A “sutil” diferença entre emagrecer e perder peso

0
550

O conceito de dieta da minha preferência é derivado do grego, que, traduzindo, significa MODO DE VIVER.
A banalização da dieta, causada pelos veículos de comunicação, que são os grandes responsáveis por esse desespero juntamente com o objetivo surreal e a busca de resultados imediatos. Um plano prescrito pelo nutricionista é fruto de anos de estudo, onde a individualidade é respeitada e deve ser encarado como tratamento (terapia aliada a nutrição comportamental por exemplo), qualquer que seja o objetivo e deve ser encarado e respeitado como um tratamento medicamentoso.
A perda de peso está diretamente relacionada com a diminuição da massa corporal geral, no qual podemos ver os números da balança cada vez mais baixos. Já o emagrecimento está relacionado à redução de qualquer quantidade de gordura corporal.
Para quem acha que passar horas a fio sem comer é o segredo para emagrecer como num passe de mágica, alguns estudos mostram que pessoas que buscam reduzir medidas apenas à base de dieta chegam a ter 50% da redução do peso vinda da perda de massa muscular, o que não é nada bom.
Precisamos diferenciar emagrecer de perder peso, pois perder peso significa subir em uma balança hoje e pesar, por exemplo, 70 kg. Depois de uma semana você sobe novamente na balança e está pesando 67 kg. Ou seja, em uma semana houve o decréscimo de 3 kg de peso. Mas isso significa necessariamente que houve o emagrecimento? Não!
Emagrecer significa tornar-se mais magro, ou seja, ter mais massa magra e/ou menos gordura no corpo. Uma pessoa pode conseguir isso de três formas: aumentar a massa muscular (massa magra), diminuir a quantidade de tecido adiposo (massa gorda) ou a somatória dos dois. E emagrecer, que é o objetivo principal, não é fácil nem rápido!
Com isso, o que é importante entender é que as pessoas não engordam de um dia pro outro. Logo, não adianta querer emagrecer da mesma forma… os dois são processos crônicos. Não há magia ou pílula milagrosa (pelo menos nada que seja legalmente comercializado e que não coloque em risco a vida do indivíduo).
Uma alimentação que adicione ao invés de excluir, que ensine ao invés de restringir, que faça feliz ao invés de estressar é a única forma de ter um organismo saudável e em consequência disso controlar o peso. Infelizmente com essa rotina não é possível milagrosamente emagrecer 20 quilos em 1 mês, mas também é possível alcançar o objetivo e depois disso mantê-lo sem ter dia para acabar a dieta, pois é baseado em mudança de hábitos, alimentar-se de forma equilibrada sem tirar nada, reeducar seu corpo e mente para uma vida mais saudável sem precisar ficar com fome.
Isso é reeducação alimentar, é focar primeiramente na saúde, equilibrar, adicionar, retirar vícios alimentares, mas sem te deixar estressado, fadigado e principalmente, morrendo de vontade de terminar logo o tratamento.
A principal questão! Como emagrecer de verdade, eliminar gordura sem perder massa muscular? Não tenho dúvidas sobre a resposta: reeducação alimentar e atividade física regular. Não existe milagre, pessoal. É preciso se reeducar, é preciso emagrecer o cérebro e mexer o corpo! O corpo sedentário é como um carro parado na garagem sem ninguém usar há meses: ele simplesmente enguiça! E não precisa se transformar numa super rata de academia se você não gosta. Eu não gosto de academia e não gosto de musculação, prefiro atividades ao ar livre, como a corrida. Isso é muito pessoal. Aliando atividade física e reeducação alimentar eu já eliminei mais de 20 kg sem perder massa muscular alguma (mesmo sem fazer musculação), o que só prova que minha dieta está muito bem equilibrada.
Atualmente, temos visto um aumento nos casos de excesso de peso e obesidade no Brasil e no mundo. Isto, associado ao desejo principalmente das mulheres, em atingir uma silhueta cada vez mais magra, acaba fazendo com que cada vez mais pessoas busquem métodos para emagrecer, que vão desde dietas milagrosas e duvidosas como por exemplo a dieta da lua, dieta das proteínas, dieta do sopão, shakes, dieta da lombriga, etc., até os mais éticos que ensinam e estimulam a tão falada Reeducação Alimentar.
Porém, o termo reeducação alimentar tem sido usado de forma indiscriminada em textos, produtos e até mesmo por profissionais da saúde, perdendo seu verdadeiro significado e caindo na banalização.
A reeducação alimentar envolve não somente o que se come, mas ela se inicia já na escolha do alimento, no ambiente em que se come e como se come.

