O poder da lipocavitação frequencial multipolarizada na modelagem corporal

0
462

Novos horizontes estão se abrindo para o fisioterapeuta especialista em Dermato-Funcional. Após aprovação por unanimidade pelo COFFITO, no dia 16 de julho de 2012, ampliaram-se ainda mais os recursos terapêuticos deste profissional, que tanto é solicitado pelo mercado de trabalho, porém agora sobre o respaldo dos Conselhos Regionais e Federais.

Com este cenário atual, o especialista em Dermato-Funcional acaba tendo um poder maior para combater uma das principais queixas que incomodam o público feminino: a Lipodistrofia e o Fibro Edema Geloide.

As células de gorduras (adipócito) localizam-se na hipoderme, esta, por sua vez, apresenta algumas funções, entre elas o armazenamento de energia (em forma de gordura). Devido ao hábito alimentar associado ao estilo de vida sedentário, o organismo acaba promovendo a hipertrofia e a multiplicação destas células. Já o Fibro Edema Geloide é uma síndrome, de prevalência ao sexo feminino, no qual apresenta algumas alterações estéticas tais como, estase venosa e linfática, aderência tecidual e hipersensibilidade da área acometida, nos casos mais graves.

Com o avanço tecnológico da Medicina Estética, hoje o mercado apresenta equipamentos capazes de produzir lipólise, além de melhorar a textura e modelagem corporal (lifting tecidual).

A Lipocavitação ou Ultracavitação é um procedimento ambulatorial, não cirúrgico, no qual se utiliza de um equipamento de Ultrassom diferenciando (por produzir uma freqüência em kHz) capaz de destruir o adipócito, através do fenômeno Físico e Mecânico da Cavitação (onda eletromagnética capazes de fracionar o Triglicerídeo em Ácido Graxo e Glicerol). Segue abaixo imagens ilustrativas, da Lipocavitação.

Lamina antes e Depois

Este material observado após a Ultracavitação é absorvido pelo sistema linfático e metabolizado pelo sistema hepático. Vale salientar que está contra-indicada esta terapêutica aos pacientes portadores de qualquer disfunção hepática, devido este sistema ser uma das vias de metabolização do adipócito.

O prognóstico clínico desta terapêutica varia entre cinco a oito sessões, obtendo resultados clínicos entre 3 a 5 cm de diminuição na circunferência da área tratada.

Com intuito de melhorarmos os resultados obtidos com a Lipocavitação, recomenda-se que o paciente realize uma atividade aeróbica até 12 horas após o procedimento, além realizar uma dieta ceatogênica com muita hidratação. Este procedimento deve ser realizado com intervalos no mínimo de 72 horas (2 x por semana).

Os pontos fortes da cavitação em relação aos demais procedimentos de ação terapêutica de lipólise são; a sua eficácia na modelagem corporal (perceptível já nas primeiras sessões), facilidade de aplicação (similar aplicação de ultrassom terapêutico), além promover pouco ou cause nenhum desconforto durante o procedimento (em comparação a Carboxiterapia).

É muito importante diferenciarmos a Lipocavitação dos equipamentos de Ultrassom convencional, no qual se utilizam de alta freqüência na ordem de MHz (capaz de apenas promover o aumento do estado vibratório das moléculas de gordura, sem ocorrer à implosão das mesmas).

Já com relação à radiofrequência, este é também um procedimento ambulatorial, não cirúrgico, no qual se utiliza da transmissão das ondas eletromagnéticas entre os seus respectivos pólos, promovendo o aquecimento por diatermia (de dentro para fora) na cama da derme, enquanto a epiderme mantém-se resfriada e protegida. Esse calor profundo e controlado (monitorado, através de um termômetro infravermelho) irá promover a desnaturação das respectivas fibras de colágeno e elastina (que se dá através da elevação e sustentação da temperatura local entre 38 a 40°C), obtendo desta forma, regeneração tecidual e produção de Neocolágeno (novas fibras elásticas) promovendo a melhora na textura, lifting tecidual, melhora do retorno venoso e linfático e efeito fibrinolítico. Por se tratar de uma terapia que envolve correntes eletromagnéticas, está contra-indicada a sua aplicação sobre áreas metálicas (risco de queimadura).

Partido do pressuposto que as respectivas áreas tratadas pela Lipocavitação tendem a ficar ligeiramente mais flácidas devido à redução do conteúdo do panículo adiposo, o emprego da Radiofrequência seqüencial a Ultracavitação ou intercalada, torna-se importante, lembrando que, estas áreas também apresentam outras disfunções estéticas como Fibro Edema Geloide.

Os procedimentos citados acima devem ser realizados por profissionais habilitados e capacitados através de cursos de aprimoramento. Em São Paulo, há algumas instituições que promover este tipo de curso como Departamento de Aprimoramento em Fisioterapia Dermato-Funcional (Beltrão Esthetic-SP)

Para maiores informações acesse a nossa página:

www.beltraoesthetic.com.br

Compartilhar
Artigo anteriorLeds: a luz que rejuvenesce e cura
Próximo artigoEntendendo o seu treino
Milton Beltrão Jr
Milton Beltrão Jr. é especialista em fisioterapia dermato funcional pela FMU e em Terapias de SPA´S e Clínica de Estética pela PAYOT. É diretor clínico e sócio da Beltrão Esthetic-SP, consultor técnico da Onodera Franqueadora e docente da Universidade Gama Filho-SP, Faculdade Inspirar, Qualifica-CE/SP, BioCursos-AM e Grupo Posture-SP.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here