas partes do corpo humano, tais como pele, sistema capilar, unhas, lábios, órgãos genitais externos, dentes e membranas mucosas da cavidade oral. A finalidade destes produtos pode ser variada ou apresentar função principal ou exclusiva de limpar, perfumar, alterar sua aparência, corrigir odores corporais ou protegê-los e mantê-los em bom estado.

A função de um produto cosmético é determinada pela ação dos princípios ativos. Quanto maior for o grau de penetração na pele, maior a atividade e ação do produto nas regiões aplicadas. E é justamente aí que a Cosmetologia entra em questão, já que é a ciência que estuda os cosméticos desde a sua elaboração até a aplicação. Além disso, estuda a interação de seus efeitos quando utilizados em seres humanos, bem como as regras que regem suas funcionalidades, sejam elas de natureza física, química, biológica ou microbiológica.

Diversos são os fatores biológicos e fisiológicos que afetam a permeação da pele, como, por exemplo, o teor lipídico, espessura, sexo, idade, nível de hidratação, integridade e região da pele. Por essa razão, para o desenvolvimento de um produto cosmético, deve-se levar em consideração todos os fatores responsáveis por causar interferências.

Atualmente, é possível realizar tratamentos cosméticos com resultados altamente satisfatórios e perceptíveis na prevenção do envelhecimento cutâneo graças ao avanço das pesquisas químicas, físicas, médicas e biológicas. A partir dos estudos realizados, descobriu-se diversas tecnologias disponíveis para aumentar a ação dos produtos cosméticos, tais como a nanotecnologia, biotecnologia, entre outras.

Substâncias bioativas
Utilizadas em formulações, atuam de forma sinérgica capaz de ampliar a eficácia dos produtos. Os bioativos são selecionados por afinidade com a pele, ou seja, são substâncias que se aproximam ao máximo à química orgânica e inorgânica dos componentes das células da pele. Neste contexto, é possível mencionar os lipídeos, proteínas, vitaminas, aminoácidos, sais minerais, entre outros.

Nanotecnologia
Consiste em empregar em compartimentos substâncias ativas em veiculadores, cujo tamanho se estabelece em faixa nanométrica (50 nm a 300 nm). O cosmético aplicado sobre a pele libera os ativos que tiveram seu tamanho reduzido, agindo na camada basal, local onde se originam as células da pele. Os tipos de estruturas desta tecnologia se classificam em nanopartículas, nanocápsulas, nanoesferas, nanoemulsões, lipossomas e niossomas. Atualmente, a nanotecnologia é bastante utilizada não apenas pela indústria cosmética, mas também pela indústria têxtil, médica, eletrônica, entre outras diversas áreas.

Biotecnologia
A indústria cosmética também utiliza a biotecnologia, que consiste no emprego de agentes biológicos – células, moléculas, organelas e organismos – no desenvolvimento de ativos para uso cosmético com diferentes ações, tais como estimulação metabólica (produção de fibroblasto, por exemplo) e do ciclo de crescimento. Um princípio ativo bastante conhecido e utilizado pela cosmética é o Fucogel (Biosaccharide Gum 1), um polissacarídeo de alta viscosidade que é obtido a partir da fermentação de vegetais. Quando utilizado na pele, diminui a irritação causada por poluentes ambientais e forma uma espécie de película que tem a capacidade de capturar moléculas de água, de modo a promover hidratação imediata e prolongada, além de doar ótimo sensorial e espalhabilidade ao produto.

Com suas funções básicas de conservação, correção e decorativa/estética, os cosméticos são aplicados diretamente sobre a pele humana. Por essa razão, exigem um controle específico da sua funcionalidade e procedimentos de segurança em sua fabricação e uso.

Este grupo de produtos deve atender às exigências feitas por órgãos regulatórios, que estipulam padrões e normas a serem seguidas. De acordo com a RDC nº 48 de 25 de Outubro de 2013, os produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumes destinados à comercialização devem estar devidamente regularizados e fabricados por indústrias habilitadas e regularmente inspecionadas pela autoridade sanitária competente. O sistema regulador realiza as inspeções realizadas por meio de visitas técnicas feitas pela vigilância sanitária local pelo menos uma vez ao ano para verificar se a indústria atende às Boas Práticas de Fabricação, e se está apta fabricar e comercializar estes produtos.

A Cosmetologia se baseia no desenvolvimento de formulações, fabricação, produção, comercialização legal, toxicidade e funcionalidade desses produtos cosméticos para uso tópico em pessoas. Profissionais de diversas áreas como farmacêuticos, químicos, biomédicos, esteticistas e fisioterapeutas se dedicam ao estudo desses produtos que cresce constantemente, colaborando com o desenvolvimento e implantação de novas tecnologias, bem como a potencialização de tratamentos cosméticos.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here