O que caracteriza a reeducação alimentar
São várias atitudes e escolhas que compõem os hábitos alimentares saudáveis e estes muitas vezes são tão simples que acabam gerando certa desconfiança, pois as pessoas estão acostumadas com dietas proibitivas e quando se deparam com uma orientação onde você pode comer de tudo, desde que com moderação, atento à freqüência e à quantidade dos alimentos, acham que não dará certo.
É freqüente ouvirmos a pergunta se um determinado alimento engorda ou não e a resposta muitas vezes não agrada quem a fez, pois é importante que se aprenda que tudo dependerá de quanto e com que freqüência se come um alimento muito calórico. Muitas vezes ao proibir alguém de comer um chocolate, por exemplo, estamos aguçando justamente sua vontade para esse alimento.O ideal é ensinar quanto ou como proceder para comer uma determinada quantidade desse alimento.
Veja a seguir algumas atitudes básicas que caracterizam a reeducação alimentar e que podem ser aplicadas na sua alimentação diária:

• Comer mais vezes e em menor quantidade
• Comer frutas diariamente
• Comer verduras e legumes diariamente
• Evitar as frituras e alimentos gordurosos.
• Não exclua as massas.
• Carnes com moderação
• Beber bastante água
• Faça um bom café da manhã.
• O ambiente das refeições

Concluindo, a reeducação alimentar envolve pequenas mudanças no dia a dia, mas que a longo prazo trazem muitos benefícios à saúde. Estes hábitos devem ser aplicados por toda a vida e não somente quando se deseja emagrecer, para que assim, o peso seja mantido.
Você pode perguntar onde entram na reeducação alimentar as pizzas, lanches, festas, bolos, entres outros. Como já foi citado, posso dizer que estes alimentos não são proibidos, mas devem ser consumidos com moderação e com baixa freqüência. Não há necessidade de privação, mas bom senso e conscientização de que o problema está no quanto se come e com que freqüência.

Analise sua alimentação como é hoje, veja se precisa melhorar algo e comece agora mesmo. Não se preocupe se houver falhas e esquecimentos, pois isto com certeza ocorrerá, afinal hábitos não são mudados de um dia para outro. Seja persistente e tenha em mente os benefícios que terá com essas mudanças. Se for preciso anote tudo que come por alguns dias e com esses dados veja o que faltou, o que esteve em excesso e comece a modificar sua alimentação.

Como saber se você emagreceu
1.Existem métodos matemáticos para estimar o percentual de gordura e músculos do corpo. Em uma avaliação na academia o profissional de educação física tira suas medidas e com base nelas calcula tudo. Você pode acompanhar a evolução refazendo a avaliação a cada 3 meses.
2.A bioimpedância é uma tecnologia de que algumas balanças domésticas hoje em dia já dispõem. A balança com bioimpedância é capaz de estimar o seu percentual de gordura e músculos bastando subir descalço nela e esperar alguns segundos. Não é um número preciso, mas serve de referência para você observar se o que está reduzindo mesmo é a gordura.
3.Como eu disse antes, tire suas medidas e compare-as de tempos em tempos. A cada 2 ou 3 meses é o suficiente. Mais que isso pode te deixar ansiosa.
4.Pese-se apenas 1 vez por semana, na mesma balança, no mesmo horário, de preferência em jejum pela manhã e após ir ao banheiro. Assim você terá mais chances de fugir dos efeitos da flutuação natural do peso e observar o que é emagrecimento mesmo.
O emagrecimento é sempre acompanhado de uma redução do volume corporal. O importante é sentir a roupa ficando larga, medidas diminuindo! Por isso, se quiser emagrecer esqueça a balança!”

Lembre-se que a alimentação saudável é fundamental para se ter qualidade vida!

Referências
http://clinicamedicabemviver.com.br/bem_viver_news.php?id=65
http://maisequilibrio.com.br/saude/emagrecer-e-perder-peso-nao-e-a-mesma-coisa-5-1-4-505.html

EMAGRECER X PERDER PESO


http://acerejeira.com.br/a-banalizacao-da-alimentacao/
http://www.nasceumadiva.com.br/emagrecer-x-perder-peso/
http://www.cafesnet.com.br/secao.php?secao=artigo&imagem=noticias&cod=11

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here